Google+ Badge

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

MP e PF, esquizofrênicos, perseguem Lula, vazam informações e agridem o estado de direito — É a Triplo X

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, certamente, é o homem mais investigado do Brasil, bem como o mais aviltado, agredido, desrespeitado e ofendido, não somente politicamente, mas, sobretudo, moralmente. Não sou do tempo de Getúlio Vargas, e, ao ler no decorrer dos anos sobre o grande estadista brasileiro pertencente à corrente política trabalhista, ficava a imaginar o clima politico pesado e violento que o gaúcho fundador do Brasil moderno vivenciou até sua morte.

Na verdade, o suicídio do estadista gaúcho impediu que o golpe de direita acontecesse em 1954, sendo somente possível em 1964, com a queda do também trabalhista e herdeiro politico de Getúlio, o grande presidente João Goulart. Contudo, o assunto é o Lula, que, apesar de não estar no poder, jamais é esquecido pela casa grande escravocrata brasileira, que o persegue de todas as formas e maneiras. É imperdoável para a plutocracia que Lula chegasse à Presidência, e, mais do que isto, governasse com competência ao ponto de sua administração ser reconhecida internacionalmente.

A perseguição acontece e creio que seja com a mesma estratégia perversa usada pelas “elites” contra Getúlio e Jango. Ou seja, o moralismo sem moral da direita brasileira, que se baseia sempre em denuncismos e notícias de corrupção, muitas deles sem provas, a se transformar em ilações maledicentes, cujos fundamentos principais se resumem a desmoralizar seus adversários políticos. A perseguição por intermédio de manchetes mequetrefes e algozes dos grandes jornais, que são propriedades de magnatas bilionários, contumazes sonegadores de impostos, praticantes do mais baixo e rasteiro jornalismo, evidenciado por empregados pagos a peso de ouro para fazerem a parte suja dos interesses políticos e econômicos de seus patrões.

Bilionários que tem lado, opção partidária, cor ideológica (a preta do fascismo), além de serem historicamente golpistas, porque estiveram à frente no passado e agora no presente de todas as tentativas de golpes, os que se concretizaram e os que estão a caminho, de acordo com a estratégia deles junto a promotores, procuradores, delegados da PF e juízes, que formaram um consórcio dentro do Estado, como se fosse uma milícia incontrolável, sem limites e disposta a, inclusive, mandar às favas o estado de direito e a democracia brasileira.

O general Golbery do Couto e Silva, que não era santo, e o jurista Sepúlveda Pertence, que não dava ponto sem nó, disseram, cada qual em seu tempo quando no poder, que criaram um monstro. O monstro é exatamente o Ministério Público, que não responde a ninguém e faz o que faz, como, por exemplo, tentar quebrar a Petrobras, atingir Dilma Rousseff e, quiçá, derrubá-la do poder, bem como desconstruir totalmente a imagem de Lula, considerando-o “ladrão” e, se tiver “sorte”, prendê-lo, a evitar assim sua candidatura à Presidência da República.

Acontece que o buraco é mais embaixo, porque Lula e sua família, que está sempre na mira do MP politizado e partidário, assim como da imprensa mais corrupta e elitista do mundo, não é ladrão, como também não o foram Leonel Brizola, João Goulart e Getúlio Vargas, que também em suas épocas foram duramente investigados e chamados aos quatros cantos de ladrões pela direita matreira e sórdida, por intermédio de seus porta-vozes oficiais, que são os jornais, os meios de comunicação pertencentes à meia dúzia de famílias midiáticas, que pensam até hoje que o Brasil é a fazenda de escravos delas.

A verdade é que Brizola, Jango e Getúlio, assim como Lula, nunca foram ladrões, como deixou bem claro a história, que não deixa dúvidas, porque historiadores de verdade, e não os historialistas da imprensa alienígena e familiar, baseiam-se em fatos reais, em documentos, inclusive dos órgãos de repressão e de investigações do Estado brasileiro. É o fim da picada o linchamento moral de Lula e de sua família. No passado, quanto ao Jango, falaram mal até de sua mulher, no sentido mais baixo possível.

