Google+ Badge

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Jucá diz que Forças Armadas e STF estão envolvidos com o golpe — Temer tem de cair

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

GOLPE PARA EVITAR CADEIA PELA LAVA JATO E ENTREGAR O PATRIMÔNIO DO PAÍS.
Definitivamente, o diálogo repercutido pela imprensa de mercado do ministro golpista do Planejamento, senador Romero Jucá, com Sérgio Machado, ex-presidente da Transpetro, homem ligado ao PMDB e também ao PSDB, confirmam o que os mundos animal, vegetal e mineral já sabiam: a deposição da presidente trabalhista, Dilma Rousseff, e o impedimento ilegal do ex-presidente Lula no que concerne assumir a Casa Civil são dois escândalos políticos, que objetivavam o golpe de estado travestido de "legítimo" — hipocritamente e cinicamente.

Tais golpistas usurpadores do poder demonstram, indelevelmente, conhecimento profundo dos bastidores da política partidária, do Ministério Público, da Vara (Torturadora) do Moro, do STF e dos humores do procurador-geral-contra a República, Rodrigo Não Devo Nada a Ninguém Janot. Jucá e Machado, como a maioria dos golpistas de caracteres e índoles espúrias, sabem, sem sombra de dúvida, que realizaram um golpe violento e de estado em pleno ano de 2016, após 30 anos de democracia para evitar que seus nomes sejam jogados na lama da imprensa golpista dos magnatas bilionários, bem como sejam, finalmente, investigados, processados e presos.

A resumir: A Lava Jato é um instrumento e ferramenta do golpe contra Dilma Roussef, que tem por propósito incluir e punir apenas o PT e os petistas, e, com efeito, deixar os ladrões do dinheiro público de outros partidos, a incluir nesta miscelânea correlata à promiscuidade política, soltos, como ocorre, agora e neste exato instante, com os tucanos do PSDB, do DEM, do PP, do PSD, do PR, do PTB, do PPS, do PSB, da Rede e do SD, dentre outros partidos de menor expressão de oposição ou que aderiram ao golpe parlamentar-jurídico-midiático com a finalidade primordial de escapar das grades dos presídios.

Trata-se de uma oposição partidária oligarca, corrupta e reacionária, mas resoluta em derrubar a mandatária eleita legitimamente, em 2014, com 54,5 milhões de votos, porque os motivos principais são impor ilegalmente a agenda neoliberal e de direita derrotada quatro vezes consecutivas nas urnas, bem como evitar que a Justiça cuide de seus afazeres após serem mandados para a cadeia.   

Um episódio que chama muito a atenção é quando Sérgio Machado chega ao ponto de tecer comentários  grampeados com Jucá sobre o envolvimento do senador e presidente nacional do PSDB, Aécio Neves, no que concerne ao esquema de propina de Furnas, que gerou uma famosa lista, o que faz da Lista de Furnas um dos escândalos mais documentados deste País, a evidenciar provas incontestáveis.

Só que até agora por causa da blindagem praticada pelo sistema judiciário (Justiça, MPF e PF), que se aliou, inconvenientemente e burlescamente, à oposição de direita, não existe neste País um único demotucano preso. E sabe por quê? Respondo: porque no Brasil tucanos, juízes, promotores, procuradores e magnatas bilionários de imprensa que se partidarizam e cometem crimes são I-NIM-PU-TÁ-VEIS. Não sou eu que afirmo. São os fatos, em um silêncio retumbante, mas que causa mal-estar à parte importante da sociedade, que percebe a seletividade desses grupos golpistas que se associaram para depor uma presidente eleita pela soberania das urnas e pela vontade inquestionável do povo brasileiro.

Dou como exemplo de todo esse processo sórdido e, irremediavelmente bárbaro e selvagem, a ação do juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, que teve a ousadia e o atrevimento — pois inflado pela mosca azul em forma de oba-oba à sua pessoa por intermédio de manchetes da imprensa comercial e privada — de cometer crime de Segurança Nacional, exemplificado na autorização do vazamento covarde e criminoso por parte de tal magistrado de província.

Sérgio Moro fez o que fez porque ele é o que é: golpista; além de um dos principais agentes do golpe de estado e associado ao consórcio de direita que se mobilizou para combater os governos petistas, além de se notabilizar por sua seletividade e arbitrariedade, que determinam quais são os corruptos e criminosos que devem ir para a cadeia e os que são protegidos à margem da lei e por isto não são devidamente punidos, geralmente políticos do PSDB, do DEM e do PPS, pois estes parte intrínseca do consórcio golpista associado aos interesses da casa grande brasileira subalterna da plutocracia internacional.

Entretanto, voltemos à rapa do tacho, que se traduz no diálogo infame e calhorda entre Romero Jucá e Sérgio Machado, que reconhecem a associação da oposição demotucana, de setores da base do governo e de criminosos envolvidos com a Lava Jato para efetivar o golpe e, com efeito, livrarem-se de cadeia. Conspiração e crime de responsabilidade aplicados diretamente nas veias da democracia e do Estado de Direito.

Por seu turno, o que realmente tira o sossego da República e da Nação é a total alienação quanto aos interesses do País. Afundaram a economia brasileira em nome da corrupção e agora acusam o Governo Dilma de acarretar prejuízos ao País, a aproveitar o rombo fiscal superdimensionado e repercutido com má-fé pelo ministro provisório da Fazenda e golpista, Henrique Meirelles, assim como pela imprensa patronal corrupta e igualmente golpista para que se possa, a toque de caixa, entregar mais uma vez aos tubarões do mundo empresarial o patrimônio público do povo brasileiro.

Se um governo diminui o estado, tornando-o mínimo, evidentemente que suas ações não atingirão toda a população brasileira, no que diz respeito à sua melhoria na qualidade de vida. A direita vende o Estado para que os mais pobres, que é a maioria da sociedade, não tenham acesso à educação, à plena cidadania e à sua total emancipação. A casa grande escravocrata e colonizada quer um País para poucos, de caráter VIP e subserviente aos interesses dos Estados Unidos e do grande capital. Ponto.

Além disso, o Brasil enfrenta um câncer muito agressivo e que apodrece seu tecido social, exemplificadas nas concessões públicas de televisão inacreditavelmente a serviço do golpe contra a presidente Dilma, o Estado de Direito e a liberdade de expressão, porque, sobretudo, os meios de comunicação nefastos à sociedade como a Rede Globo e suas congêneres lutam, intermitentemente, pela hegemonia do pensamento único.

A resumir: o pensamento liberal fanático, pois fundamentalista e propalado pelo Consenso de Washington, bem como meramente de valorização dos interesses dominados pelo capital especulativo e rentista, que atende somente aos controladores dos trustes empresariais e do mercado financeiro, a ter, hipocritamente, a "meritocracia" como pano de fundo para seus propósitos covardes, infames e desumanos.

A verdade: conversa para boi dormir ou enganar coxinha trouxa, que se considera equivocadamente importante e "sonha" ser parte desse mundo para ele inalcançável. E existe trouxa que envelhece a se enganar. É muito bonito falar em "meritocracia" quando as condições de crescimento e desenvolvimento para quem a defende sempre foram favoráveis desde a mais tenra idade. Leviandade e perversidade das mais puras.  

Enquanto isso, os golpistas, espúrios e usurpadores, continuam a tomar de assalto a República e o Palácio do Planalto, como se nada tivesse ocorrido, como se vivessem dias normais e não existissem milhões de brasileiros a fim de colocar-lhes porta afora a pontapés. Trata-se de um governo pária e ilegítimo, assim como contestado pela imprensa internacional e pelos fóruns de poder e resolução em termos mundiais.

Um governo de corruptos para corruptos se livrarem da cadeia com a aquiescência e a cumplicidade de setores partidarizados e ideologizados da Justiça, do MPF e da PF. O verdadeiro desastre político proporcionado por gente golpista que ressuscitou os cadáveres de 1964, sendo que desta vez vestidos com togas e a ter a imprensa empresarial como sustentáculo essencial para a concretização de golpe de estado em pleno século XXI, que diminui o Brasil, País industrializado e sétima maior economia do mundo, a uma condição humilhante de república bananeira.

