Google+ Badge

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Seu nome é Michel Temer: o pária, o golpista e o traidor que humilha e envergonha o Brasil

Por Davis Senas Filho — Palavra Livre


"Ainda que a traição agrade, o traidor é sempre odiado". (Miguel de Cervantes)

"Michel Temer é tratado como Michel Temer no Brasil e no exterior, ou seja, um pária que todo mundo despreza, pois o bastardo do povo brasileiro, com apenas incríveis 2% de aprovação, praticamente a mesma porcentagem negativa de Lula, que foi de 3%, mas 97% de regular, bom e ótimo de quando saiu no fim de seu mandato de oito anos, um fenômeno mundial o Lula, que teve aprovação acima dos índices do líder mundialmente conhecido Nelson Mandela.

Esta realidade gerou muito ódio no Brasil, principalmente às classes médias coxinhas e aos ricos e seus representantes no mundo empresarial,  político e jurídico. Lula, na verdade, está a ter o seu governo vitorioso julgado, porque o governo que comprovou que as "elites" são mentirosas, pois quando conquistou o poder provou que o País tem jeito, tem vocação para ser potência como Nação, pois condição inerente ao seu tamanho geográfico e populacional.

Os governos petistas demonstraram, ipsis litteris, que a burguesia de índole escravocrata não desenvolvia o Brasil porque simplesmente não queria, e, para isso, escalava um bando de mentirosos de jornalistas e "especialistas" de prateleiras a falar de economia, diplomacia, relações comerciais, administração e finanças para esconder a verdade, porque dessa forma o status quo mantinha o controle (e ainda o mantém) sobre as riquezas brasileiras.

O mundo empresarial que luta para ter o controle do Estado nacional de perfil patrimonialista em suas mãos, a transferir o patrimônio e os recursos públicos à iniciativa privada, como o faz agora com violência e selvageria o desgoverno do delinquente *mi-shell temer, a ter os golpistas e fundamentalistas do mercado, Henrique Meirelles e Pedro Parente, como os destruidores da economia nacional e da Petrobras e do Pré-Sal.

Parente já deveria estar preso há muito tempo, se neste País os procuradores, delegados e juízes não ficassem a querer governar o Brasil sem a autoridade do voto ou das urnas, pois, juntamente com a imprensa de negócios privados mais corrupta do planeta, interditaram a política e a criminalizaram, mesmo a saber que a política é a única forma de uma nação se tornar civilizada e desenvolvida. Querem mandar por meio de canetadas.

Querem prender sem provas. Lamentável a que ponto chegou o Judiciário e seu principal sócio, a imprensa empresarial e familiar de magnatas bilionários, que jamais foram seriamente investigados sobre suas riquezas fabulosas, que são desconhecidas, inclusive, dos órgãos de fiscalização do Estado brasileiro, que foi tomado de assalto por uma quadrilha.

Togados e meganhas que hipertrofiaram o Judiciário, e, especificamente, a querer prender o ex-presidente Lula, que não cometeu crimes, a não ser o de governar o Brasil para valer. O sucesso do governo de Lula é o combustível que movimenta o ódio e a intolerância da burguesia incompetente e colonizada, cujas empresas sempre viveram a mamar as tetas do Estado, o mesmo que a casa grande vive a criticar para se dar bem.  

Lula e Dilma demonstraram tamanha mentira e, consequentemente, o Brasil cresceu como nunca, a incluir, no Orçamento da União, dezenas de milhões de brasileiros de todos os segmentos da sociedade, inclusive o acesso ao consumo de bens duráveis e imóveis. A partir desta constatação por parte da casa grande escravocrata e da classe média coxinha da pior estirpe, o ódio cresceu e deu no que deu: um golpe cucaracha e bananeiro de terceiro mundo, a cara dos coxinhas e de seus patrões ricos.

Os coxinhas foram às ruas para bancar os palhaços convocados pelas televisões, que fazem suas cabeças dignas de celerados, gerações após gerações. Agora eles estão em casa, com suas panelas caladas e camisetas amarelas guardadas, assim como o pato golpista e amarelo da Fiesp está a rir das caras de trouxas dessa gente ignorante e despolitizada, que está a engolir o PSDB, partido da burguesia e da pequena burguesia, em um abraço de afogados com o corrupto *mi-shell temer, aquele crápula que é considerado ladrão pela PGR e PF, além de ser tratado como pária pelas autoridades estrangeiras.

A exemplo de suas raríssimas viagens, como ocorre nesses últimos dias na Rússia e Noruega. Nada mais ou menos do que ser considerado golpista, mentiroso e irresponsável. *temer recebe o tratamento de político de ações deploráveis, porque um presidente, volto a ressaltar, pária, ilegítimo e usurpador, de um país de golpistas saídos diretamente dos porões de terceiro mundo, lugares de onde as conspirações golpistas tiveram suas origens no Brasil e na América Latina.

*temer já  garantiu seu lugar na lama fétida da história como traidor, o pior adjetivo de todos adjetivos negativos e desprezíveis da humanidade, como no Brasil vivem nesta humilhante e vergonhosa condição histórica, os nomes dos traidores da Pátria, Silvério dos Reis, Domingos Fernandes Calabar, Cabo Anselmo e Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal Golpista I —, aquele que vendeu o Brasil, implementou a diplomacia subalterna do "tirar os sapatos e abaixar as cabeças", bem como deu autorização para que o PSDB fosse um dos protagonistas do golpe de estado contra o Brasil, sua democracia e a presidente legítima e constitucional Dilma Rousseff.

*temer é o chefe do bando que tomou de assalto o Palácio do Planalto, como os bandidos tomam de assalto as ruas, os comércios e as residências do País. Ele foi tratado na Rússia e está a ser tratado na Noruega conforme ele é: pequeno, desimportante e subalterno. Porém, o que esse sujeito usurpador e golpista pensa que é? Evidentemente que, aos olhos da gringada que o trata como subserviente e submisso, tal indivíduo asqueroso, abjeto e odiado por 98% dos brasileiros não merece seu respeito, pois não se trata de um estadista, que se dá ao respeito e, portanto, não admirado e desconsiderado.

Então o que o político miúdo é? Respondo: o político de grandeza anã é provinciano e de direita à moda "reaças" de 1932, o feitor da burguesia, o capitão do mato da casa grande, o capacho dos banqueiros, o porta-voz dos infernos, que tira dos brasileiros para entregar aos governos estrangeiros e à iniciativa privada. Tal valete é o burguês de alma e pensamento colonizado. *mi-shell temer é valentão com os pobres e subserviente perante os ricos. Trata-se do usurpador que deu um golpe de Estado e que já entrou para a história como o presidente corrupto e  impopular; o odiado e tratado como pária e bastardo dentro do Brasil e no exterior. *temer é, sobretudo, o traidor!

O ilegítimo, o ilegal, o imoral, o denunciado, pois acusado de ser criminoso, de ter cometido inúmeros crimes comuns, constitucionais e institucionais, pois, indelevelmente, transgressor e violador. O cidadão inimigo da cidadania, porque totalmente inconsequente e irresponsável, que frequenta assiduamente o Código Penal, de acordo com a PGR e a PF. O líder de delinquentes processados ou que estão enjaulados nas cadeias. O chefe de um ministério apodrecido e o chefete e menino de recado da banca internacional e da decadente casa grande paulista e paulistana.

O receptador de malas recheadas com dinheiro sujo, ilegal, pois de propinas, segundo as denúncias e acusações oficiais. O testa de ferro, o preposto, o laranja, o presidente (sic) de fachada. O fantoche, o invejoso e o sorrateiro. O sujeito que representa os interesses do establishment, da burguesia tupiniquim, aquela medíocre e alienada que jamais e em hipótese alguma teve qualquer projeto de desenvolvimento para o Brasil e apreço pelo seu povo.

Trata-se daquele golpista que considera estar a conquistar avanços ao olhar pelo retrovisor. O político minúsculo. O anão moral e político. O diminuto e o ínfimo. O iníquo, o malévolo e o injusto. O perverso do programa ultraneoliberal "Uma Ponte para o Futuro (no Inferno)". O mentiroso, o ardiloso e o traiçoeiro.

A incompetência administrativa e a visão curta, rasa e estreita sobre relações internacionais, porque o desgoverno de *mi-shell temer é irremediavelmente provinciano e colonizado, o que o faz ser sectário, arrogante, pretensioso e preconceituoso, pois a criar muros ao invés de pontes.

*temer é apenas um "rato" veterano e já decadente de balcões de negócios, que vivia há quase 50 anos nos bastidores e nos porões da República, a negociar os negócios de seu grupo político, que tomou de assalto o poder em companhia do PSDB, cujos políticos são tão golpistas quantos os políticos de 1964, sendo que em um tempo que os tucanos não têm a desculpa da Guerra Fria, bem como o mau exemplo do passado não ensinou nada com coisa alguma aos tucanos que garantiram, sem sombra de dúvida, páginas desditosas e infames nos livros de história.