Trata-se da casa grande e de seus bate-paus incrustados no Estado e na imprensa, a formarem um consórcio miliciano, que tem por finalidade derrotar seus inimigos políticos pela via da desmoralização mais sórdida possível, de forma que seus alvos, a especificar o Lula, dobrem os joelhos e se recolham assombrados com tanta cafajestada e perfídias dignas de hienas quando se refestelam com as carcaças de suas presas.

Entretanto, há um problema: quem instrumentalizou, aparelhou, contratou pessoal e aumentou o orçamento do MP e da PF foi exatamente o Governo Lula, sendo que o de Dilma deu continuidade, de forma que esses dois órgãos do Estado se voltaram contra o Governo por interesse político, bem como se aliaram ao grande empresariado, notadamente aos que controlam os meios de comunicação, inimigos históricos de mandatários trabalhistas, como o foram também no passado.

Promotores e policiais só não contavam com outro problema: Lula não é dono de apartamento triplex no Grajaú, como também não se valeu de medidas provisórias para ganhar dinheiro, suas palestras são de conhecimento público e o dinheiro pago ao ex-presidente é declarado à Receita. Além disso, fico a pensar nos servidores públicos da Petrobras que foram presos por roubarem o dinheiro público.

E explico. Se a maioria deles são homens com certa idade, entraram na estatal por concurso público, assumiram funções e cargos importantes a partir da década de 1980, sendo que alguns trabalham na estatal desde a década de 1970, por que, então, os gênios, os feras, os batmans da PF e do MP somente descobriram há pouco tempo a roubalheira na Petrobras? Porque para um presidente saber o que acontece ele tem de ser assessorado. Lula não é policial e nem promotor. Por que esses “bambambans” não o assessoraram de forma republicana, a fazer seus serviços direito para informá-lo? Afinal, eles são pagos para isso.

Lula e Dilma fizeram a parte deles, que era dar condição de trabalho a esses servidores públicos, que eram tratados à mingua pelos governos anteriores, sendo que jamais poderiam chegar perto de corruptos milionários ou bilionários, como acontece agora no Brasil. Para o bem da verdade, quem prendeu rico neste País foram os governos dos presidentes Lula e Dilma. Ou restam dúvidas? No governo FHC, o procurador-geral era chamado de engavetador-geral... E o chanceler tucano do Itamaraty tirava os sapatos em aeroporto nos EUA. Talvez para não deixar dúvidas aos gringos sobre a subserviência e a subalternidade das "elites" brasileiras.

Nesses dias últimos, promotores e delegados abriram a boca e falaram, em momento de indisfarçável regozijo, em verticalizar a operação Lava Jato. “Verticalizar” significa acusar o Lula de roubar, sem ter roubado. Tudo é motivo para tentar incluí-lo em falcatruas e roubalheiras. E nada acontece com esses meganhas que se aproveitam de seus cargos para politizá-los. Uma meganhagem da pior espécie, que remonta aos tempos do DOI-Codi.

O apartamento que não é do Lula vai ser usado contra a honra do maior presidente da história deste País, juntamente com Getúlio Vargas. O político brasileiro mais famoso, conhecido e reconhecido internacionalmente. O ex-presidente mais premiado pelas universidades nacionais e estrangeiras. O político mais convidado para proferir palestras, porque as pessoas e as instituições querem saber como ele combateu a fome no Brasil e melhorou a qualidade de vida de dezenas de milhões de brasileiros.

É exatamente esse político que está a ser chamado de ladrão por meganhas inconsequentes, irresponsáveis, violentos e partidários da direita brasileira, inquilina da casa grande de índole escravocrata. São servidores públicos pagos pelo contribuinte, de temperamento coxinha, que querem tomar as rédeas do País sem ter um único voto. São servidores que atentam contra o estado de direito e a democracia, porque conspiram contra uma presidente legalmente constituída, bem como propositalmente pretendem desestabilizar as instituições republicanas.