A República das Bananas ressuscitada e que tem, insofismavelmente, a cara e o focinho da casa grande deste País infeliz e azarado por viver em suas vicejantes terras uma das oligarquias mais cruéis e atrasadas do mundo, pois de alma provinciana, reacionária e adepta do retrocesso, porque é através da ignorância e da miséria que tal escória ou escumalha ganha mais dinheiro. Essa gente com QI menor do que cérebros de macacos é o fim da picada. Verdadeira malta de sacripantas, a tomar o poder por intermédio de um golpe despido de porvir.

Aproveito, porém, a ocasião por ter cometido tão incomensurável, inenarrável e desprezível ofensa aos macacos. Perdoem-me por compará-los aos burgueses fascistas da casa grande e aos coxinhas paneleiros e amarelados que odiaram a ascensão dos pobres e estão cagando e andando para a corrupção, porque seletivos e despolitizados, além de se autoproclamarem "Todos somos Cunha", como expressavam, de maneira insensata e provocativa, suas faixas bárbaras, selvagens e contrárias ao processo civilizatório.

Hipócritas e seletivos. Agora os coxinhas verão como é ser "Todos somos michel temer", o Golpista Usurpador, que já está a efetivar ações dignas de um Drácula para arrancar-lhes o máximo de seus direitos, sendo que muitas dessas conquistas aconteceram por meio de luta de inúmeras gerações anteriores a esta, além de muitos dos benefícios sociais e trabalhistas terem cerca de setenta anos ou mais.

O papel do sistema judiciário em sua participação no golpe é terrível e somente um idiota, mesmo a não ter conhecimento sobre provas não perceberia tal farsa, fraude, embuste e conspiração criminosa, que propiciaram a deposição de Dilma Rousseff. Volto a ressaltar, uma presidente eleita legalmente, legitimamente pela força do voto popular e soberano, que é muito mais importante que a vã filosofia e os desejos pueris e levianos de juízes e promotores cercados de benefícios, privilégios e inquilinos luxuosos de uma redoma de cristal, o que se tornou, para a desgraça do Brasil, o Supremo Tribunal Federal.

Trata-se de juízes burgueses e extremamente conservadores quanto à política e a maneira de ver e enxergar o mundo. São togados ricos e divorciados das necessidades, dos interesses e dos sonhos do povo brasileiro. Isto é real. Fato! Permitiram que um criminoso como o deputado Eduardo Cunha, cercado de criminosos, dessem um golpe por vingança e para, impreterivelmente, escaparem de processos que os levem à cadeia. Um golpe humilhante para o Brasil e aos que são civilizados e prezam a democracia, o Estado de Direito e o acesso à informação e à expressão.

Romero Jucá e seu cúmplice, Sérgio Machado, confirmaram a realidade do golpe, pois de fato ele ocorreu, em uma conversa íntima, livre de pressões e, inclusive, a analisar profundamente os acontecimentos e o desenrolar desse processo vergonhoso e violento que deixou o Brasil de joelhos perante seu povo e a comunidade internacional. Caramba! É um fato para colocar na cadeia políticos, servidores públicos, juízes e procuradores, bem como um motivos sério para os juízes do STF acabarem com a farsa e pantomima montadas por golpistas criminosos e recolarem Dilma Roussef na cadeira da Presidência da República, onde o povo a colocou soberanamente e de onde a mandatária jamais deveria ter saído.

Eles, os togados, associaram-se a um golpe de estado, escolheram lado e conspiraram criminosamente contra as instituições republicanas e a sociedade brasileira, que não aceita mais golpe bárbaro e selvagem, a não ser os coxinhas, mas estes não têm jeito, porque irremediavelmente farofeiros no que tange à política, além de mentalmente colonizados. Sinto pena e desprezo. Apenas isto, mas não há como tergiversar em relação a esses pequenos burgueses reacionários, que, historicamente, sempre apoiaram golpes de estado promovidos pelos ricos e seus porta-vozes da imprensa alienígena e corrupta.

O exemplo mais lamentável dos juízes golpistas é o que tange a Lula. Já ministro, Lula é grampeado em diálogo com a presidente Dilma após, inclusive, de tal juiz ter dado ordem para encerrar os grampos por parte da PF. O juiz da Lava Jato e de primeira instância causou comoção pública, de forma que uma pequena multidão de coxinhas de direita e golpistas cercassem o Palácio do Planalto, com tentativas de invasão da garagem do prédio, bem como o magistrado do PSDB do Paraná apagou a fogueira do embate político com gasolina, a acarretar, inclusive, o impedimento de Lula para assumir a Casa Civil e, por sua vez, tentar recompor, no que pudesse e fosse factível, a base do Governo e, consequentemente, evitar a aprovação da admissibilidade do impeachment pela Câmara.

Depois, o juiz Moro "reconheceu" a grande cagada que fez e simplesmente pediu desculpas aos semideuses do STF, quando ele deveria ser imediatamente afastado, investigado e punido. Moro cometeu crimes, dentre eles o de segurança nacional, e deveria ser duramente questionado pela sociedade e pela Corte mais importante do País. Só no Brasil. É essa gente que se veste de preto para julgar cidadãos e a escolher lado, e, em estupenda desfaçatez, ainda acredita que tem credibilidade. Uma verdadeira estupidez. E como teria? A Justiça encabeça o golpe e credibilidade, terminantemente, não se compra em prateleiras de supermercados.

As conversas grampeadas de Romero Jucá e Sérgio Machado deveriam derrubar agora e neste exato instante o desleal Golpista Traidor, também conhecido como Amigo da Onça — vulgo michel temer. Trata-se de um governo bastardo, porque não é filho do povo, mas, evidentemente, um covil de usurpadores que assaltaram o governo, a dar pontapés nas portas do Palácio do Planalto e do gabinete da Presidência da República, mas sem a autoridade do voto universal.

São criminosos porque são golpistas, despidos de legitimidade e tratados como párias pela comunidade internacional, pois estão diplomaticamente isolados. Nenhuma autoridade presidencial e de países europeus, da América Latina, com exceção da Argentina, cuja chanceler fez ressalvas, além de muitos outros países de grande importância, como a China, a Rússia e a Índia deram um telefonema para o golpista temer, um homem que envergonha a cidadania, porque totalmente e completamente desleal.

michel temer sempre terá seu nome escrito com letras minúsculas. Trata-se de seu galardão no céu e na terra. Ele está à margem do tempo e do espaço, porque personifica, lamentavelmente, a Política Café com Leite da Velha  República de caráter escravocrata em pleno ano de 2016. Igual a ele somente o Geraldo Alckmin, porque até o entreguista e alienígena José Serra não reflete tanto tal coronelismo à moda paulista. Um verdadeiro pulha. Um mitômano sem grandeza nenhuma, porque, na verdade, seu desgoverno é uma pantomima de si próprio.

Os diálogos gravados e repercutidos de Romero Jucá, volto a frisar, são para derrubar este governo usurpador e antidemocrático. Associações criminosas para formalizar um pacto entre a oposição, os traidores do Governo Dilma e incrivelmente o sistema judiciário brasileiro, que está em xeque e prestes a ter o "rei" golpista e bárbaro derrubado. Também foram citados os comandantes das Forças Armadas, pois Jucá disse a Machado que os generais segurariam o golpe, ou seja, dariam base e tranquilidade para sustentar o golpe criminoso, que foi concretizado à margem da lei, porque fruto de acusação em que até hoje não foi comprovado o dolo, enfim, o crime de responsabilidade que Dilma Rousseff jamais cometeu.

O barulho é retumbante e não cabe mais a seletividade dessas autoridades irresponsáveis que cooperaram, e muito, para dividir o Brasil e deixar milhões de pessoas que não votaram em Aécio Neves inconformadas, indignadas e revoltadas com tão criminoso e desditoso golpe. Se o STF, a PGR e o Senado quiserem recuperar a credibilidade  e ter um mínimo de respeito por parte do povo brasileiro que tratem de destituir o golpista michel temer e de prender todos aqueles que cometeram crimes, independente de partidos e ideologias. O golpista é um anão politico completamente desleal. temer tem de cair para o bem do Brasil, que deseja e luta para ser um País civilizado. É isso aí. 