A sordidez como forma de fazer a nobre arte da política pelas mãos dos golpistas liderados por *mi-shell temer — o antidemocrático, o antinacionalista e o antipopular. O que mandou o Exército ir às ruas como se fosse a guarda pretoriana do arremedo de ditadorzinho de terceiro mundo. O golpista cara de pau que manda a polícia bater nos trabalhadores, nos servidores públicos, nos estudantes, nos professores e nos índios, porque chefe de um governo de direita, ilegítimo e violento.

O usurpador que leva à morte os trabalhadores do campo e, principalmente, os sem terras por seu desgoverno ser cúmplice e conivente com a repressão à sociedade civil organizada. O despótico aliado de prefeitos e governadores que expulsam, sistematicamente, as pessoas que se organizam para ocupar prédios abandonados nas grandes cidades, porque não possuem casas próprias e não têm dinheiro para pagar aluguéis, abaixo de muita porrada protagonizada por policiais e seguranças, além de serem vítimas de bombas de gás lacrimogêneo, gás de pimenta e ataques de cães.

Trabalhadores à mercê de todo tipo de ameaças garantidas por juízes, coronéis, delegados, promotores e pela tropa de policiais militares, que até hoje são doutrinados em suas escolas profissionais como se o Brasil vivesse ainda na década de 1970 — a década em que a repressão militar-policial chegou ao seu auge neste País, que oficialmente escravizou seres humanos por 388 anos!

A polícia estatal como ferramenta de repressão da casa grande. A guarda pública do patrimônio privado paga pelo contribuinte. O interesse privado a se sobrepor ao interesse público. Este é e sempre foi o Brasil, agora com mais força e evidência no desgoverno de *temer, porque completamente desprovido de subterfúgios para disfarçar a repressão e a distribuição patrimônio nacional e dos estados e municípios à iniciativa privada, que suga de canudinho o dinheiro e o patrimônio públicos.

Toda essa malévola realidade em benefício dos privilégios da burguesia mais pusilânime, colonizada e vazia de propósitos do planeta, porque irremediavelmente entreguista e psicologicamente pária e subalterna. Simplesmente não se importam com a autonomia e independência do País, que permitam e viabilizem seu desenvolvimento e, com efeito, defendam os interesses nacionais e estratégicos do País.

Já disse em outros artigos, mas não custa nada relembrar: o inimigo do Brasil não é externo e, sim, interno. A história comprova. Ponto. A casa grande e seus coxinhas amestrados e despolitizados são os inimigos do maior País da América Latina e um dos mais importantes do mundo até a deposição de Dilma Rousseff, golpe que, inquestionavelmente, transformou o Brasil em um republiqueta bananeira com a cara de nossas "elites" colonizadas, em pleno século XXI, no ano de 2016.

E lá se vai o Amigo da Onça, o traidor, o usurpador a viajar pela Rússia e a Noruega, como se nada tivesse acontecido e a acontecer neste País que está em guerra e, irrefragavelmente, dividido desde junho de 2013. São exatos quatro longos anos. Não se trata de uma crise político-institucional qualquer. É a mais grave da história do Brasil moderno, porque ocorre em um momento que o País se preparava para combater a crise internacional no governo legítimo de Dilma, o que ocorreria sem sobressaltos radicais, pois um País que institucionalmente não está em crise tem maior chance de combater mazelas econômico-financeiras. Todo aprendiz de economista, administrador e contador sabe disso.

Hei de lembrar que o desemprego nos tempos de Dilma Rousseff era de 4,2% e no desgoverno do golpista que paga mico no exterior, que incomoda, constrange e irrita mandatários legítimos, como o presidente russo, o rei e a primeira-ministra da Noruega, atingiu os incríveis 13,7%, o que significa 14,4 milhões de desempregados, fora a economia informal. *temer e a política econômica de seu desgoverno é indiscutivelmente um fracasso retumbante.

O ambiente e o clima no Brasil são de baixíssima estima, desesperança, ódio, intolerância e fadiga, porque não há mais energia e propósitos para que o País se pacifique. A economia, em 2014, estava estável, apesar do recrudescimento da crise internacional e de algumas mudanças de cunho neoliberal efetivadas por Joaquim Levy, que caiu, pois se indispôs com os economistas desenvolvimentistas, com o PT, o PCdoB e suas bancadas.

A intenção era continuar, com poucas mudanças e alterações, a política econômica de Lula e do primeiro governo de Dilma, que privilegiavam o consumo, o mercado interno, os programas de inclusão social e as obras em todo o País, que, evidentemente, geraram empregos e desenvolvimento em todos os setores da economia, a criar ciclos virtuosos, que levaram o Brasil fortalecer sua economia e, consequentemente, ser admirado e respeitado pela comunidade internacional. Isto é história. É fato.

Entretanto, estamos a aturar um golpista mequetrefe, que destruiu a economia e interditou a democracia para criar um país apenas para ele e sua camarilha de bandoleiros, a incluir a imprensa de mercado, que tomaram a Presidência da República por meio de um golpe vergonhoso e que humilha profundamente o Brasil e os brasileiros, que combatem incansavelmente o golpe e não sossegam enquanto esse presidente ilegítimo, que está a vender o País seja retirado do poder para responder por seus crimes de lesa-pátria e de alta traição.

O lugar adequado a *mi-shell temer é a cadeia, a prisão — a jaula! Se o *mesfistófeles desse um golpe bananeiro na Noruega ou na Rússia, lugares onde ele cometeu gafes dignas de um provinciano sem noção que ele é e sempre foi, tal indivíduo odiado e desprezado por quase todos os brasileiros seria preso. Sem conversa!

Esse indivíduo e sua corja do balacobaco, que transformaram o Palácio do Planalto em um covil de predadores ou um ninho de cobras venenosas, são abjetos e irresponsáveis, porque ao desmontar o Estado nacional e tratá-lo como se ele fosse privado, obviamente que será muito difícil restabelecer o poder público e implementar novamente um estado de bem-estar social, como estavam a construir os presidentes Lula e Dilma.

A ordem é fazer com que fortalecer o Estado fique praticamente impossível, de forma que os interesses privados sejam concretizados. Trata-se de colonialismo e servilismo aplicados diretamente nas veias por esse monte de canalhas e sacripantas que arrebentaram com a economia do País e tiraram, a fórceps, a paz social e o sentimento de justiça. Sem justiça não há paz.

O País gigante que ficou minúsculo e ainda mais individualista com o *temer e a burguesia irresponsável que o apoia e agora está a amargar duros prejuízos em suas empresas comerciais e industriais, porque a economia, à frente o golpista e traidor Henrique Meirelles, afundou como o Titanic.

O Meirelles, ele mesmo, aquele testa de ferro de banqueiros, cuja aposentadoria é de R$ 250 mil e que durante quatro anos foi o principal executivo da JBS dos gângsters irmãos Batista. E a Friboi era do Lulinha... Durma-se com um barulho desse. Trata-se de cretinice, hipocrisia e cinismo sem limites. Somente a sociedade brasileira produz cretinos de tanta pequenez e com imensa vocação para a infâmia. Em profusão...

O elevado à condição de presidente(sic) pária e bastardo pela mesma imprensa golpista e de mercado que deseja ardentemente derrubá-lo do poder e, com efeito, garantir as eleições indiretas e ter tempo para encontrar qualquer candidatura que viabilize um político de direita competitivo. *temer representa, definitivamente, um governo sem o povo, porque desprezado e odiado por quase toda a Nação.   

O elemento (como diz a polícia) que, na verdade, é  execrável, a quem ninguém o leva a sério, a não ser a si próprio quando se olha no espelho. O sujeito que se mostrou desprovido de escrúpulos e que criou para si um mundo paralelo, onde ele se diverte no papel de presidente da República de um País rico e sem problemas, como se tivesse saído direto de um manicômio para egocêntricos que perderam totalmente a razão e a noção das realidades que se apresentam.

O Amigo da Onça vive como se fosse a Alice no País das Maravilhas e sai a viajar como um caixeiro viajante, a vender o Brasil sem ter moral, autenticidade, legitimidade, autoridade e o poder de convencer os russos e os noruegueses de que ele é sério, quando os mundos mineral, animal e vegetal sabem muito bem que ele não passa de um reles golpista de terceiro de terceiro mundo e porta-voz da casa grande brasileira, a mais atrasada, provinciana, colonizada e entreguista do mundo ocidental.