Acusam sem provas, prendem pessoas sem terem sido julgadas, porque fundaram, no Paraná, a República da Dedoduragem, sendo que os presos, desesperados, entregam até suas mães para poderem sair da cadeia após meses de prisão. E ninguém faz nada contra as masmorras do juiz de primeira instância, Sérgio Moro, que frequenta os salões da burguesia nacional para ser homenageado, porque considerado aquele que “Faz a Diferença”, consoante o jornal O Globo da famiglia Marinho.

Os militares na segunda parte da década de 1970 e início dos anos 1980 tentaram incriminar Lula para tirá-lo de circulação e derrotar o movimento sindical, que naquela época fervia. Lula enfrentou o DOI-Codi, o Dops e as polícias Civil e Militar de São Paulo. Aliás, São Paulo sempre foi o centro nervoso dos órgãos de repressão, a começar pelo Dops e pelo DOI-Codi, que existiam em outros estados, mas não com a força das sedes paulistas, que sempre tiveram acesso ao dinheiro dos empresários da Fiesp e dos ruralistas e suas representações de classes.

Lula não roubou, e os meganhas da PF e do MP sabem disso. Os chamo de meganhas porque passaram a agir e atuar como eles no passado terrível que o Brasil vivenciou durante 21 anos. Agem iguais aos antigos e não medem consequências, porque sabem que se errarem, mesmo que gravemente, não lhes acontecerá nada, porque são também inimputáveis tais quais aos seus parceiros tucanos, os que militam no PSDB, cujas corrupções são abrandadas, protegidas, blindadas e desconversadas. E por quê? Por que não vem ao caso, quando se trata dos crimes do PSDB.

Exemplo? A operação Zelotes. Empresários de empresas poderosas e conhecidas sonegam quase R$ 20 bilhões e o investigado é o filho de Lula, que não roubou ninguém, tanto é verdade que o rapaz está a processar inúmeras publicações e pessoas, inclusive moleques que se travestem de jornalistas, com o propósito de ficarem impunes, em nome do jornalismo de esgoto, que praticam nas pocilgas de suas redações implantadas nos prédios dos grandes jornais dos magnatas bilionários de todas as mídias cruzadas.

Quer outro exemplo? A “verticalização” da operação Lava Jato, que é, na verdade, apenas uma forma de imputar a Lula crimes que ele não cometeu. Inclusive é tão surreal a fala do promotor mequetrefe, que o ex-presidente nem dono de tríplex, em edifício no Guarujá, o é. Inacreditável! Esses caras implementaram a operação Lava Jato para destruir a Petrobras, o que, sobremaneira, não vai acontecer, bem como a Dilma não vai cair, como Lula não vai ser preso. Ainda vivemos em um País regido pelo estado de direito e por uma Constituição das mais avançadas do mundo. Ponto.

O consórcio Imprensa-MP-PF e setores da Justiça tem de ser combatido, porque eles representam interesses contrários ao do Brasil. Não é mais possível ver toda essa avacalhação das leis e do Direito. Os corruptos e os ladrões tem de ser presos. Mas, o combate à corrupção não pode virar um show midiático de interesse político e partidário.

Trata-se da direita mais ideológica que tive a oportunidade de observar. Ela está completamente ideologizada e com forte tendência sectária e preconceituosa dos tempos da Guerra Fria. Realmente, a direita brasileira, provinciana, subalterna e subserviente aos países ricos, colonizada e portadora de um incomensurável complexo de vira-lata é determinada e violenta.

Agora a PF e o MP vem com a Triplo X, que é um escárnio contra a dignidade de Lula. É a tal da verticalização que tal promotor disse, com ares de cowboy sob as luzes da ribalta, a jornalistas coxinhas que fazem o jogo dos patrões. Triplo X, uma alusão ao apartamento tríplex que o Lula não tem no Guarujá e que poderia tê-lo porque tem dinheiro para comprar um imóvel, mesmo a ser caro. Triplo X! Durma-se com um barulho desses. Nunca vi tanta desfaçatez, desrespeito, incongruência, insensatez e perseguição.