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Discriminações, preconceitos, golpe de estado e a cor do fascismo

Davis Sena Filho — Palavra Livre


As diferenças são as essências da condição humana, da humanidade, dos indivíduos e das individualidades, que convergem quando vivemos em coletividade e sociedade, porque somos animais racionais, que vivem e se unem para sobreviver, a ter como combustível principal dessa química a solidariedade, que produz união, e, consequentemente, a tolerância, a paciência, a resignação, a generosidade, a compreensão, sendo que todas essas virtudes juntas, formam o amor solidário, que também se traduz na luta para que os interesses comuns sejam concretizados.

A humanidade não teria condições de sobreviver por milhares de anos se não fosse a solidariedade, que se baseia no sentimento de amparo e de preocupação com o semelhante, a concretizar tal enlace os interesses comuns de uma nação, de um estado, de uma cidade, de um bairro, de uma vila, de uma rua e de uma família. Todos estamos no mesmo barco, que é o planeta Terra, a nave-mãe, que nos transporta no decorrer de toda uma existência por mais curta que ela seja, pois, realmente, a vida é efêmera como um sopro.

Contudo, a humanidade teima em errar, a trilhar por veredas tortuosas e trilhas espinhosas, que sempre terminam em conflitos morais, religiosos, políticos, ideológicos, sexistas, étnicos, raciais, de classe social e de nacionalidade. São conflitos que, aparentemente, são impossíveis de serem solucionados e discutidos, porque, evidentemente, muitos deles acabam em guerras, tanto no âmbito de nações contra nações, países contra países, quanto em termos localizados, quando são deflagrados conflitos violentos, no que concerne, volto a ratificar, às questões religiosas, étnico-raciais, sexistas, ideológicas e políticas, como ocorre, inclusive e até de maneira comum e repetitiva, nos países desenvolvidos, a exemplo de França, Estados Unidos, Itália e Inglaterra, dentre muitos outros, a incluir também o Brasil neste lamentável e infame balaio de preconceitos, violências e intolerâncias.

Exatamente o Brasil, País que sempre dissimulou e manipulou, cinicamente e hipocritamente, seus abjetos e vis preconceitos, pois território onde viceja e atua uma das mais agressivas e violentas burguesias e pequenas burguesias (coxinhas) do mundo, como comprovam suas ações e seus infames e ignóbeis pensamentos por intermédio de inúmeras redes sociais e nas ruas, até mesmo em lugares fechados, a exemplo de bares, restaurantes, shoppings, escolas, universidades e repartições de trabalho, tanto na iniciativa privada quanto nas repartições públicas.  

Geralmente as discriminações e preconceitos são demonstrados e efetivados por grupos sociais dominantes em todas suas esferas, a começar pela família, que é a representação da sociedade em forma de célula, que, unida a outras células, transforma-se em sociedade, que, de acordo com seu desenvolvimento e o acúmulo de riquezas, esta se torna dominante, a criar aparatos de defesa e ataque, bem como desenvolver ferramentas e instrumentos ideológicos, políticos e propagandísticos, a ter como propósito a incolumidade do status quo, que é controlado a ferro e a fogo  pelos inquilinos da casa grande. Trata-se da casa grande oligárquica e nacional, que, na verdade, é ocupada por títeres ou bonifrates da plutocracia internacional, aquela que realmente manda no dinheiro do mundo, controla suas riquezas, além de fomentar e efetivar as guerras, bem como derrubar governos legalmente e legitimamente constituídos, seja pela força das armas ou por meio de golpes de estado dissimulados ao tempo que moralmente e juridicamente violentos, como ocorreu com a presidente trabalhista Dilma Rousseff.

Dilma é mais um mandatário brasileiro da corrente trabalhista alvo de uma hedionda farsa parlamentar, jurídica e midiática, que a derrubou da Presidência da República, sem ter cometido qualquer dolo, ou seja, crime de responsabilidade. Um golpe de estado injusto e infame promovido pelas "elites" tupiniquins e a ter como cúmplices o governo dos Estados Unidos, que, espertamente e malandramente, evitou cumprimentar o Golpista Usurpador e Amigo da Onça, vulgo michel temer.

Aliás, até agora, após uma semana do golpe, os presidentes e primeiros-ministros de Inglaterra, França, Alemanha, Itália, Espanha, Portugal, Canadá, Japão, China, Rússia, além da maioria dos países latino-americanos, calaram-se e não saudaram oficialmente o governo do Usurpador de direita, um homem que se mostrou completamente desleal, infiel e desprovido de caráter e ética, pois afinal se trata de um legítimo, genuíno e verdadeiro golpista, que terá um lugar na História guardado especialmente para ele como traidor. michel temer já é um dos inquilinos da lixeira da História, a chafurdar na lama fétida do golpismo e, como traidor e golpista, será tratado até depois de sua morte.

Voltemos às discriminações e preconceitos. Esse conjunto de crenças, valores e princípios, indubitavelmente deformados, faz com que se deixe evidente, a quem circunda pelas fronteiras das sociedades dominantes ou mesmo àqueles que estão geograficamente longe delas, que seu valores, princípios e crenças são os que tem de ser seguidos, copiados, admirados e, por sua vez, impostos, por bem ou mal, aos países e nações que, porventura, não conquistaram um pleno desenvolvimento socioeconômico, que as sociedades dominantes conquistaram.

Entretanto, esta questão complexa tem como estratégia fundamental para que o processo de dominância e imposição por parte da casa grande se concretize o controle do poder militar e policial, porque é por intermédio da força que os grupos dominantes das diferentes sociedades deste planeta edificam seus nichos de poder, e, evidentemente, tornam-se propositalmente sectários, despóticos e violentos quando seus interesses são contrariados, como ocorreu com Dilma Rousseff, João Goulart e Getúlio Vargas, bem como a perseguição atroz e feroz a Lula evidencia que as oligarquias jamais permitirão que uma personalidade política da influência e grandeza de Lula, que não foi cooptada pela plutocracia volte a pôr a cabeça para fora e, com efeito, assuma novamente a cadeira da Presidência da República.

Além do poder midiático, empresarial e parlamentar, as oligarquias de índoles e almas escravocratas contam com a cumplicidade e as ações do sistema judiciário brasileiro, extremamente politicamente conservador, ideologicamente de direita e compromissado com os interesses da plutocracia, tanto é verdade que o Judiciário (Justiça, MPF e PF) é, certamente e sem sombra de dúvida, o maior responsável pela quebra coletiva de grandes empresas nacionais privadas, bem como das principais estatais, como a Eletrobras, Petrobras, Nuclebras e a indústria naval, dentre outras empresas e setores estratégicos para o País de relevantes importâncias.

Os sistemas judiciário e midiático são, juntamente com o PSDB e o DEM, os principais responsáveis pela queda vertiginosa dos resultados da economia, assim como pelo alto desemprego, duas realidades que jamais aconteceram nos governos trabalhistas de Lula e Dilma, de 2003 até 2013, quando o Brasil cresceu notavelmente e seu povo, principalmente as classes populares, ascenderam socialmente e financeiramente. Fato. Se duvida, basta ler a história para não se deixar enganar ao invés de se informar e se instruir por meio de jornais dos magnatas bilionários de imprensa, que odeiam o povo brasileiro e são aliados históricos de governos e empresas estrangeiros.

Por serem assim, tal sectarismo passa a funcionar como um instrumento de preservação dos interesses do status quo, ou seja, das pessoas e grupos que são inquilinos do pico da pirâmide social. Esta máquina mundial que ordena as castas e distribuiu ou concentra as riquezas em âmbito mundial, apresenta-se de várias formas, em suas diferentes máscaras, mas que no fundo se tornam iguais quando se trata de manter, a qualquer custo, os privilégios e os benefícios dos ricos em todos os países, sejam estas nações desenvolvidas ou não.