O *temer é o exemplo fidedigno do que é ser o fim da picada! Ele é a vergonha do Brasil. Ele representa e exemplifica as vergonhas, as desigualdades e as injustiças brasileiras. Ele acumula em si o significado, a realidade e a verdade de o que é de fato um País populoso e com um povo criativo e trabalhador, grande geograficamente, com terras, águas e subsolos ricos não ter conseguido se desenvolver por causa de uma casa grande que aposta no atraso e no retrocesso político, econômico e democrático para manter seus privilégios, receber benefícios e transformar o Estado nacional em estado patrimonialista, a servir aos interesses econômicos e políticos da burguesia e com o apoio da pequena burguesia — a despolitizada e a racista —, a que demonstra racismo na internet e na vida prática sem se envergonhar de sua ignomínia, de seu infame ato.    

O político nanico, o alquimista do nanismo social, o coveiro da economia, o entregador do patrimônio público, das terras férteis e agricultáveis, das águas e das riquezas do solo brasileiro. O interlocutor menor, o minúsculo, aquele que ninguém vê, considera e respeita, se tiver um pouquinho de juízo, pois saberia que jamais poderia levá-lo a sério.

*temer é um presidente pária,  isolado, cujo distanciamento da verdade e da realidade se converteu em sua matéria prima para governar. O estúpido governa como um biruta que pensa que é rei, mas está a viver de suas ilusões de ser considerado estadista. Ele é assim e assim ele procede. Suas mãos são ligeiras, não param, a exemplificar sua ansiedade que é intermediada por mentiras, que têm por finalidade mantê-lo, a todo custo, no poder. É só o que importa.

E seu trunfo para cometer os desatinos, as injustiças e as perversidades de sua fracassada e deplorável administração são as reformas do trabalho e da previdência. As usa como motivo maior para manter a quadrilha no poder e infernizar a sociedade brasileira, além de humilhá-la perante a comunidade internacional.  O simplório e provinciano golpista tem seus dias contados, porque não há mal que perdure, que dure para sempre.

O *temer é o mal. Seu desgoverno é o exemplo pronto e acabado do quão homens e mulheres egocêntricos, egoístas, ignorantes e descompromissados com a humanidade, com a sociedade e com o País podem desumanizar a política, sem se preocupar que é por intermédio dela que se alcança o mínimo de civilidade, justiça e paz. 


*mi-shell temer é o mal que será derrotado e, por sua vez, o Brasil, após superar tão longa e violenta crise, terá mais consciência do quanto é importante a democracia, o Estado Democrático de Direito, a Constituição, a preservação da ordem institucional no que tange aos Três Poderes e, principalmente, à obediência aos resultados das urnas soberanas — o respeito ao resultado das eleições. *temer é golpista, usurpador, ilegítimo e traidor. Seu lugar na história é no porão. É isso aí.  

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Lula e a Lava Jato, o porquê do golpe e o País dos hipócritas e cretinos

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Antes de tudo e qualquer coisa que aconteça no âmbito da Lava Jato e do Judiciário em geral, imperativo se torna dizer que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, investigado há 40 anos e perseguido pela direita do Judiciário e da Lava Jato sistematicamente e violentamente há três anos, não roubou e não cometeu atos administrativos de má-fé quando exerceu, com competência e determinação, o cargo de presidente da República. A verdade é que para a Lava Jato o crime de Lula foi governar e melhorar as condições de vida do povo brasileiro.

Afinal, até o mundo mineral percebe que juiz e procurador das estirpes de Sérgio Moro e de Deltan Dallagnol estão a fazer uma frente política e partidária cujo propósito maior é interditar a candidatura de Lula a presidente da República, bem como inventarão qualquer coisa, com o apoio irrestrito do Grupo Globo, o alicerce do golpe e que ganha os corações dos coxinhas para cometerem seus desatinos e irresponsabilidades em forma da política mais rasteira e corrupta que se possa viabilizar neste País.

O problema dessa gente togada e vazia de escrúpulos é que no futuro ela terá de responder criminalmente por muitos de seus atos, além de ter subordinado a Constituição e o Estado de Direito a seus interesses políticos, partidários e ideológicos, independente do combate à corrupção, que tem de ser realizado além de ser obrigação, apesar de seletivo e partidário por causa de suas ações persecutórias e temperadas por inúmeros atos ilegítimos de autoria de seus principais atores.

O foco principal de Moro e Cia. é insistir sempre na criminalização das ações governamentais de Lula, a culpá-lo, inclusive, dos atos administrativos do Governo Dilma, especificamente no que concerne à compra de aviões Grippen, da Suécia, sendo que existem técnicos civis e militares que decidem ou não sobre a compra de equipamentos tão sofisticados. Chega a ser uma imbecilidade e total desfaçatez de togados e meganhas que não sabem patavina sobre como funciona o Estado brasileiro, principalmente quando se trata da compra de aviões militares de combate.

É o fim da picada tamanha patifaria que se tornou visível à grande parte do público, que não se deixa enganar pela parceria dos patrões donos de mídias empresariais e historicamente contrárias aos interesses do Brasil com os operadores da Lava Jato, realidade que, ao que parece, os togados e os meganhas desconhecem, como Deltan Dallagnol e sua equipe sabem que os crimes praticados por Lula não existem, porque não ocorreram, como comprovou, sem sombra de dúvidas, o powerpoint leviano e mentiroso apresentado por tal procurador.

Sujeito que pensa ser um personagem bíblico, que empunha uma espada concedida por Deus, para que ele possa combater a corrupção, mas sempre a esquecer, convenientemente, dos tucanos do PSDB, do DEM, do PPS e até mesmo dos quadrilheiros, que tomaram de assalto o Palácio do Planalto para fugir da cadeia. A verdade é que a Lava Jato teve as pernas quebradas pelo Joesley Batista, da JBS, fato este que evidenciou que os homens e mulheres da Lei têm lado.

Como assim? Fácil verificar por meio da comprovação dos facebooks dos delegados aecistas, que xingavam o Lula e a presidente Dilma, porque defendiam a candidatura de Aécio Neves, que, ironicamente, poderá ser preso amanhã, dia 20 de junho. Nada como um dia após o outro, como também ocorreu com a deposição de Dilma para entrar em seu lugar um ladrão, o que deixou muito coxinha atônito e com cara de bunda. Realmente, o mundo gira, e vai girar para os seletivos, os perseguidores e os injustos da Lava Jato.

A verdade é que o juiz, os procuradores e os delegados da Lava Jato sempre souberam da corrupção do PSDB e de seus aliados, mas que eram blindados, porque o que interessava era enfiar o PT dentro da Lava Jato e jogar a chave fora, de forma que ao se aproximar as eleições o PT, as suas lideranças e os seus candidatos não tivessem chances de concorrer a cargos públicos e eleitorais quanto mais vencer as eleições municipais de 2016, o que ocorreu por causa das ações da Lava Jato com a parceria mais do que duvidosa dos magnatas bilionários de imprensa e seus empregados de confiança.

Contudo, a vida é feita de lutas e as realidades se compõem com as verdades por intermédio do tempo. Verdade e realidade são uma poderosa química, que evidencia o que está acontecer de tal forma que se torna impossível esconder o que não se pode mais esconder, que, no caso do golpe, o Estado brasileiro estava há muito tempo a ser dilapidado não somente pelos políticos, mas, sobretudo, por empresários bilionários, que jamais pensaram no Brasil e no seu povo.

Ainda não consigo compreender como os megaempresários dos meios de comunicação privados não são, resolutamente, investigados pelo Judiciário. Afinal, trata-se de bilionários que, evidentemente, não se tornaram bilionários porque são "competentes" e pegaram firmes no cabo da enxada. Os antigos já diziam: "Ninguém se torna bilionário somente com o trabalho árduo". E não tem como... O que acha o leitor?

A verdade é que o objetivo dos políticos de direita da Lava Jato é fazer com que o Lula não pare de se defender até chegar as eleições de 2018, de forma que ele não se concentre e não tenha paz para disputar o certame eleitoral, além de colocarem seu nome perenemente nas mídias conservadoras, de forma que o ex-presidente seja sempre desqualificado e desconstruído perante o público.

Tais togados perderam a credibilidade, porque acusam o Lula em várias frentes, com inúmeros depoentes e testemunhas, tanto da defesa quanto da acusação. Porém, todos os que depuseram, e são dezenas de pessoas que ocupam e ocuparam cargos de relevância na iniciativa privada e no setor público, disseram que não têm quaisquer conhecimentos de que o Lula tenha cometido crimes ou ilegalidades ou pedido propinas ou favores para benefício próprio.

E esses caras da Lava Jato não param com essa ladainha repetitiva, covarde e desavergonhada, como ocorre nos casos do triplex, do sítio, dos containers, do instituto, do apartamento alugado, do Carf, dos aviões Grippen, dos incentivos fiscais que beneficiariam as montadoras Caoa e MMC. Os últimos três casos, por exemplo, são de uma falta de provas que chega a ser surreal ou tresloucado, o que denota, sem sombra de dúvida, a que ponto podem chegar servidores públicos que se tornaram, equivocadamente, políticos, pois ainda o são indelevelmente ideológicos.