Uma covardia — baixa e indigna — promovida por servidores públicos pagos pelo povo, que resolveram, inadvertidamente e inconsequentemente, fazer política e escolher lado.  Vai ser assunto para mídia golpista durante semanas. A ideia é levar a Lava Jato até 2018, se não conseguirem prender o Lula. Só de pensar no petista novamente no poder a casa grande e seus capitães do mato sentem calafrios e depois febres.

Violentíssima, por sinal; e ainda controla os meios de comunicação privados, inclusive os de concessão pública. Bem feito, quem mandou os governos petistas não efetivarem o marco regulatório para os meios de comunicação, além de não fortalecer a televisão pública? Agora paga um preço alto, porque se tornaram alvos constantes da truculência jornalística das famílias midiáticas, que desejam, como sempre, subjugar o País às suas pautas e agendas. Trata-se disto, e nada mais...

O Ministério Público é esquizofrênico, persegue o Lula, vaza, criminosamente, informações à sua parceira política, a imprensa de mercado, e agride o estado de direito e a democracia, com o apoio dos delegados aecistas da Polícia Federal (eles tem lado em pleno serviço público) e do juiz Moro, o drácula da Vara das Masmorras da Idade Média do Paraná. Vazamentos são crimes! Então, quem vai processar, prender e demitir esses servidores públicos que não respeitam as leis do Brasil? Trata-se da Triplo X. Agora ler A Privataria Tucana e O Príncipe da Privataria os promotores, delegados e juízes não querem, né? É isso aí.








terça-feira, 19 de janeiro de 2016

Marina mostra os dois lados de sua face: a traição à democracia e o golpe

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Marina Silva pensa que engana as pessoas ou que todo mundo nasceu ontem. Contudo, ela, ao que parece, deixou de ser “sonhática”, apesar de sonhar com um golpe contra uma presidente legalmente e democraticamente eleita. Manipuladora e camaleônica, Marina disfarça suas intenção golpista e conspira... com Aécio Neves, a quem ela apoiou no segundo turno contra Dilma Rousseff, do PT, que o derrotou nas eleições de outubro de 2014.

Marina Silva agora se autodefine como “sustentabilista progressista”, o que, definitivamente, não se sabe o que significa estas duas palavras juntas e o que ela quis dizer com isto, como sempre. Marina é a rainha do blábláblá sem conteúdo, fato este que não surpreende ninguém, nem mesmo a direita, cuja preocupação ideológica e política se resume a encher seus bolsos e explorar ao máximo os trabalhadores, razões principais de sua riqueza e de seu poder financeiro e armado em todas as épocas da humanidade.

A verdade é que Marina é um redemoinho cognitivo, porque fala muito e não diz nada com coisa nenhuma. Realmente, não se compreende, por exemplo, quando a política, que foi filiada ao PT, ao PV e ao PSB abre a boca para dizer que é “sonhática”, quando, na verdade, Marina foi cooptada pela direita, alia-se aos conservadores, bem como os apoia, não somente no discurso, mas de forma prática, como ocorreu quando firmou parceria com Aécio Neves, no segundo turno, quando Marina, definitivamente abandonou a esquerda e adentrou o campo da direita e neste espectro continua e, certamente, não sairá mais.

A diva do Itaú, da Natura e dos coxinhas de direita, que se consideram “diferentes” e “descolados”, como se tivessem “grife” e, com efeito, “chiques”, por apoiarem e votarem em Marina, aquela que na Rio + 20 e na COP-21 foi superada, porque o Governo Dilma cumpriu as metas estabelecidas pela comunidade internacional, no que concerne à preservação da biodiversidade, ao combate à poluição, à preservação das florestas, matas e rios, bem como sacramentou acordos com produtores rurais, os donos do agronegócio, no sentido de eles preservarem os ecossistemas de suas fazendas, as nascentes de rios e lagos, além das matas ciliares.