E por quê? Porque independente dos valores e princípios que cada diferente sociedade agrega à sua cultura e modo de viver através do tempo, as classes dominantes, que detêm em suas mãos os meios de produção e também os capitais financeiros, além do poder policial e militar, negam-se a distribuir as riquezas produzidas aos seus povos. As chamadas "elites", que existem em todos os grupos sociais, sejam eles compostos por negros, brancos, vermelhos ou amarelos; muçulmanos, judeus ou cristãos; budistas ou bramanistas; espíritas ou confucionistas; capitalistas e até mesmo alguns "socialistas"; homossexuais ou héteros, não estão dispostas a, realmente, distribuir as riquezas produzidas por seus povos, ou seja, pelos trabalhadores.

Essas injustas e cruéis realidades ocorrem na história da humanidade, independente de suas nacionalidades, crenças, etnias e posição social. O elitismo e o sectarismo existem em todos os segmentos da sociedade. Então o que importa, para se combater esse estado de coisas, é não compactuar, discordar e não se tornar cúmplice dos que desejam e lutam por um mundo para poucos terem vantagens, privilégios, benefícios, prioridades e a mão amiga do Estado patrimonialista, juridicamente, judicialmente e politicamente protetor da minoria rica e proprietária da casa grande, em total dissociação com as realidades e as necessidade da grande maioria pobre das populações de diferentes nações.

A verdade é que os grupos dominantes tem o poder e por causa de seus benefícios e privilégios faz tudo para mantê-los, desde o pequeno proprietário de uma vila humilde, mas que possui mais bens do que seus conterrâneos, até os países poderosos, que da mesma maneira, só que agora de forma macro, em termos mundiais, também se nega a distribuir renda e riqueza e, consequentemente, parcela enorme da humanidade passa necessidades inomináveis, à mercê de intempéries sociais, econômicas e financeiras que poderiam, com esforço e vontade política, serem resolvidas ou bastante amenizadas.

E por que digo tudo isto, se quero falar de preconceitos, sejam eles com as máscaras ou dissimulações que usarem e se apresentarem? Porque o preconceito religioso, étnico-racial, de gênero, de nacionalidade, de sexo, inclusive contra os portadores de deficiências, estão enraizados, sobretudo, por causa do poder econômico e financeiro, que se multiplica em domínios e controles por parte de uma classe abastada, no que concerne ao controle das terras, das indústrias, dos bancos, das universidades e do acesso aos melhores empregos, à saúde e ao ensino de boa qualidade, à moradia e aos bairros confortáveis e organizados, bem como às facilidades para se ter uma vida social nada tediosa, com inúmeras opções de entretenimento e lazer.

Quero ratificar e reiterar que as discriminações e os preconceitos tem fundo econômico e financeiro, sendo que a questão social, ou seja, a estratificação de classes é a ramificação mais visível do preconceito, porque as riquezas das casas grandes em âmbito mundial são apresentadas às sociedades de forma distorcida e manipulada, quase que escondidas e, por seu turno, disfarçadas. Não é de bom alvitre que as camadas de pobres ou de remediados com bilhões de pessoas saibam, de fato, como vivem os ricos e os muito ricos. Seria uma imprudência e desfaçatez da alta burguesia.

Para amenizar tanta violência e radical egoísmo exemplificados em acúmulo ou concentração de riquezas que existem os economistas, os financistas, os contadores e os administradores de grandes e inimagináveis fortunas, que vicejam por este mundão de meu Deus. Além disso, os coronéis midiáticos e suas empresas privadas vivem do dinheiro público, ou seja, eles cantam loas e boas à iniciativa privada, mas não querem se desestatizar, apesar de pregarem, hipocritamente, a defesa dos preceitos neoliberais, enquanto estão sempre de olho no dinheiro em público em forma de publicidade e empréstimos a se perderem de vista.

O leitor verá, no decorrer do governo do Usurpador Golpista michel temer, como os magnatas bilionários de imprensa vão cair dentro dos cofres públicos para salvar suas empresas endividadas por causa de administrações incompetentes e irresponsáveis. Duvida? Então pesquise e verifique o estado calamitoso desses grupos de mídia politicamente seletivos, porque se partidarizaram, bem como se transformaram, juntamente com o lamentável e ordinário sistema judiciário brasileiro, os alicerces do golpe de estado criminoso contra a eleita pela maioria do povo, Dilma Rousseff.

As nações brigam por riquezas, como também as empresas, que, quando se tornam gigantes, são chamadas de trustes, monopólios, oligopólios, cartéis, que, na verdade, nasceram de famílias, que podem até se associar para tornar seus negócios planetários, mas sempre de alma familiar, e, portanto, provinciana, egoísta e miseravelmente violenta, pois, por ser familiar, vê o mundo por sua ótica, enquanto as sociedades são muito maiores que suas vãs filosofias e crenças em seus próprios umbigos. Daí nasce a intolerância, o racismo, a violência e toda sorte de preconceitos e inobservância das leis.

E por quê? Porque o racismo, a intolerância religiosa, de gênero, de classe social e de nacionalidade, por exemplo,  têm por finalidade manter intactos os princípios e os valores dantescos e draconianos de castas sociais impostas pelo establishment mundial, que atua em todos os países e civilizações deste mundo. Contudo, há de se perceber que essa engrenagem ocorre em todas as esferas, desde a célula familiar até a comunidade internacional representada pelos governos das diferentes e irreconciliáveis nações.

O preconceito e a discriminação são as formas mais terríveis e hediondas que a humanidade implementou em suas sociedades para beneficiar e privilegiar, através dos milênios, àqueles que controlam as riquezas e que para mantê-las é necessário subjugar as classes sociais que estão nas bases da pirâmide social. As formas principais para deixar o outro de joelhos se dão por meio da propaganda e publicidade, da cooptação das elites dos países menores e, por fim, pela diplomacia do porrete, que é a guerra, sejam os conflitos entre nações ou entre vizinhos de uma mesma rua.

Preconceito e discriminação são a negação do que é humano, da existência, do respeito, do direito de viver em paz e harmonia, assim como impedem o acesso ao bem-estar social, a uma vida de melhor qualidade. Os preconceitos e as discriminações têm raízes, e elas são diabólicas porque negam o direito pleno à cidadania, à vida, bem como tem fundo econômico e financeiro, porque, inclusive, coopera para que as classes dominantes mantenham as classes pobres na ignorância, pois sem direito ao conhecimento e à instrução. Povo sem instrução e conhecimento significa povo enganado, manipulado e, indelevelmente, escravizado. Presa fácil dos covardes e dos perversos, como, por exemplo, os coronéis que controlam as mídias sociais empresariais.

Manter o povo na ignorância é também controlar seus desejos e pensamentos políticos e ideológicos, porque, não nos enganemos, tudo é ideologia, às vezes dissimulada, mas ideologia, como as religiões, a publicidade, a política, os produtos comprados e até a novela que o cidadão vê. Sempre tem um propósito e este propósito é evidenciado e repercutido por alguém que está atrás das câmeras de televisões ou na tribuna da Câmara ou do Senado, assim como em conversas em uma mesa de bar ou no sofá de casa junto à sua família.

O combate às discriminações e aos preconceitos de raça, cor, etnia, religião, sexo e procedência nacional tem de ser incessante, intermitentemente, sendo que as crianças e os mais jovens precisam ser informados para que não sejam pessoas perversas, frias, oportunistas e calculistas. A violência que aconteceu principalmente nos últimos quatro anos nas redes sociais e nas ruas é sinal do que o fascista que mora dentro de cada pessoa pode fazer se ele não for dominado e, por sua vez, controlado.