O juiz Sérgio Não Vem Ao Caso Moro ainda não entendeu que as vísceras da Lava Jato ainda serão abertas, de maneira que a história do Brasil seja escrita de forma verídica e sem rodeios. Moro ainda terá de explicar sua atuação nos Estados Unidos junto a órgãos do governo, a quebra proposital de empresas brasileiras multinacionais em nome do combate à corrupção, além dos crimes cometidos contra os advogados de Lula, ao fazer escutas ilegais para saber o quê a defesa do ex-mandatário planejava como estratégias para defendê-lo.

Moro cometeu crimes ao divulgar o áudio entre Lula e Dilma ainda presidente, divulgou o áudio de conversas entre os membros da família de Lula, mandou invadir a casa do político petista, recolheu objetos e pertences, levou Lula coercitivamente a um aeroporto de São Paulo, a trancafiá-lo em uma sala para que o ex-presidente respondesse a perguntas de delegados, muitas delas idiotas, que ele já tinha respondido "quinhentas" vezes, além de outras selvagerias próprias dos fascistas, como, por exemplo, o fechamento de Instituto Lula por parte de um juizeco substituto de quinta categoria, que nem vale a pena citar seu nome.

O magistrado de primeira instância e provinciano, que, imprudente e pretensioso, frequenta convescotes de patrões de mídias privadas e de tucanos, que são inimigos dos políticos que tal juiz se acha apto a julgar, bem como é o maior responsável, juntamente com o tenebroso juiz Gilmar Mendes, pelo impedimento político de Lula de assumir a Casa Civil, quando Moro divulgou os áudios entre Dilma e Lula, conforme já relatei.

Dilma era a presidente legal e constituída e Lula um cidadão pleno de seus direitos foram impedidos de governar e de assumir cargo público, pois o juiz do PSDB do Paraná e o juiz do PSDB do Mato Grosso sabiam que Lula iria lutar para reagrupar a base parlamentar de Dilma, que estava esfacelada, porque se tratava de retaliação contra uma presidente, que, republicana, não permitiu a corrupção e não interferiu no MPF, na PF e na Lava Jato, de tal forma que os procuradores da Lava Jato, dentre eles o Carlos Fernando dos Santos Lima, afirmaram em público que os governos petistas foram os que deram condições para se combater a corrupção endêmica e secular que ocorre na sociedade e no Estado brasileiro.

Obviamente que o futuro sempre chega para todos os viventes, inclusive para os intocáveis da Lava Jato, pois quando acabar essa bagunça da qual togados e meganhas de segundo e terceiro escalão se aproveitam de seus cargos públicos pagos a preços de ouro pelo contribuinte brasileiro para fazer política e escolher lado partidário e cor ideológica, simplesmente passa a ser necessário, após toda a miscelânea que desordenou o Brasil, reordenar o sistema Judiciário, que realmente urge que ocorra uma profunda reforma desse Poder tão importante para o Brasil, o Estado Democrático de Direito e a democracia.

O problema é que o Lula, após três anos de intensas investigações, além de perseguições de carácteres sórdidos, volto a ressaltar, não cometeu quaisquer crimes e por isto nada, mas nada mesmo foi provado e comprovado pela PF e pelo MPF contra o maior político da história do Brasil, na companhia do estadista gaúcho Getúlio Vargas. O juiz Moro e os procuradores não sabem mais o que fazer, mas terão de fazer, mesmo sem provas, qualquer covardia que impeça Lula de ser candidato em 2018.

Esta é a principal missão dada à Lava Jato, que trabalha em sintonia com os interesses do establishment norte-americano e da casa grande brasileira, que é e sempre foi subordinada e subserviente à gringada colonialista. Dentre todas as responsabilidades da Lava Jato, no que é relativo às ações políticas e ideológicas em nome do combate à corrupção, a mais importante é interditar a candidatura de Lula e facilitar, no decorrer das eleições de 2018, a ascensão de uma candidatura de direita. As eleições deveriam acontecer já em 2017, a fim de pacificar a sociedade brasileira e se efetivar a retomada do desenvolvimento econômico e social.

O problema é que a direita está despedaçada porque está dividida e a brigar de forma feroz como evidencia a realidade, a exemplo da luta entre o oligopólio golpista liderado pelo Grupo Globo e o governo do usurpador e traidor *mi-shell temer, que é considerado um presidente pária e bastardo pela comunidade internacional, mas que tem o apoio dos jornais Estadão e Folha, dentre outras empresas midiáticas de menor influência, além de setores da sociedade conservadores e até de extrema direita, que são influentes e muito barulhentos, que estão a apoiar o deputado fascista, Jair Bolsonaro, bem como são favoráveis à permanência do corrupto *mi-shell temer no poder.

A candidatura da direita brasileira está suspensa no ar, e até o momento não tem um nome competitivo, que, independente de tê-lo ou não, amargará nos debates a pecha de golpista, entreguista e contrário aos pobres, queira ou não o candidato escolhido por aqueles que afundaram a economia brasileira e humilharam o Brasil, que ficou com sua imagem desgastada, pois considerado uma republiqueta bananeira e colonizada, cuja parte da população é portadora de um gigantesco complexo de vira-lata, apesar do tamanho geográfico do País, de sua enorme economia e população.

É sempre de bom tom repetir que as eleições, já em 2017, seriam fundamentais para que o Brasil pudesse estancar a crise político-institucional e, por sua vez, sacramentar ou consagrar um novo contrato social, que pacificasse a Nação, pois a Constituição e o Estado Democrático de Direito foram violados pela casa grande de índole e alma escravocrata e que odeia o Brasil e seu povo.

Sendo assim, o presidente eleito e sua equipe teriam autoridade institucional e administrativa, porque legitimados eleitoralmente pelas urnas, que, de acordo com a Constituição em seu Artigo 1º: "A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos: Parágrafo único. Todo o poder emana do povo, que o exerce por meio de representantes eleitos ou diretamente, nos termos desta Constituição".

A direita sabe e compreende que o procurador-geral, Rodrigo Janot, humilhou os tucanos togados da Lava Jato. Em um tempo de três meses, conseguiu inúmeras provas e muito mais contundentes e sólidas contra os políticos do PSDB, sendo que em três anos os procuradores e delegados pirotécnicos jamais conseguiram incriminar o ex-presidente Lula pelo simples e objetivo fato de que o líder trabalhista não cometeu crimes.

Pelo contrário, a falta de provas faz com que a população perceba ou sinta que Lula está a ser perseguido e injustiçado, enquanto os tucanos foram pegos com a boca na botija. Esta é a verdade, porque a verdade se baseia em provas. Ponto. Lula já obteve inúmeras vitórias no âmbito da Lava Jato, a se defender e a comprovar que não cometeu crimes, como também não os cometeu a ex-presidente Dilma Rousseff.

Os tribunais estão a atender a defesa de Lula, que se baseia na verdade dos fatos. Os desembargadores não estão a tergiversar quanto aos fatos e as provas. Não se trata da Justiça à moda juiz Catta Preta, que, em indisfarçável leviandade, saía às ruas, em Brasília, a favor do golpe contra a Dilma e depois julgava casos de relevância política em primeira instância, bem como afirmou que a queda de Dilma seria boa para ele viajar mais vezes a Miami. Tal juiz tresloucado e alienadamente coxinha poderia ir também a Orlando para visitar o Mickey e bancar o Pateta. Afinal, esses dois famosíssimos personagens são inseparáveis amigos.

Todas essas questões entrarão para a história e todos nós, cidadãos brasileiros, de certo modo ou maneira, somos testemunhas da história do Brasil neste período tão conturbado, que dividiu, insofismavelmente, a sociedade brasileira. Se o Judiciário e o consórcio de direita de caráter escravocrata e golpista impedirem Lula de concorrer às eleições presidenciais de 2018, o Brasil será alvo de uma derrocada econômica e social que pode levá-lo francamente a uma convulsão de cores explosivas sem igual em toda sua história.

O candidato das forças democráticas e populares ser impedido de se candidatar seria o fim da democracia brasileira e do Estado de Direito. Então é melhor fechar o Brasil para vivermos realmente e sem disfarces em uma ditadura a serviço dos interesses privados, com o beneplácito e a cumplicidade do Judiciário, à frente o Supremo Tribunal Federal (STF), o que seria a página mais sombria e desditosa da história da República, pois o golpe de estado de 2016 conjura com esta condição que irremediavelmente humilhou o Brasil.