O Brasil é reconhecido e Marina jamais pensou que suas propostas seriam superadas, até porque quando ministra do Meio Ambiente do presidente Lula sua administração foi um fracasso retumbante, pois dedicado a atender às ONGs com as quais Marina se relaciona e tem influência, bem como sua atuação se dedicou à retórica ao invés de ser prática, fato que não ocorreu com seu sucessor, o deputado Carlos Minc, que em um pouco mais de um ano à frente do MMA obteve resultados mais expressivos do que Marina em seis anos. São números, índices, fatos e realidades.

Marina se associa ao golpe e, junto a Aécio, considera mais viável que o golpismo aconteça pelo TSE e não mais pelo Congresso, que, certamente, na Casa de Leis sua morte está sacramentada. E Marina sabe disso, como todo mundo. Para o bem da verdade, quem vai ser destituído do poder e depois processado vai ser o atual presidente da Câmara, deputado Eduardo Cunha, acusado de sonegação, dentre outros crimes. Deve-se deixar claro que Cunha teve e tem ainda o apoio da grande mídia de negócios privados e de lideranças políticas do PSDB, DEM, SDD e PPS, além de outros partidos que se comportam como vagões do trem do golpe.

Marina sabe que o golpe vai ser derrotado, mas seu inconformismo e rancores políticos e pessoais contra Dilma Rousseff a transformam em uma política de estatura anã, o que a leva a se juntar ao coro dos golpistas derrotados no ano eleitoral de 2014. A verde que não é verde se transforma em uma loba de matilha prestes a perder seu território, que é o território do murmurinho, da fofoca, da política mal engendrada em maledicência e falta de juízo quanto aos interesses do Brasil, do seu povo, sem se importar ainda com a estabilidade institucional e democrática.

O impeachment nos termos apresentados pela oposição de direita é golpe, sim! E a oposição conservadora, sendo que setores dela chegam a ser fascistas, sabe que está a lutar por um golpe contra uma presidente democraticamente e legalmente constituída. A direita golpista é tão irresponsável que sabe, compreende e não se importa, porque, na verdade, nunca se importou com o Brasil, mas, sim, com seus interesses pecuniários, monetários, financeiros e econômicos, ou seja, com seu próprio bolso. Esta realidade acontece desde 1500, quando Pedro Álvares Cabral aportou na Bahia.

Marina pulou o muro e apoia o golpe. Ela corre para os braços da direita, deslumbra-se, e, equivocadamente, pensa que a casa grande, que sempre abriu suas portas à escravidão, está a recebê-la. Enganos dos enganos, a burguesia, aquele que “fede e quer ficar rica”, conforme a música de Cazuza, apenas se aproveita de situações, como ter em sua bancada pessoas ideologicamente e politicamente fracas, a exemplo de Marina Silva, Marta Suplicy e Roberto Freire, este um ex-comunista que se transformou em uma pantomima de si mesmo.

Marina apaga fogo com gasolina ao afirmar ao conservador jornal de índole golpista, Folha de S. Paulo, quehá evidências fortes de que o dinheiro de toda essa corrupção generalizada, institucionalizada, continuada, alimentou a campanha do PT”. Se isso fica comprovado, eu repito, comprovado, a chapa deve ser cassada. No meu entendimento, o processo no TSE deve ser agilizado”.

Não é uma graça a Marina? Só o PT? E o ex-partido dela, o PSB, outra agremiação que se bandeou para a direita? Até hoje o PSB não explicou a quem pertence o avião que caiu em São Paulo e matou o candidato do partido, Eduardo Campos (Alô, Polícia Federal e MP!). Além disso, como um avião de milhões de dólares não tem dono? Marina voava nele, bem como sabemos que o PSB ainda não explicou de forma incontestável de onde vinha o dinheiro para sua campanha milionária.