Abre-se a caixa de Pandora. Abriram... É fácil. O difícil é botar para dentro da caixa o fascista que saiu de dentro de você. Não acredita? Pergunte ao Benito Mussolini, ao Augusto Pinochet ou ao Jair Bolsonaro, este em menor escala quanto à fama e ao poder. Eles não nasceram adultos. Não se engane. Os três foram "aperfeiçoados" pelo Fáscio de caninos draconianos. Preconceito e discriminação significam reserva de mercado e hegemonia política e de classe social. Ambos hediondos, pois retiram a humanidade do ser humano e evidenciam a injustiça, a besta-fera que leva a democracia ao holocausto. É isso aí. 

segunda-feira, 16 de maio de 2016

temer é o bárbaro interino com verniz de aristocrata e espírito de golpista traidor

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Novo Dicionário

1) "governo temer significa: Golpista, Usurpador, Espúrio, Elitista, Ilegítimo, Ilegal, Sórdido, Infame, Bárbaro, Selvagem e Amigo da Onça".

2) "Golpista, Usurpador, Espúrio, Elitista, Ilegítimo, Ilegal, Sórdido, Infame, Bárbaro, Selvagem e Amigo da Onça significa governo temer".

3)  A resumir: 1 e 2 vice-versa.

Observação: De acordo com as novas regras do novo dicionário, o "g" de governo e o "t" de temer sempre, imperiosamente, serão escritos em letras minúsculas, pois refletem, fidedignamente, o tamanho político e de cidadão do Golpista Usurpador, vulgo Amigo da Onça ou michel temer.

PS: Não chega a ser uma Lei da Constituição, livro que michel temer e seus sequazes rasgaram em prol de implantar uma República das Bananas, igual a cara e a alma deles. Porém, seria de bom alvitre àquele que se reportar a tal golpista ou escrever sobre tal usurpador, fazê-lo sempre em letras minúsculas. Não se esqueça, pois será a praxe.

Que fique claro e consciente: michel temer não terá o respeito de milhões de brasileiros, bem como também não terá o tratamento de "presidente". De forma alguma. temer é ilegítimo e assumiu a Presidência da República de forma ilegítima, ilegal e, com efeito, criminosa. A resumir: michel temer é golpista, um usurpador do poder e como tal será tratado até o fim de sua vida, porque se trata, antes de tudo, de um traidor. A corja de patifes ou cafajestes que o acompanha nessa aventura irresponsável, violenta e contra o povo e a democracia terá também o mesmo tratamento dado a temer, até que tome posse do poder máximo da República um mandatário legitimado pelo voto soberano do povo brasileiro.

temer — o Golpista Usurpador —, a partir de agora este será seu "título nobiliárquico" e não honorífico, porque tal sujeito se trata de um vassalo da plutocracia representada pela casa grande de alma escravocrata deste País, que transformou o Brasil em pária internacional, além de humilhá-lo como uma reles República das Bananas, das muitas que já existem por aí — não vai governar em paz e nem será objeto da mínima comiseração, compaixão, tolerância e respeito por parte de grande maioria da sociedade organizada brasileira e dos 54,5 milhões de eleitores que votaram em Dilma Rousseff para presidente do Brasil.  

Tal traidor da Pátria, do povo e de Dilma Rousseff, que se comportou e se comporta como um verme em forma humana, terá, com absoluta certeza, uma dura e merecida resposta àqueles que não respeitam a regra do jogo democrático e, consequentemente, rasgam a Constituição e desconstroem o Estado Democrático de Direito por serem, acima de tudo e de qualquer coisa, antidemocráticos, antirrepublicanos e antinacionalistas. temer não tem e nunca teve compromisso com a sociedade e com os mais pobres e, por sua vez, com o desenvolvimento e a independência do Brasil.

O Golpista Usurpador é um pulha e como tal ele procede. Seria, inclusive, exigir demais de um sujeito leviano, dissociado das realidades brasileiras e nascido e criado na oligarquia paulista, uma das mais atrasadas, reacionárias e perversas do mundo, que considera, hipocritamente, o retrocesso social como desenvolvimento, assim como os preconceitos e sectarismos efetivados pela classe rica, que tal traidor representa e defende, como instrumentos de hegemonia para se manter, indefinidamente, o status quo, além de propiciar um País para atender apenas os interesses e as necessidades da burguesia da qual temer é um de seus filhos diletos.

Esse processo perverso, intolerante e intransigente  tem por propósito a "reserva de mercado", no que tange, não apenas a dominar o acesso aos melhores empregos, universidades e facilidades sociais, políticas e econômicas por parte da burguesia, com sobras para a pequena burguesia, que temeu e odiou a ascensão dos pobres, mesmo que tímida, mas, sobretudo, para impedir que o povo brasileiro e o País se desenvolvam de uma maneira equânime, de uma forma mais justa, que propicie o desenvolvimento mais linear entre as regiões e os estados brasileiros, a efetivar por meio desse processo um equilíbrio maior entre as classes sociais, com exceção das muito ricas, porque seria uma ingenuidade e desfaçatez inseri-las em um contexto abrangente, no que tange ao seu poder econômico e financeiro.

Entretanto, é exatamente a plutocracia, que está à margem da sociedade no que diz respeito à sua participação como agente social, que forja os golpes de estado e os coloca em prática. Aí que mora o perigo para os presidentes ou políticos mandatários que, por ideologia e determinação política, acreditam em um mundo ou País mais igualitário, justo e democrático, a começar por lutar por sua independência e autonomia. E foi exatamente que os presidentes trabalhistas do presente, nas pessoas de Lula e Dilma Rousseff, e do passado, exemplificados em Getúlio Vargas e João Goulart, fizeram.

Os mandatários trabalhistas desenvolveram o País, como não deixa dúvidas a história no que é relativo a Getúlio Vargas, às propostas de João Goulart e aos avanços sociais e econômicos significativos de Lula e Dilma, sendo que o Brasil se agigantou em sua diplomacia não alinhada aos Estados Unidos e formuladora de estratégias diplomáticas, que levaram à constituição e ao fortalecimento de blocos econômicos e de defesa, a exemplo da Unasul, do Mercosul, dos BRICS, dentre outros fóruns diplomáticos e de estratégia, no que concerne às relações internacionais.

Estratégias e manobras que proporcionassem à comunidade internacional um maior alcance no que é referente à criação de novas parcerias, para que as Nações pudessem usufruir de uma gama maior de produtos e mercadorias, bem como favorecer a troca de experiências e de conhecimentos científicos e tecnológicos, como a exigência, no que tange ao Brasil, à política de conteúdo, ou seja, a obrigatoriedade de os empresários ou governos estrangeiros de transferir conhecimento tecnológico, a exemplo do que ocorreu entre o Brasil e a Suécia, no que concerne à compra de aviões-caça Gripen-NG, sendo que dos 36 aviões comprados, 15 serão fabricados no Brasil, no sentido de que o País deixe de ser comprador para se tornar fornecedor de aviões de combate de última geração, pois passará a dominar específica tecnologia.

Assim também procederam em outras áreas os governos trabalhistas do PT, como, por exemplo, no que concerne à fabricação de submarinos nucleares, além da indústria naval em geral, sendo que sobre exploração de petróleo em águas profundas e edificação de hidrelétricas o Brasil se tornou vanguarda no mundo, pois controlador de uma engenharia muito desenvolvida, que ampliava espaços em termos mundiais.

Nada disto importa, porque a burguesia provinciana e subalterna deste País quer o Brasil, eternamente, preso às amarras do neocolonialismo, em uma posição de simplório exportador de commodities. A "elite" que deseja de volta "seu" país rural e com uma indústria para atender apenas 1/3 da população. Injeção de mediocridade aplicada diretamente nas veias dessa gente tacanha e provinciana. Verdadeiros jacus com complexo de superioridade, porque compram casas lá fora, mas exploram o povo trabalhador daqui, a ter o quartinho de empregada como símbolo máximo que remonta a posição de escravocrata de seus antepassados.

Até os de classe média, que não controlam os meios de produção, comportam-se também dessa forma deletéria. É simplesmente inexplicável ao tempo que surreal. Não só se comportam como são importantes aliados da casa grande, pois primos ideologicamente. O pensamento, os valores e os princípios são também responsáveis pelo desenvolvimento e o atraso de um país, que é o caso do Brasil de agora, que tem uma grande e importante parcela da sociedade que não conspirou e não foi cúmplice do golpe de estado travestido de legítimo e legal quando, de fato, não o é.  