Luiz Inácio Lula da Silva é candidato a presidente pelo Partido dos Trabalhadores, porque ele é cidadão que contra sua pessoa nada se provou, bem como o PT é o partido mais importante da história do País, além ser intrinsecamente e organicamente ligado aos interesses, às forças e às vozes populares, como comprovam seus 13 anos de governo, apesar de todos seus erros e acertos. O Brasil não pode continuar a ser refém de hipócritas e cretinos. Lula é candidato em 2018. É isso aí.

terça-feira, 13 de junho de 2017

Globo, PSDB, STF e coxinhas: tomem que o filho (Temer) é vosso! — Tucanos desmoralizados

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"Quem pariu Mateus que o embale!" (Ditado popular)

O grupo Globo, dos três irmãos Marinho, está desesperado e ataca sem trégua o golpista e usurpador *mi-shell temer e sua escória aboletada ilegitimamente no Palácio do Planalto, como se não tivesse nada com isso, ou seja, com o golpe de estado cucaracha e terceiro-mundista travestido de legal e legítimo contra a presidente constitucional Dilma Rousseff, eleita democraticamente.

O Grupo Globo sempre foi golpista e dessa forma se conduziu e se comportou em sua história, sendo que, no decorrer de 40 anos, ficou em silêncio sobre sua participação em inúmeros golpes promovidos pela direita, principalmente no que concerne à quartelada de 1964, quando, na maior cara de pau, pediu desculpas mequetrefes e desprovidas de sinceridade por ter participado, com ênfase, do golpe civil-militar de 1964, bem como apoiado seus casuísmos, arbitrariedades e crimes.

Por sua vez, quem nasce escorpião sempre será venenoso e jamais deixará de ser escorpião, porque bastou apenas verificar a possibilidade de efetivar novas oportunidades para novamente envenenar o Brasil e humilhá-lo, a família Marinho e seus asseclas começaram novamente a cooperar, e muito, para deixá-lo mais uma vez na condição de republiqueta bananeira perante a comunidade internacional.

A resumir: as Organizações(?) Globo, que é politicamente malandra, resolveu se autodenominar pela alcunha de "Grupo" e se tornou, mais uma vez, no principal alicerce promocional do golpe de estado, a fazer campanhas político-ideológicas diuturnamente, sistematicamente, sem dar tréguas ao PT, à Dilma e ao Lula, até que a presidente legítima fosse derrubada por um golpe, que teve a participação de um consórcio de direita.

Um consórcio ultraconservador e altamente reacionário, violento e entreguista, cujos membros são a imprensa de negócios privados, o Judiciário (STF, PGR-MPF e PF), a Fiesp/CNI, o Congresso mais conservador de todos os tempos, além dos coxinhas tresloucados e despolitizados de classe média, que deram e estão a dar tiros nos pés contra seus próprios interesses.

Os coxinhas analfabetos políticos e irresponsáveis, sendo que muitos agiram de má-fé, pois movidos pela luta de classe e por seus preconceitos inerentes às suas perversidades, leviandades e intolerâncias. Eles ajudaram a colocar uma verdadeira quadrilha na Presidência da República, a ter como chefe de máfia um presidente ilegítimo, pois golpista, usurpador e, desditosamente, traidor, não somente de Dilma, mas também do País, pois os golpistas rasgaram 54,5 milhões de votos e invalidaram o contrato social formatado, formalizado e assinado pela Constituição de 1988.

Por este motivo, dentre os inúmeros motivos, a sociedade brasileira está severamente dividida, pois em conflito permanente desde 2013, quando se iniciaram as primeiras manifestações promovidas pela direita, com o apoio visível e nítido das mídias privadas, principalmente do Grupo Globo, que fomentou o emparedamento do Governo Dilma e agora dá uma de "João sem braço", como se não tivesse nada com o golpismo bananeiro, a fim de descartar seu pupilo do poder, o tenebroso *mi-shell temer e sua camarilha, que está a ser denunciada e presa, independente de prazo e tempo.

O Grupo Globo é o maior responsável pelo clima de radicalização política e de ódio de classe e ideológico que está a varrer o Brasil e a dividir a sociedade brasileira, como ocorreu com a jornalista Miriam Leitão, um dos jornalistas de confiança da família Marinho, que foi hostilizado dentro de avião por causa de sua postura pró-golpe desde sempre.

A mídia golpista e conservadora vai agora se aproveitar desse lamentável episódio, mas a verdade é que inúmeros jornalistas dessa empresa midiática privada já foram hostilizados ao ponto de somente fazerem a cobertura das manifestações da esquerda em cima de prédios ou a voar de helicóptero, só que a maioria não pertence ao pequeno núcleo de empregados da Globo que é considerado de "ponta", quando a verdade é que o jornalismo de esgoto e manipulador das empresas Globo é também o responsável pelo golpe de estado que aconteceu mais uma vez no Brasil. Ponto.

E deu no que deu: a tomada do poder de assalto pelo presidente (ilegítimo) mais impopular da história do Brasil, com vocação real para ditador e que há décadas, como se comprova agora, locomove-se com desenvoltura, junto com seu bando de facínoras, pelos subterrâneos da política, que se traduz em um lodo de corrupção e crimes de toda a monta e espécie. Tal presidente é tão rejeitado como se fosse um leproso dos tempos antigos, pois tratado como um ser pária pela comunidade internacional por se tratar de um abjeto golpista.

O usurpador *mi-shell temer, o denunciado e acusado de cometer crimes em série, como se fosse um sociopata a delinquir sem parar, a ter como cúmplice o PSDB dos tucanos, o parceiro de seu crime institucional e antidemocrático, fato que faz, indelevelmente, o PSDB entrar nas páginas da história como partido golpista e que mais uma vez, agora sem ter vencido as eleições, efetiva suas políticas ultraneoliberais rejeitadas quatro vezes pela população, assim como contrárias aos interesses do Brasil e dos trabalhadores e estudantes, que compõem a maioria da população.

Políticas econômicas draconianas impostas a fórceps e sem a força e a legitimidade das urnas e que, consequentemente, propicia o desmonte do Estado brasileiro, a concentrar riqueza e renda e a interditar por várias décadas o processo de desenvolvimento do Brasil, com o congelamento de investimentos em saúde e educação por 20 anos, além de extinguir ou paralisar programas estruturais estratégicos e os de inclusão social, a desproteger o mercado interno e, com efeito, elevar os índices de desemprego.

Tudo isto aconteceu para que a casa grande e seus apaniguados dessem um golpe, porque, irremediavelmente, as "elites" brasileiras possuem carácteres antidemocráticos, antinacionalistas e antipopulares. A destruição da economia por parte da direita foi proposital, e se deu início quando a presidente, Dilma Rousseff, deposta por um golpe terceiro-mundista, ficou impedida de governar, de tocar a economia, porque não conseguia aprovar nada na Câmara e no Senado, além de ter de enfrentar manifestações constantes de coxinhas tresloucados e estúpidos, mas manipulados pelas grandes mídias de mercado.

Coxinhas que, irremediavelmente, ainda estão a ser influenciados pela lavagem cerebral das mídias privadas e inimigas de todo e qualquer presidente trabalhista que ocupe legitimamente a cadeira da Presidência da República, conforme demonstra, irrevogavelmente, a história deste País, onde empresas midiáticas oligopolizadas e pertencentes a magnatas bilionários agem, inacreditavelmente, livres para desestabilizar governos eleitos pelo povo, principalmente os trabalhistas, pois a finalidade é efetivar golpes e, por seu turno, terem seus interesses políticos e econômicos concretizados.

O Brasil necessita, urgentemente, da efetivação de um marco regulatório para o setor midiático, como fizeram todos os países considerados desenvolvidos e que as "elites" colonizadas deste País tanto gostam e admiram, contanto que tal regulamentação e regulação não aconteça no Brasil. Sabe como é que é, né? A casa grande tupiniquim ruge como se fosse uma tigresa dentro do território nacional, mas se comporta como uma gatinha com complexo de vira-lata, a miar para agradar seus donos e patrões, que são os governos e o empresariado dos países desenvolvidos europeus e, principalmente, dos Estados Unidos.

O Brasil chegou a um ponto de autodestruição e autoflagelação, que obrigatoriamente a sociedade brasileira terá de ser seriamente estudada pelos antropólogos, sociólogos, historiadores, psiquiatras e psicanalistas. De um País que até o ano de 2013, apesar de seus problemas sociais e econômicos, estava a conseguir se equilibrar, a ter um rumo em direção ao desenvolvimento e se mantinha institucionalmente estável, tornou-se um País ingovernável e em conflito permanente.