Além disso, todo mundo sabe, inclusive os coxinhas analfabetos políticos vestidos, ridiculamente, com camisas de Seleção Brasileira, que leem a Folha, a Veja e são espectadores passivos do Jornal Nacional e da Globo News, que o PSDB, o DEM, o PPS o SDD, dentre outras siglas partidárias, receberam dinheiro das mesmas empresas (não somente as construtoras) que financiaram o PT, sendo que, conforme o TSE, o PSDB dos tucanos derrotados e por isto transformados em golpistas receberam mais dinheiro para financiar suas campanhas do que os petistas.

Então vamos às duas perguntas que teimam em não se calar: Por que Marina Silva, em seu eterno e confuso blábláblá, não questiona o PSB e “seu” avião de luxo, sem dono, no qual ela voava lépida e fagueira? Por que a proba Marina não questiona as campanhas milionárias do PSDB, de seu aliado Aécio Neves e do DEM, o pior partido do mundo, filhote da ditadura militar e da UDN?

Não. De jeito nenhum. Seu alvo é o PT, partido onde Marina teve todas as oportunidades para ocupar cargos de expressão estadual e nacional. Todavia, neste momento, Marina Silva se torna hipocritamente e cinicamente seletiva, ao tempo que também parece sofrer de uma forte amnésia quando se trata de observar os erros e talvez os crimes eleitorais da oposição de direita da qual ela faz parte com muito orgulho, além de ser tutelada pelas ONGs internacionais e fazer parcerias com a Natura e o Itaú, financiadores de sua rica campanha eleitoral.

Marina trabalha contra o Brasil e seu poderoso agronegócio, um dos cinco mais importantes e fortes do mundo. O Brasil não é a sétima economia à toa, e não se reduz apenas à produção rural diversificada e gigantesca. O Brasil é o País poderoso que é porque se fez assim em quase todos os segmentos da economia. É por isto que a direita está desesperada e temos políticos cooptados como a Marina Silva, que no Acre, sua terra, perdeu as eleições para Dilma Rousseff e Aécio Neves. “Quem a conhece não a compra” — como diz apropriadamente o ditado popular.

Marina, que tem alma tucana, até agora não abriu o bico para falar da Samarco (a Vale privatizada), que transformou um rio inteiro, o Rio Doce, em um mar de lama. O maior desastre ambiental da história do Brasil. A “Sonhática” viu agora, de forma real, o pesadelo das privatizações e como empresários gananciosos e sem quaisquer compromissos com os interesses da sociedade se comportam e se conduzem para se locupletarem em nome de seus bolsos e cofres cheios de dinheiro.

Ah, se a Samarco (Vale) fosse empresa pública! Coitada da Dilma, do Governo do PT e até do Lula, que não está no poder. A imprensa corporativa e alienígena transformaria sua vida em um inferno ainda mais abrasador do que já é, além de vociferar para privatizar o que restou do patrimônio público brasileiro, porque o negócio é manter o Brasil como eterno País subalterno e subserviente aos ditames dos países ricos.

É desse jeitinho tosco e tacanho que funciona a cabeça colonizada, complexada e provinciana das “elites” tupiniquins. Ou seja, sempre na rabeira do que elas consideram serem suas cortes, e, consequentemente, a se beneficiarem com as migalhas “doadas” pela plutocracia internacional ao preço do subdesenvolvimento do Brasil e da pobreza do povo brasileiro.

Enquanto isso a Rede Sustentabilidade de Marina, o partido que não conseguiu se regulamentar junto ao TSE na época das eleições por incompetência, começa a agir em prol do golpe contra uma mandatária que não cometeu crimes de responsabilidade e que até agora não conseguiu governar em paz, porque a oposição há mais de um ano se recusa a descer do palanque. Trata-se do terceiro turno, que não existe. Surreal!


Marina disse à Folha que Dilma e Temer são a mesma face da moeda, o que não é a verdade. A ex-Sonhática e agora “Sustentabilista Progressista” mostra os dois lados de sua própria face: a traição à democracia, o golpe e sua cooptação total pela direita. A verdade é a seguinte: Marina Silva é golpista. Foi o que lhe restou para agradar a casa grande e quiçá, um dia, ser sua candidata a presidente. É isso aí.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Não é o FHC o alvo, estúpido! Essa gente fascista quer o Lula!