Todavia, os governos trabalhistas trilharam pelos caminhos em busca do destino que se exemplifica na autonomia e independência do Brasil. Assim foi feito, no decorrer dos dois governos petistas, no que é relativo às relações internacionais em todos os sentidos e segmentos políticos e econômicos tratados pela diplomacia independente do Itamaraty nos governos de Dilma e, principalmente, no de Lula, quando o ministro Celso Amorim, formulador da política externa brasileira, levou o Brasil pela primeira vez a um patamar de reconhecimento e respeito, a sedimentar sua importância em âmbito internacional, pois chegou a ser a sexta economia do mundo, além de formulador de uma política externa pungente e não alinhada às potências ocidentais, como sempre o fora no decorrer de séculos.

Esta é a verdade, sendo que tal verdade está a ser, sistematicamente e diuturnamente, desconstruída e desprezada pela grande imprensa alienígena dos coronéis midiáticos, que mentem, manipulam e distorcem os acontecimentos de forma que a população, principalmente os setores mais reacionários da classe média coxinha, que apoiaram o golpe desditoso, esqueçam dos avanços econômicos e dos direitos sociais conquistados nos governos exemplarmente democráticos e tolerantes de Lula e Dilma. A democracia e a liberdade ampla implementadas pelos dois mandatários trabalhistas será para sempre inesquecível, pois inquebrantável.

No futuro, muita gente que combateu os mandatários trabalhistas, por ignorância e falta de discernimento, até porque muitos desses são jovens, irão, sem sombra de dúvida, arrepender-se, porque não será fácil suportar um governo ilegítimo e de caráter despótico e ditatorial como o que ascendeu ao poder por intermédio de um golpe de estado dissimulado, porém, violento. Dou um exemplo dos muito que já apresentei e ainda vou apresentar no decorrer deste ano: o ministro da Justiça de temer, alexandre de moraes (PSDB/SP).

Homem de direita e da direita. Um capitão do mato ou serviçal da casa grande dos mais radicais, talhado para reprimir e tratar os movimentos sociais como eventos criminosos. moraes criminalizará os movimentos de trabalhadores, e não poderia ser de outra forma, porque membro de um governo espúrio, ilegítimo e sem votos. De um governo que não tem autoridade para negociar com a sociedade de maneira ampla e democrática. E por quê? Porque são golpistas e usurpadores que assaltaram o poder central e, consequentemente, não têm acesso ao arcabouço social por não terem credibilidade, e, com efeito, interditaram o diálogo com os setores e segmentos mais representativos, organizados e populares da sociedade.

Essa gente golpista e de ações sórdidas apenas tem ao seu lado os empresários do Pato amarelo corrupto e sonegador da Fiesp e suas congêneres. O Pato cretino e sectário que implanta o Impostômetro, mas, malandro e vagabundo como é, recusa-se a implantar o Sonegômetro, até porque, como bem sabe o MPF e a PF, o empresariado sonegador e corrupto brasileiro está em quinto lugar entre os maiores sonegadores do mundo, com contas não declaradas no exterior e em paraísos fiscais. Cinismo, hipocrisia e delinquência aplicados diretamente em suas veias.

Já não bastava toda essa mixórdia e porcaria, o povo deste País, infeliz e azarado por ter uma "elite" tão perversa, violenta e corrupta, ainda tem de aturar maus servidores públicos que, vergonhosamente, partidarizaram-se e associaram-se ao golpe criminoso de caráter elitista, porque atende os interesses dos ricos e dos muitos ricos do Brasil, além dos Estados Unidos, que desde o ano de 2008 vive uma severa crise econômico-financeira, que é acobertada, propositalmente, pelas redes televisivas deste País, que, comprovadamente, estão nas mãos de meia dúzia de famílias plutocratas, que tratam o Brasil como a extensão dos quintais de suas casas, o povo brasileiro como mão de obra barata quase escrava e os coxinhas "midiotas" como otários para pagar pau e mico, porque o que receberão é o programa "Uma Ponte para o Abismo do Inferno" do governo usurpador e ilegítimo de michel temer — vulgo Amigo da Onça.

temer e seus asseclas que estão inclusos na Lava Jato venderão o Brasil, descaradamente, sem terem autoridade para tanto. A diplomacia independente deste País voltará a ser integrada ao círculo de influência dos EUA, o que fará do Brasil uma colônia com um mercado interno poderoso e gigantesco, que é o maior tesouro dos brasileiros e que coopera para sustentar muitos países desenvolvidos por meio de remessas de lucros bilionárias, bem como através da abertura do nosso mercado interno às multinacionais, sem qualquer proteção, de maneira que o Brasil passe a ser um mero importador de produtos, o que acarretará em sua desindustrialização.

Com a administração do Usurpador Golpista, não só o comércio e a diplomacia levam um baque, mas, evidentemente, todos os setores da sociedade e da economia, principalmente no que diz respeito às políticas públicas de inclusão social e econômica, que o tal traidor com a cara do Amigo da Onça, que vulgarmente responde pela alcunha de michel temer, que também poderia ser chamado vulgarmente de "o bárbaro interino com verniz de aristocrata e espírito de golpista e traidor", já começou a implementar, sem ser portador de quaisquer votos, o que é inaceitável. O Brasil e o povo brasileiro nesses próximos seis meses comerão o pão que o diabo amassou. As primeiras ações desse golpista sem moral para ser obedecido e aceito pela sociedade brasileira são de deixar as pessoas que tem um mínimo de discernimento e sensatez de bocas abertas.

temer é um "presidente" interino espúrio, sorrateiro, ilegítimo e usurpador. Trate-se, sem dúvida, de um traidor da pior espécie. A história reservará um lugar sombrio para tal figura lúgubre e moralmente comatosa. Politicamente não passa de um vassalo desprovido de voto e de aceitação pública para impor o programa de governo derrotado quatro vezes nas urnas e determinado pelos seus chefes de Wall Street, da CIA, da Secretaria de Estado do governo estadunidense e dos plutocratas deste País, à frente dessa massa de golpistas criminosos e usurpadores os coronéis midiáticos, donos da imprensa historicamente golpista e corrupta, além da Fiesp, Firjan, associações comerciais dos grandes estados da Federação, dos latifundiários gigolôs de vacas, além de servidores públicos que ocupam cargos de poder e mando.

Servidores que se prestaram a este terrível e desprezível papel de se associarem ao golpe de estado travestido de legal e estabelecidos no STF, no TSE, na PGR, no MPF, na PF e nas varas de primeira instância, a exemplo do juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, dentro outros que não se comportam como magistrados, mas como coxinhas despolitizados e deslumbrados, além de amantes de Miami e do Pateta de Orlando, exemplificado no lamentável juiz do DF — o Catta Preta. Iguais a este tem várias espécimes, que estão por aí a tratar a Justiça como se fosse apenas uma profissão e cargo que conquistaram por meio de concurso público, mas, pequenos burgueses e sem conhecimento das agruras e dores da sociedade, atuam e agem com desconhecimento das realidades humanas e totalmente inseridos em um mundo cujo o contexto se resume à leviandade e à futilidade das colunas sociais.

Lamentável como se comportou grande parte dos juízes e promotores deste País a se associar a um golpe de estado promovido por malandros e canalhas, que tomaram a Presidência da República de assalto para impor um programa econômico antinacional, antidemocrático, antipopular e derrotado, ressalto novamente, quatro vezes nas urnas pela maioria do povo brasileiro. Programa tão escroto como os golpistas, desde os coxinhas despolitizados e de direita, que vão ainda chorar lágrimas de sangue, até os verdadeiros plutocratas, que financiaram e efetivaram o golpe de estado que humilha o Brasil e o coloca, desgraçadamente, em uma condição de República das Bananas, porque é habitado também por uma oligarquia bananeira.  