País cuja população se encontra com a autoestima tão baixa que tudo o que se faz não dá certo, porque os maus fluídos e a má vontade, bem como o clima de discórdia e ódio que se observa na Nação impossibilita quaisquer diálogos e negociações políticas. Golpe é golpe e nunca dá certo, porque a sociedade se fragmenta, seja no Brasil ou no exterior. A única solução para pacificar o País é a eleição direta e a regulamentação total dos itens da Constituição, que os políticos da casa grande sempre a impediram no Congresso.  
Os eleitores que Dilma e parte majoritária da população, que dão índices altíssimos a Lula por meio das pesquisas de opinião jamais aceitaram e aceitarão o golpe da casa grande e a anulação de seus votos, que chegam a quase 55 milhões de votos, pois simplesmente inaceitável. A população brasileira, definitivamente, não é representada apenas pela classe média, que, irresponsável como a classe média de 1964, foi às ruas para apoiar o golpe criminoso dos ricos, até porque esta mesma classe, que acredita ser patroa, mas que é realisticamente empregada, até então já tinha perdido quatro eleições consecutivas e, sendo assim, novamente optou por apoiar um golpe que tem a sua cara: a cara do coxinha despolitizado mas preconceituoso, que vai a Orlando visitar o Mickey para bancar o Pateta...
  
E agora vivemos de mentiras, a exemplo dos índices manipulados do desemprego, que são muito maiores do que os 13 milhões de pessoas em idade produtiva, conforme as estatísticas oficias. A verdade é que são mais de 20 milhões de desempregados, realidade que pouco importa ao governo de bandoleiros e ladrões, porque o que realmente importa aos déspotas e golpistas é entregar o pacote determinado pela banca financeira (bancos) internacional e nacional, que se traduz, fidedignamente, na transferência do patrimônio e dos recursos públicos à iniciativa privada. *mi-shell temer é o gerente dessa banca, que transformou a Presidência da República em uma gigantesca agência a serviço do sistema financeiro internacional e nacional.

Por isto que a queda e a prisão de *temer são questões complexas, inclusive para o Judiciário burguês, porque tal indivíduo sem limites defende os interesses do establishment mundial, que é o responsável por manter o status quo das classes privilegiadas deste País. As classes que secularmente usurpam o Estado em seus proveitos próprios, pois que o setor público se torna patrimonialista para beneficiá-las, bem como os  pobres ficam novamente à margem do orçamento da União, como sempre.

Somente são incluídos no orçamento por meio de raros interregnos, quando presidentes trabalhistas chegam ao poder pelas urnas ou por uma revolução (reformista) como a de 1930, mas são derrubados pelas oligarquias escravocratas e seus aparelhos de propaganda, a exemplo do Grupo Globo, que tem enorme influência junto à pequena burguesia, cujo sonho de consumo é também ficar rica e se livrar de dividir seus espaços com as massas.

O que move verdadeiramente a classe média é ser tratada como VIP. Ela odeia só em pensar em dividir seus espaços com os pobres, sendo que o motivo fundamental que a levou a apoiar mais um golpe de direita foi ter de conviver com os pobres, quando os governos de Lula e o primeiro de Dilma aqueceram a economia e os pobres passaram a consumir como nunca consumiram neste País de castas, o que irritou profundamente os coxinhas, porque eles perceberam que as pessoas consideradas secularmente como serviçais passaram a frequentar os lugares e ambientes até então destinados à classe média, que jamais se importou com a corrupção, até porque corrupta ele o é.

Tanto é verdade que a classe média cooperou para derrubar uma presidente honesta e legítima para colocar sem seu lugar uma quadrilha no lugar dela, além de guardarem as camisas amarelas nos armários, assim como calaram suas panelas, que faziam barulhos em homenagens ao cinismo, à hipocrisia, ao preconceito e à burrice.

O PSDB, o Judiciário e a imprensa comercial e familiar sempre souberam dessas realidades, como também sempre souberam como funciona psicologicamente a universitária mas ignorante classe média, que não tem quaisquer sentimentos nacionalistas pelo Brasil e respeito ao seu povo. Ela não se importa com nada, nem com o desmonte do Estado nacional e muito menos com a soberania e a independência do Brasil.

Usaram símbolos e cores nacionais apenas como forma de manipulação política, de forma que seus protestos tomassem uma forma de nacionalismo sem essência e ao estilo de micareta. Nacionalismo que a classe média nunca sentiu e jamais sentirá, pois eu a conheço profundamente, porque sei como ela pensa e se comporta, bem como ama visceralmente os Estados Unidos e somente não quer, por questões ideológicas e de dominância social, que os pobres e os negros, enfim, todos os grupos sociais que não fazem parte de seus estereótipos novelescos e hollywoodianos frequentem os espaços que essa classe golpista e falsa moralista considera como "seus".  Deplorável! Lamentável!

E o Brasil novamente se ferrou e está a perder seu valioso patrimônio público. É o que o PSDB faz e sempre fez. É a única coisa que os tucanos sabem fazer: privatizar para entregar, porque em tempo algum apresentaram quaisquer esboços de projetos de independência e autonomia para o País, pois, colonizados, simplesmente sempre se recusaram a pensar o Brasil. É a marca dos tucanos e de seus negócios, mais uma vez a compartilhar privatizações de lesa-pátria com o PMDB, o partido que desde a década de 1980 coordena e organiza, juntamente com o DEM (PFL), a corrupção entre o setor público e a iniciativa privada, como se fosse um câncer agressivo a tomar o corpo do Estado nacional.

Esta é e será para sempre a principal marca do PMDB, do DEM e, principalmente, do PSDB, que, desesperado, mantém-se em cima do muro, em um abraço de afogados com o PMDB, a lutar para chegar vivo em 2018 e torcer para que o político trabalhista, Luiz Inácio Lula da Silva, o candidato favorito às eleições presidenciais, seja impedido de concorrer pelos "intocáveis" da Lava Jato, que jamais, em hipótese alguma, prenderam um único tucano acusado de corrupção, de receber propinas, de organizar quadrilha e de obstruir a Justiça, a exemplo do senador Aécio Neves. O PSDB está envolvido em inúmeros escândalos de corrupção. Todo mundo sabe disso, menos a Lava Jato, o STF e a imprensa de mercado, à frente as Organizações(?) Globo.

Enquanto isso, o Grupo Globo se desespera e nutre imenso sentimento de ódio pelo golpista *mi-shell temer, sujeito que a família Marinho colocou no poder, mas que precisa destronar o reizinho sem votos porque urge a necessidade de combater o ex-presidente Lula e colocar no lugar de *temer algum fantoche de direita que sente na cadeira da Presidência até 2018, de modo que as eleições indiretas garantam fôlego para que a direita se mobilize em torno de um nome que não tome uma surra de Lula, se, evidentemente, não for possível prendê-lo, afastá-lo em segunda instância como ficha suja, mesmo sem ter roubado, porque até agora nada foi comprovado.

Entretanto, acusado de inúmeros crimes comuns e constitucionais, o PSDB, como é de sua índole e caráter, fica em cima do muro, mesmo dividido, porque há um grupo de tucanos chamado de "Cabeças Negras" que deseja a saída imediata do PSDB do famigerado governo de *mi-shell temer. Para os caciques do PSDB ficar no governo significa blindar o senador Aécio Neves, bem como dar continuidade às reformas vampirescas promovidas por um indivíduo sem legitimidade e que prejudicam de morte os trabalhadores e os aposentados brasileiros, além de continuar a entrega lesa-pátria do Pré-sal, bem como a efetivação do desmonte da Petrobras e do Estado nacional em geral.

O PSDB, como o Grupo Globo, têm sangue de golpistas. Muitos de seus membros se afastaram do PMDB de José Sarney, que era PDS, e de Orestas Quércia porque alegavam que era impossível para eles conviver com a corrupção e com os corruptos. Os tucanos lançaram em 1988 o manifesto do PSDB, cuja intenção era ficar "longe das benesses oficiais, mas perto do pulsar das ruas". Hoje, o PSDB é um partido enlameado por denúncias e acusações de se envolver até a medula com a corrupção, bem como se tornou um partido golpista, entreguista e sem quaisquer projetos de desenvolvimento e independência do Brasil. Esta é a verdade.

*mi-shell temer, o mais impopular presidente da história, assim como considerado um traidor da pior espécie, será brevemente denunciado como chefe de organização criminosa, corrupto e indivíduo que agem nos subterrâneos para obstruir a Justiça e, consequentemente, permanecer no poder que ele usurpou para retirar direitos sociais, trabalhistas e previdenciário, além de vender vergonhosamente o Brasil, sem ter autoridade e legitimidade.

*temer é ainda acusado de usar o Estado e sua máquina para perseguir e destruir a JBS, que não é do Lulinha, pois quem a presidiu foi o golpista Henrique Meirelles, ministro da Fazenda a serviço dos bancos e da iniciativa privada, além de ser acusado também de mandar a Abin espionar o ministro Edson Fachin, o relator da Lava Jato no STF.