Por Davis Sena Filho – Palavra Livre


A direita brasileira, especificamente a que trabalha e age nos subterrâneos do submundo oficial, a exemplo dos vazadores meganhas da Polícia Federal, da Justiça tipo Vara do Moro, “herói” com prazo de validade, a exemplo de Joaquim Barbosa e de promotores ansiosos por fama, quase esquizofrênicos, que usaram o tucano Fernando Henrique Cardoso e a aquisição pela Petrobras em seu Governo do conglomerado de energia argentino PeCom, que envolveu propinas de US$ 100 milhões, tem por finalidade chegar a Lula. Tanto é verdade que as notícias sobre esta das muitas corrupções tucanas já sumiram das manchetes da imprensa de negócios privados, aliada inconteste do PSDB.

Os vazamentos seletivos ou a conta gotas tratam o cidadão brasileiro como idiota. Certamente se o Brasil tivesse um ministro da Justiça mais duro e fiscalizador de meganhas politicamente analfabetos, mas dispostos a aparecer para as mídias de forma cinematográfica, os desmandos e as ações para palmas fáceis de uma plateia de índole reacionária e udenista não aconteceriam.

A PF de ações direcionadas ao Governo Lula e jamais ao Governo de FHC, a começar pelas megaprivatizações criminosas, que se sucederam na era emplumada, cujo objetivo era desmantelar o Estado nacional e transformar o Brasil em um reles satélite dos interesses dos Estados Unidos, além de o povo brasileiro, sem a presença do Estado, ser tratado como pária, pois desprovido da atenção da máquina estatal, agente indutor de desenvolvimento para os segmentos sociais mais pobres e historicamente abandonados.

O que está em jogo é a continuidade de um projeto generoso de âmbito social efetivado a partir da ascensão do PT ao poder por intermédio do presidente Lula. É esse projeto que está a ser, irremediavelmente, combatido, não somente pela oposição partidária capitaneada pelo PSDB, mas, sobretudo, por servidores públicos concursados e integrantes do sistema judiciário, que, nitidamente, aliaram-se à oposição tucana e tem como porta-vozes de seus vazamentos criminosos de interesses políticos a imprensa mais corrupta e perversa do ocidente, que é a imprensa dos magnatas bilionários, que cartelizaram e monopolizaram as mídias de tal maneira no Brasil, que hoje enfrentam os governos eleitos pelas urnas soberanas.

Trata-se de coronéis midiáticos que fazem, historicamente, oposição cerrada aos mandatários trabalhistas, com o propósito de sempre derrubá-los mesmo ao preço da desmoralização do País, a ser tratado como República das Bananas, bem como prejudicado severamente em sua economia. Realidade que tem acontecido desde quando uma investigação governamental, a Operação Lava Jato, por intermédio da Polícia Federal, tornou-se um trampolim político e ideológico para a grande imprensa de direita, a alimentar os políticos do PSDB e promotores e juízes partidários, como o magistrado de primeira instância, Sérgio Moro, em infindáveis vazamentos seletivos, como se fossem retirados à pinça dos autos dos processos.

A verdade é que as delações de Nestor Ceveró não tem fundamento e nem provas, bem como as acusações de propinas de US$ 100 milhões ao Governo FHC tem como pano de fundo uma possível prisão de Lula. As mídias conservadoras deram as notícias sobre o grão-tucano com parcimônia, pois logo vão sair das manchetes, porque o que interessa é o Lula. Já disse antes, até agora, no Brasil, os tucanos são inimputáveis, tem o apoio da imprensa de mercado que luta, incessantemente, contra os negócios e os interesses do Brasil, bem como o sistema judiciário (Justiça, MP e PF) se aliou ao PSDB, porque tal sistema é o próprio establishment dentro do Estado e ponta de lança dos interesses e desejos da plutocracia nacional e internacional.