Usurpadores que chamaram o programa de governo a ser imposto, porque não foi aprovado pelas urnas, de "Uma Ponte para o Futuro", como se fosse um deboche de conotação terrorista, porque programa extremamente conservador, que suprime direitos, como os das empregadas domésticas, extingue ministérios de inclusão social e igualdade de oportunidades, que tratam ainda do combate a preconceitos e à violência contra as mulheres, gays, índios, negros, sem-terra e sem-teto, além de praticamente eliminar do Ministério da Reforma Agrária, que ficará do tamanho de uma simples repartição pública, ou seja, do tamanho politicamente minúsculo e desprezível do Golpista Usurpador, que vem a ser o Amigo da Onça — vulgo michel temer, que fez da conspiração e da traição seu ofício de fé.

Agora, vamos ver no que dará o golpe de estado bananeiro, que tem a cara dos coxinhas paneleiros golpistas e repletos de complexos de vira-latas, pois, irremediavelmente, colonizados e que odeiam o Brasil, os pobres e os negros. Vamos ver como essa gente medíocre se comportará quando o Governo dos corruptos e dos golpistas começar a tirar tudo na mão grande, pois quem assalta a democracia e o poder legitimamente e legalmente constituído é capaz de qualquer coisa, inclusive "roubar", "matar" e reprimir violentamente quem se insurgir contra a "nova ordem" imposta pelo establishment.

Vamos ver como acabará a aventura irresponsável dos ministros do governo espúrio e ilegítimo, que estão a ser investigados pela Lava Jato, bem como o tal de michel temer, "presidente" interino, pois o Usurpador Golpista, que não tem moral para pisar na calçada de sua casa, porque um traidor da grandeza de Joaquim Silvério dos Reis e de Fernando Henrique Cardoso — o Príncipe da Pirataria Neoliberal I —, que, além de vender o Brasil, também está envolvido neste trama golpista tão grave quanto às piores das infâmias de autorias da humanidade. michel temer é tão impopular e rejeitado que não haverá condições de ele ir às ruas ou simplesmente cumprimentar certo cidadão que sabe quem ele é e para o que veio.

O golpe de estado humilhou o Brasil e o governo ilegítimo do "presidente" Usurpador Golpista (vulgo michel temer) e arquiteto da vassalagem à grande burguesia já está a ser tratado pela imprensa internacional como pária. E assim será considerado por vários governos estrangeiros.  Um governo de assalto, sem moral e de Lava Jato, comandado somente por homens brancos, ricos, com certa idade e conservadores. O retrato ipsis litteris da casa grande brasileira, que deixaria o pensador Gilberto Freyre, autor de Casa Grande e Senzala, surpreendido e boquiaberto com tanta patifaria e desrespeito com a ordem democrática em pleno ano de 2016.

Realmente, um golpe infame para nunca ser esquecido pela História... Ainda tem muita água para rolar por debaixo da "Ponte para o Abismo do Inferno", que é o verdadeiro "Futuro" dos golpistas e de seus associados. michel temer e seus sequazes são ilegítimos. temer é chefe de um governo usurpador e espúrio. O Amigo da Onça não terá o respeito da sociedade brasileira e da comunidade internacional. Dai a temer o que é de temer! É isso aí.    


quarta-feira, 11 de maio de 2016

Dilma é deposta por um golpe espúrio e usurpador, Lula será preso e o pau vai comer

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

ESTE RECINTO  IMPRÓPRIO Á DEMOCRACIA E AO POVO  É A SUCURSAL DO INFERNO, OU SEJA, A "PONTE PARA O ABISMO" DO GOLPE DE ESTADO CAFAJESTE CONTRA DILMA ROUSSEFF, PRESIDENTA CONSTITUÍDA PELAS LEIS E PELO VOTO SOBERANO DO POVO BRASILEIRO.  O GOVERNO MICHEL TEMER É ILEGÍTIMO E ILEGAL, PORQUE ESPÚRIO, USURPADOR E VIOLENTO. 
"Objetivo real, não oficial, da Operação Lava Jato e deste impeachment (golpe) é bem simples: arrancar o "B" da sigla BRICS e colocá-lo no lugar de sempre, no "quintal" dos EUA, junto com as demais "Repúblicas das Bananas". Fernando Oliveira — Leitor do Blog Palavra Livre

Vamos deixar uma coisa bem clara: o golpe que faz do Brasil um pária aos olhos da comunidade internacional, que o deixa de joelhos perante os países poderosos e na humilhante condição de República das Bananas, é um ajuntamento de sediciosos e traidores da presidenta Dilma Rousseff da base do Governo Trabalhista, a incluir também os titulares de alguns ministérios, com a oposição de direita, derrotada eleitoralmente quatro vezes consecutivas e liderada pelos demotucanos do PSDB e do DEM.

O golpe de estado travestido de legítimo vai marcar o Brasil como um País não confiável, mas com um empresariado muito rico e poderoso que financia os políticos conservadores, que vão forçar, mais uma vez, o Brasil ficar refém dos ditames internacionais, a servir como uma gigantesca vaca onde a banca internacional e seus associados de outros segmentos da economia mundial vão mamar à vontade, como sempre fizeram no decorrer de séculos, a manter enorme parcela do povo brasileiro apenas como mão de obra barata, a ter o Brasil como uma grande fazenda exportadora de commodities.

É o que importa à burguesia dona da casa grande e subjugadora da senzala: vender carne de boi, soja e produtos de outras culturas agrícolas e de mineração, dentre eles o petróleo que, certamente, vai cair nas mãos estrangeiras, a começar pela alienação do Pré-Sal, a terceirização dos serviços públicos e a privatização das estatais que restaram da privataria tucana comandada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal I.

Dentre todos estes e outros assaltos a mão armada contra a Presidência da República, cujos golpistas se confundem com os assaltantes de bancos ou de pedestres, porque sociopatas e delinquentes, os maiores vão ser os que concernem aos inúmeros programas sociais que visam desenvolver a economia do Brasil e emancipar plenamente o povo, principalmente os milhões de brasileiros que jamais e em tempo algum participaram efetivamente como cidadãos quando estiveram a ocupar o poder presidentes e partidos de direita, a exemplo dos generais ditadores, de José Sarney, Fernando Collor e Fernando Henrique, somente para ficar nesses.

Com Dilma Roussef e Lula, o povo passou a ter visibilidade social e econômica, bem como pela primeira vez, após o Governo do estadista gaúcho, Getúlio Vargas, foi incluído no Orçamento da União. Esses fatores e realidades incomodaram e enfureceram de mais a burguesia e seus aliados da pequena burguesia (coxinhas de classe média), que se insurgiram em uma conspiração politicamente desastrosa, mas estrategicamente organizada, que, após a vitória eleitoral de Dilma em outubro de 2014, formaram um consórcio de direita, que se mobilizou de forma tão violenta, ao ponto de tornar impossível para a presidenta trabalhista governar.  

Retiraram de Dilma sua autonomia e autoridade presidencial, a humilharam diante de seus 54,5 milhões de eleitores, que também tiveram seus votos cassados por um punhado de canalhas que tomaram o poder de assalto por intermédio de um golpe midiático-jurídico-parlamentar. Esse consórcio de direita começou a colocar suas garras para fora a partir das manifestações de junho de 2013, sendo que, em 2014, fortaleceu-se para ir em direção ao golpe de estado, a ter ainda como apoio o TCU, o TSE e a PF, cujos servidores com cargos de poder e mando se associaram à sedição como piratas amotinados.

Os dois presidentes trabalhistas, que criaram o Portal da Transparência e que mais investigaram e prenderam corruptos e ladrões do dinheiro público, a fortalecer o Ministério Público Federal e a Polícia Federal, tornaram-se, de maneira surreal, os alvos desses mesmos órgãos, que jamais e em hipótese alguma acharam quaisquer corrupções ou malfeitos praticados por Lula e Dilma.