Como se percebe, se vê e se observa, o PSDB e o Grupo Globo agora estão em uma sinuca de bico, pois co-responsáveis pelo golpe parlamentar que teve seu início pelas mãos de um ladrão do dinheiro público que presidia a Câmara dos Deputados. A verdade é que o Grupo Globo e o PSDB (DEM/PPS) estão em uma terrível encruzilhada, que será difícil de atravessá-la e, por sua vez, organizar estratégias para que Lula tenha sua candidatura interditada, mesmo se nada for comprovado contra o líder político maior da América Latina.

Lula ser culpado ou não pouco importa, afinal o PSDB e o Globo são alicerces de um consórcio golpista de direita. Quem dá golpe e afunda o País sem um mínimo de consciência sobre o que fez, realmente não se importa com nada, a não ser com seus interesses que nunca coadunam com os interesses do País. A verdade é que o Brasil precisa ser devolvido ao povo brasileiro, á democracia e ao Estado Democrático de Direito.


O caminho para isso é a eleição direta em 2017 ou 2018, até porque não há outra solução sem pacificar o Brasil. Um País em guerra não se desenvolve e não se consegue retomar a economia. O PSDB e o Grupo Globo terão de engolir o *temer ou derrubá-lo. Porém, à espera desses golpistas e usurpadores que humilharam o Brasil e seu povo perante à comunidade internacional estão as urnas e o ex-presidente Lula. Diretas Já! É isso aí.

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Lula 2018, esquerdismo infantil e golpismo — Psol também é responsável pelo golpe

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Os cafajestes do golpe de estado de 2016 que levou à deposição da presidente legítima e constitucional, Dilma Rousseff, terão de se submeter à Constituição, ao calendário eleitoral e às eleições diretas este ano ou em 2018, com a presença de Lula como candidato a presidente, a preservar a democracia, o Estado de Direito, bem como a viabilizar o protagonismo histórico das forças populares e democráticas.

Esta conversa "para boi dormir" de setores da esquerda que afirmam que a direita golpista não deu um golpe à toa e que por isto não irá ceder às eleições diretas, assim como prenderá o Lula, mesmo se o ex-mandatário não tenha cometido quaisquer crimes comuns e de responsabilidade, significa apenas uma ode ou evocação ao derrotismo e ao fracasso, além de conspirar em companhia da iniquidade.

Esta postura infantil e irresponsável de alguns esquerdistas desarticula e desune as forças democráticas que estão a combater a quadrilha que tomou de assalto o poder central. Eles prejudicam os inúmeros grupos que estão realmente a lutar pelas diretas já, ao invés de procurar articulá-los e uni-los ainda mais. Setores do campo político e ideológica da esquerda precisam, urgentemente, ter mais responsabilidade e conhecimento real dos bastidores e da história da política brasileira.

Deixar de infantilismo e agir e atuar dentro do que é apresentado pelas realidades, que, por serem reais, necessitam ser enfrentadas de maneira realista e pragmática, pelo simples fato de que o Brasil irá afundar, irreversivelmente, bem como se tornar, insofismavelmente, uma republiqueta colonizada pelos países desenvolvidos, especialmente os EUA, que já estão a tomar conta do poderoso mercado interno deste País, assim como a dar fim, juntamente com os golpistas colonizados e entreguistas da casa grande tupiniquim, a nossa soberania, aos projetos estratégicos e à diplomacia independente e altiva.

Do contrário, o campo partidário e ideológico de esquerda se tornará um imenso Psol, que a despeito de agora estar a combater o governo ilegítimo e corrupto do quadrilheiro *mi-shell temer e clamar por eleições diretas, é também, sem sombra de dúvida, um dos partidos responsáveis pela queda de Dilma Rousseff, mesmo a não participar do desgoverno dos ladrões do Brasil, que deram um golpe de estado para, dentre tantos outros motivos, escaparem da cadeia.

O Psol fez campanha contra o Lula e a Dilma durante 11 anos, pois fundado em 2004, a aliar-se, espontaneamente e irresponsavelmente, aos interesses da burguesia proprietária da casa grande, que ficou muito agredecida. Depois tais esquerdistas do Psol perceberam, mas sem assumir, a grande burrada e mancada propiciada pelo esquerdismo infantil e soberbo, para não dizer arrogante e "purista", como se fosse mais factível combater os governos petistas, que jamais reprimiram os trabalhadores e, evidentemente, melhoram, e muito, a economia, a darem oportunidades às classes pobres em todos segmentos de atividades econômicas e sociais.

O PT humanizou a sociedade brasileira até o dia em que aconteceram as campanhas conservadoras de massa, a partir de 2013 e promovidas nas ruas, na internet e nos meios de comunicação, como televisões, rádios, jornais e revistas pertencentes aos magnatas bilionários de imprensa historicamente inimigos dos interesses do Brasil. Campanhas de ruas, midiáticas e protestos financiados pela reação e bancados por partidos como o PMDB, que traiu Dilma Rousseff, e pelo PSDB , DEM e PPS, que em 2016 assumiram o poder após serem derrotados quatro vezes consecutivas pelo PT. Grupos direitistas e golpistas como o MBL, Vem pra Rua e Revoltados Online, dentre outros, são ligados umbilicalmente aos tucanos e seus aliados de golpe de estado.

E deu no que deu: o Brasil humilhado e considerado uma republiqueta cucaracha e bananeira pela comunidade internacional. Volto a comentar: republiqueta com a carranca e o focinho das provincianas e colonizadas classes ricas e médias, que hoje não sabem muito bem onde enfiar suas panelas e guardar suas camisas amarelas da CBF corrupta junto com as traças e o cheiro de naftalina. Trata-se dos coxinhas que se calaram e se recolheram às suas insignificâncias e ignorâncias, às suas irresponsabilidades temperadas pelo analfabetismo político e o inenarrável, indescritível e inigualável complexo de vira-lata.

O Psol, sem ponderar e avaliar com seriedade que os governos trabalhistas de Lula e Dilma aconteceram dentro dos princípios e do jogo que estava a ser jogado há 40 anos, quando se trata de financiamento de campanhas e de governos eleitos por coalizões, resolveu fazer uma campanha sistemática de oposição contra os governos trabalhistas, que, apesar dos defeitos, tinham também muitas virtudes e que, limitados para realizar ações e projetos mais profundos que mexessem nas estruturas escravocratas deste País, optaram por estabelecer a diminuição das desigualdades sociais e regionais deste País de índole e caráter latifundiário.

Por sua vez, o Psol preferiu se aliar a pior direita, mesmo sendo o tal partido uma agremiação socialista, com políticos da esquerda radical, que não se move e não se pauta pelos mesmos motivos, desejos, programas e projetos dos políticos e partidos conservadores que, diuturnamente, empenharam-se obsessivamente em derrubar do poder o presidente Lula, a conseguir, enfim, concretizar o golpe contra Dilma Rousseff, que inacreditavelmente teve invalidado 54,5 milhões de votos. Nunca o Psol e a direita devem se esquecer dos votos de milhões de brasileiros que foram jogados na lixeira do escárnio e do autoritarismo. Nunca o Psol deve se esquecer que o golpe foi planejado para transferir o dinheiro público para a iniciativa privada e acabar com a soberania do Brasil.

O Psol e seus membros sabem e compreendem muito bem que os governos petistas foram submetidos a uma coalizão partidária para poder governar e ter governabilidade, independente do combate necessário e legítimo à corrupção e das prisões dos ladrões do dinheiro público, que fique claro e registrado o que agora afirmo, pois apoio e sempre apoiei o combate à corrupção, a prisão de ladrões, mas com a preservação das empresas brasileiras, de sua indústria e do mercado interno como criador de empregos para os trabalhadores brasileiros. Todavia, uma coisa é uma coisa é outra coisa é outra coisa. Ponto.

O Psol, acredito sinceramente, não possuiu uma alma golpista e nem espírito de porco. Acredito em suas intenções ideológicas e observo as declarações e as votações de seus parlamentares, mas, por seu turno, cooperou para o processo draconiano do golpe de 2016, e este fato real deveria ser debatido à exaustão pelo partido que se considera socialista, mas tal qual ao PCB e outros partidos de esquerda, em um tempo pretérito, que, no afã para derrotar Getúlio Vargas e João Goulart, compôs com a direita mais atrasada do mundo, postura esta que resultou em uma ditadura militar de 21 anos.

A consolidação da ditadura dos militares e civis das "elites" brasileiras não começou na década de 1960, iniciou-se ainda na década de 1930, quando os militares que participaram da Revolução liderada por Getúlio perceberam que o político trabalhista e, sobretudo, nacionalista, tinha ideais e vocação para defender os interesses dos trabalhadores e, mais do que isto, era a locomotiva de um projeto nacional de industrialização, que visava a soberania e a independência do Brasil.