Lula está a ser investigado na Lava Jato, mas o juiz de província, Sérgio Moro, não tem provas para futuramente condená-lo, porque a verdade é que os procuradores do MPF e até aqueles medíocres de São Paulo, que o perseguem por ideologia e ódio de classe, não tem provas e a saída vai ser prendê-lo por delação feita por bandidos há muito tempo conhecidos por seus crimes pela polícia, que, desesperados, entregam até suas mães e filhos para saírem da cadeia da Vara do Moro.

O ex-presidente Lula somente será preso pelo "domínio do fato", como fizeram covardemente e perversamente com José Dirceu, um político combativo, ideológico e intelectualizado, que seria escolhido como um dos sucessores de Lula após o líder trabalhista terminar seu mandato presidencial. Lula não cometeu crimes e nem Dirceu, bem como José Genoíno, João Paulo Cunha e Delúbio Soares. Basta investigar suas posses pessoais e patrimônios. Está tudo lá. A PF, o MPF e os juízes do STF que os julgaram sabem disso.

A razão principal desse processo hediondo para o Estado de Direito e a democracia deste País é a luta política; e os servidores públicos dessas instituições e corporações do sistema judiciário escolheram lado e partido político, porque são ideológicos, militam no campo da direita, e, consequentemente, partidarizaram-se e passaram a judicializar e a criminalizar a política, o Governo Trabalhista  e suas principais lideranças exemplificadas e simbolizadas em Lula e Dilma.

Quando o Judiciário se partidariza, o que se pode esperar de suas principais autoridades é a injustiça e a covardia. Realidade esta que ocorre, agora, no Brasil por meio de um golpe de estado mal disfarçado contra Dilma Rousseff, pois dissimulado para inglês ver, assim como contra seus milhões de eleitores e a democracia. Os traidores e usurpadores do poder jamais serão esquecidos, a exemplo dos golpistas de 1964, porque as pessoas não são tão desmemorizadas, como gosta de apregoar a mentirosa "elite" deste País, quando diz que o brasileiro não tem memória, a fim de que ele esqueça de seus crimes.

Para confirmar o que assevero, lembro aos cretinos e patifes apoiadores e cúmplices de golpes, que o  povo sabe até os dias de hoje, por exemplo, que Getúlio Vargas é o responsável pelas garantias sociais e trabalhistas. Além disso, a História funciona como uma grande peneira das sociedades, porque ela é letra fria, livre de paixões e, cientificamente, amante da verdade.

Porém, voltemos a Lula. O ex-operário, um dos fundadores da CUT e do PT, fatos históricos que também alimentaram o ódio e o rancor da burguesia contra o líder petista,  não se sujaria como se suja o grande empresariado tupiniquim por dinheiro, vaidade e luxúria. Pelo contrário, quem estão a ser acusados por delatores são os golpistas do PMDB, do PSDB, do DEM, do PP e de outros partidos menores, como o SD do Paulinho da Força, que um dia, certamente, vai receber o quinhão dele em forma de cadeia.

Paulinho (não sei como "trabalhadores" aceitam sua "liderança") responde a inúmeros processos e inquéritos, como muitos outros parlamentares da oposição de direita e empresários filhotes do Pato Amarelo, corruptos, levianos, sonegadores de impostos e de multas (Alô, alô, HSBC e Zelotes!). Essas coisas vão ficar claras e nítidas com o decorrer do tempo, e veremos que são os verdadeiros ladrões, corruptos e corruptores.

Entretanto, este golpe pegou muito mal e, novamente afirmo, vai servir também para prender Lula, que, preso, sedimenta ainda mais sua imagem de mito; e, solto, fortalece sua imagem e passa a ser, de fato, o principal protagonista das eleições de 2016. A verdade é que Lula, a direita a querer ou não; o status quo a reconhecer ou não, é uma força da natureza tanto quanto política. Lula, cada um em sua época, tem o tamanho político e social de Getúlio Vargas, só que ele não vai se suicidar, porque "Não vem ao caso!", não é juiz Sérgio Moro?

A prisão de Lula interferirá imensamente na política brasileira, que já está a ser observada pelos principais organismos internacionais do mundo com imensos telescópios, sendo que a OEA já está de corpo presente no Brasil. É como disse, com precisão, o leitor do Blog Palavra Livre, Fernando Oliveira: "Objetivo real, não oficial, da Operação Lava Jato e deste impeachment {golpe} é bem simples: arrancar o "B" da sigla BRICS e colocá-lo no lugar de sempre, no "quintal" dos EUA, junto com as demais "Repúblicas das Bananas". Ponto.

O leitor falou a grosso modo, porque certamente ele sabe e muita gente também que existem incontáveis questões para o golpe criminoso. Porém, recolocar um País poderoso do tamanho e da importância do Brasil, que é a sétima economia do mundo, no círculo de influência do Estados Unidos é um dos grandes sonhos das autoridades yankees, que, propositalmente omissas e negligentes, calaram-se perante o golpe, porque querem retomar a influência que sempre os beneficiou, no mínimo, dois séculos.

Por sua vez, a casa grande provinciana, colonizada e vergonhosamente subalterna aos interesses estadunidenses, não se faz de rogada e deixa suas digitais eternamente no ambiente do crime, que é o golpe contra os interesses de um vida melhor para a Nação brasileira. Os golpistas chafurdam na lama fétida de um chiqueiro antigo. Eles são irremediavelmente subservientes, sendo que o sonho maior dos canalhas golpistas é transformar o Brasil em uma província dos Estados Unidos, ou seja, transformado em um pária bananeiro de grandeza internacional.

Pobre do País que tem uma classe dominante vulgar, sórdida, entreguista e de alma colonizada e espírito de porco como a brasileira. Nunca esses bananeiros provincianos pensaram o Brasil. Eles são simplesmente incompetentes e tratados, humilhantemente, como párias submissos pelas casas grandes dos países desenvolvidos.

Esses golpistas bárbaros de hoje e de ontem nunca foram respeitados pela gringada colonialista, como ela  respeitou Getúlio Vargas e Lula. Fantoches sem vergonha na cara, e, sobretudo, apátridas, podem até frequentar os salões da estrangeirada rica e poderosa, mas dela jamais terá respeito. E por quê? Respondo com outra pergunta: "Alguém pode respeitar aqueles traem seu País e seu povo?" Golpe criminoso tem preço, até porque não é revolução. A Casa Grande brasileira tem um QI de macaco e a leviandade e a irresponsabilidade de um Temer-Cunha-Aécio ou vice-versa. Contudo, peço desculpas aos macacos. É por aí...

Pode-se falar tudo dos dois presidentes trabalhistas, Getúlio e Lula, menos que eram subalternos e subservientes, porque a verdade é que eles, nacionalistas, nunca foram cooptados pelo establishment, que vem a ser a plutocracia nacional e internacional. Tanto é verdade que o primeiro se matou e o outro poderá ser preso, mas sem fugir e tergiversar quanto à sua condição política de momento, além do peso político que vai ter de carregar nas costas, porque um dos principais protagonistas da história do Brasil em todos os tempos.

Para finalizar, quero dizer que as coisas não vão ficar tão calmas como aparentemente estão e se apresentam, como o dia de hoje, o dia do golpe dos bárbaros. A parcela contrária ao golpe e inimiga da direita usurpadora e golpista ainda está a passar por um processo de letargia e ainda surpresa, como se estivesse a digerir ainda esse processo infame, para ter uma maior compreensão dos acontecimentos em relação ao golpe de estado orquestrado por cafajestes e malandros.

Picaretas que tomaram de assalto o poder, rasgaram a Constituição e desrespeitaram, solenemente, quase 55 milhões de eleitores. Ainda vai ter porrada nas ruas, e, certamente, Michel Temer — o Amigo da Onça Usurpador — e a corja de direita que o acompanha vão governar em um ambiente sem estabilidade política e institucional, porque próceres de um governo ilegítimo e antipopular. A "Ponte para o Futuro" dos golpistas vai quebrar e levar a todos para o abismo do inferno. Temer não vai ter paz para governar. O Amigo da Onça é chefe de um governo espúrio com digitais criminosas. O pau vai comer. Quem viver, verá. É isso aí.