Poucos anos depois, a maioria dos líderes militares se tornaram adversários ferrenhos de Getúlio Vargas, sendo que muitos deles participaram de conspirações e tentativas de golpes em 1954, 1955, de 1960, de 1961 e do golpe final de 1964. Se a direita, através da história, combateu e combate duramente os trabalhistas, é sinal que o inimigo do Psol ou dos esquerdistas tresloucados não deveria ser os trabalhistas, mas, sim, a direita. Bingo! É tão difícil verificar e entender isto? Durma-se com um barulho desse.

O Psol deveria saber disso, bem como compreender que Getúlio, Jango, Brizola, Lula e Dilma foram derrubados pela direita, que em todos golpes de sua autoria contou com o apoio de setores da esquerda, que depois se verificou que não passavam de ferrenhos burgueses, verdadeiros quinta-colunas, como comprova e demonstra, indubitavelmente, o PPS (ex-PCB) do conspirador e do traidor, inclusive de seu passado e de seus princípios, o deplorável e lamentável Roberto Freire.

A esquerda de radicalismo infantil tem de ler história e ser atenta às conjunturas políticas e saber diferenciar que os trabalhistas não são de direita, mas, sim, de esquerda, não marxista, apesar de muitos dos trabalhistas também o serem marxistas e socialistas. O Psol tem de parar de ser útil para as perversidades e as criminalidades da direita, porque inocente os membros do Psol não o são. O PCdoB, aliado histórico do PT, sabe disso e compreendeu a história, bem como o PCO e setores amplos do PSTU.

Setores da esquerda, por inúmeros motivos, combateram governos trabalhistas, que a concordar ou não, pois não importa, foram os responsáveis, dentro do possível em uma democracia burguesa e de um sistema de capital selvagem ou bárbaro, pelo desenvolvimento do Brasil e pela edificação de um pequeno estado de bem-estar social em períodos curtos, em relação ao número de anos e de presidentes de direita eleitos ou biônicos colocados pelo establishment na Presidência da República.

O infantilismo esquerdista que coopera para os interesses da direita serem consolidados, a exemplo do Psol, configura-se na ausência de sabedoria programática, pragmática e analítica de fazer vergonha a um boçal ou energúmeno de direita adepto da truculência e do golpismo político, como ocorreu e ocorre no Brasil. Tem de se separar o joio do trigo. A esquerda programática, que não pode e não deve deixar de ser pragmática, tem chances de chegar ao poder com o Lula e dar sequência ao desenvolvimento e à independência do Brasil.

Já a esquerda infantil, que se mostra agora arrependida e luta, com acerto, pelas eleições diretas, além de denunicar o sistema que privilegia e blinda os tucanos e o golpista *mi-shell temer até agora, que continue a confrontar e a enfrentar a direita corrupta e golpista que tomou o Brasil de assalto, para depois apoiar o Lula e aprender com seus próprios erros que nem sempre a vida é como a esquerda infantilizada quer, ou seja, de forma rápida, até porque quem apoia o Lula também deseja os mesmos avanços sociais que a esquerda que cooperou com o golpe, a exemplo do Psol e outros.

Por sua vez, é preciso ter a compreensão que este País é capitalista e ferozmente violento e sectário. As classes sociais são visivelmente estratificadas, sendo que a luta de classes é um dos motivos principais, se não for o principal motivo de os coxinhas terem ido irresponsavelmente às ruas e de os ricos e muito ricos financiarem o golpe, assim como tomarem a Presidência de assalto para vender o Brasil em um feirão que o diminui perante todas as nações que se consideram civilizadas.

Eu, por exemplo, gostaria, e muito, que houvesse rapidamente mudanças profundas nas estruturas seculares e escravocratas brasileiras, a começar pelas terras, os bancos e as grandes fortunas. Essa gente rica, acionista e rentista é que tem de pagar pela maior parte do desenvolvimento para que o Brasil seja um Estado de bem-estar social, além de apoiar quem deseja ser empreendedor e a gerar empregos, pois é o que de fato interessa: empregos e renda, além de saúde e educação. Não é à toa que esse governo de patifes e sem vergonhas congelou os orçamentos da Educação e da Saúde por 20 anos. Atos e ações de autênticos bandidos. E daí? Então, vamos à luta, que começa pelas eleições diretas.

Um País que tem 210 milhões de habitantes, uma pobreza enorme e uma burguesia das mais poderosas do mundo, que tem de ser enfrentada duramente e incansavelmente, mas com inteligência e estratégia. E pode ficar certo disso, se o Lula superar as intempéries jurídicas e conquistar a Presidência não tergiversará sobre como combater a direita de alma escravocrata e a burguesia colonizada, que se mostraram despóticas, arbitrárias e tremendamente incomodadas e inconformadas com o desenvolvimento e a independência do Brasil e com a melhoria das condições de vida do povo nos períodos de Lula e Dilma.

E sendo assim, a casa do Brasil caiu, porque Dilma Rousseff foi vergonhosamente e sordidamente deposta por uma corja ou consórcio de facínoras, que está a agir e atuar no Judiciário, no Congresso, nos meios de comunicação privados, no empresariado (CNI/Fiesp), no meio do contingente de coxinhas tresloucados, preconceituosos e, evidentemente, no Palácio do Planalto, que foi transformado em covil de chacais ou ninho de cobras, a ter como chefe do bando o famigerado *mi-shell temer, também conhecido como Amigo da Onça — o Traidor Usurpador.

Certamente que a partir da exposição de todos esses escândalos e após a atuação da Lava Jato e a crise sem precedentes que ainda está a enfrentar o Brasil, que a cultura política, partidária e eleitoral deste País já está a se modificar, o que é bom e alvissareiro. Porém, é necessário asseverar e relembrar novamente que a esquerda ou parte dela é culpada também pelo golpe sofrido pela legítima e constitucional Dilma Rousseff, uma mulher de brio e política de grandeza, conforme comprovam suas declarações e palestras no Brasil e no mundo.

Enquanto Dilma circula pela comunidade internacional a denunciar e a explicar o golpe de estado e de direita do qual ela e o Brasil foram vítimas, os golpistas estão a ser presos ou à espera da cadeia, como retratam os casos de Aécio Neves, José Serra, Geraldo Alckmin, *mi-shell temer, Moreira Franco, Eliseu Padilha, dentre muitos outros, que foram castigados e estão a ser punidos a galope.

Nada importa à esquerda, a não ser as eleições diretas, de forma que o País retorne à legalidade institucional para que a democracia retome sua legitimidade. Não adianta a direita afirmar o tempo todo que o Brasil "possui instituições sólidas e que a democracia e o Estado de Direito estão em vigência". Não estão. A Nação está em frangalhos e a crise só começará a se dissipar com o advento das eleições diretas, que a direita quer evitar por saber que Lula poderá vencê-las. O problema dos golpistas é o Lula. Ponto.

O Brasil vive em um regime de exceção não assumido por aqueles que deram o golpe ou se beneficiaram dele. Segmentos da esquerda infantilizados têm de compreender esta realidade. Trata-se, no mínimo, de uma obrigação. O que importa, volto a ressaltar, que o calendário eleitoral seja cumprido e respeitado. Se houver oportunidade de o Brasil efetivar as eleições diretas ainda em 2017, certamente que haverá grandes avanços na retomada democrática e no restabelecimento da ordem institucional. E não somente isto. O povo brasileiro dará início à pacificação da sociedade, que está dividida, mas ao mesmo tempo esgotada. Esquerdismo infantil não poderá ter mais espaço.

A esquerda é o caminho. Não haverá recuperação econômica e paz social sem a participação efetiva da esquerda, de forma que ela recupere a cadeira da Presidência da República. O Brasil e a recuperação de sua economia e de sua autoestima passam por Lula, queiram ou não os esquerdistas infantis ou a direita golpista e entreguista, porque não é uma questão apenas, por exemplo, de minha vontade, mas, sobretudo, de estabelecer a ordem, que começa pelo diálogo e de um novo contrato formatado e formalizado por todos segmentos sociais e setores econômicos.

E qual é o político que seria o fiador desse contrato e que poderá retomar o crescimento econômico e o bem-estar social. Qual seria? Pense!... Ah, meu camarada, o de direita e o de esquerda, só poderá ser o Lula. O Lula é a solução, pois forjado como aço em brasa junto à sociedade, pois tem força moral e eleitoral para pacificar o País e governar para todos os brasileiros, como ele já fez durante seus oito anos de governo. As eleições diretas são parte intrínseca da Constituição. Não é um favor... É lei. A esquerda infantil tem de observar a conjuntura e parar de fazer o jogo da direita, desde os idos dos anos 1930. Lula 2018. É isso aí.