Lula é o alvo e sempre o será. A plutocracia sabe que Dilma Rousseff dificilmente vai ser derrubada. A derrota total do golpe e de seus promotores é uma questão de tempo. A questão primordial para a direita é não permitir que Lula vença as eleições de 2018. Esta é a ordem do sistema de capitais, que domina a economia e as finanças do mundo.

O Brasil é peça-chave nesse tabuleiro de xadrez; e fazer este poderoso País retornar ao seu papel de provedor da riqueza dos países ricos, como o foi nos tempos da Velha República, da ditadura militar e nos governos de Fernando Henrique é o que o mercado financeiro internacional e os governos dos países colonialistas mais querem e desejam. Suas crises, indubitavelmente, seriam bastante amenizadas. Esta é a dor e o inconformismo dos grandes capitalistas nacionais e internacionais. Esta é a principal fonte de tentativas de desestabilização da ordem constitucional e da instabilidade institucional e democrática.

Todas as acusações contra o Lula foram improcedentes, até porque o líder trabalhista não responde a nenhum processo, não é acusado de nada e foi à PF apenas dar seu testemunho. Pessoas idiotizadas e despolitizadas saem às ruas com camisas de Seleção Brasileira e com bonecos e cartazes de Lula vestidos de presidiários, mas a verdade é que quem responde a processos são o Eduardo Cunha, o Aécio Neves, o Cássio Cunha Lima, o Augusto Nardes, dentre muitos outros que vivem a acusar o PT, o Governo Trabalhista, o Lula e a Dilma.

As delações de Nestor Cervoró são ilações infundadas — e requentadas. Cita o Lula e não o conhece. Fala de gratidão ao presidente e ao PT, mas ele foi nomeado para cargos no Governo petista pelo PMDB. Seu inquisidor pergunta se ele falou com Lula e se o presidente agradeceu pelos seus trabalhos, o servidor corrupto se cala, não confirma, porque sabe que nunca teve acesso a Lula, bem como sempre foi ligado ao PMDB e ao PSDB, quando o senador preso, Delcídio Amaral, era diretor da Petrobras, além de ser tucano.

No Brasil e em todos os países, os partidos que vencem eleições e governam por intermédio de coalizões políticas nomeiam os diretores de estatais, bem como os titulares de ministérios e secretarias. A PF não sabe disso? Se não sabe, não fico admirado, porque roubaram a Petrobras durante décadas e a PF e o MP só há dois anos descobriram. Não é uma coisa de louco tal incompetência e leniência desses servidores públicos pagos a peso de ouro pelo povo brasileiro?

Enquanto isso, os coxinhas não abrem a boca para dar um pio para questionar o porquê de o consórcio PF-MP-Justiça-Mídias blinda tanto o PSDB e seus aliados, sendo que o sistema judiciário atenta contra a democracia, o estado de direito e a Constituição. Não é possível e nem justo aceitar que a Justiça, o MP, a PF, por exemplo, tomem partidos, cometam crimes de vazar processos e depoimentos em segredo de justiça e fique tudo por isso mesmo. Trata-se de crimes e molecagens. Essa gente deveria ser severamente punida, afastada e demitida por transformar investigações e prisões em um circo de mau gosto porque o interesse é o de fazer política contra o PT e o Governo Dilma, a ter o Lula como foco principal de suas diatribes.

Não é o Fernando Henrique Cardoso o alvo, estúpido! Essa gente fascista quer prender o Lula! A engrenagem para culpar Lula e cometer desatinos jurídicos e deturpar a verdade tem como plataforma a omissão e a seletividade por parte do sistema judiciário. Então vamos botar as cartas na mesa. Vazadores do MP ou da PF, que hoje trocam os pés pelas mãos para fazer política indevidamente, estão a usar, sordidamente, o depoimento de Nestor Ceveró, um dos ladrões do dinheiro público, contra Lula. Acontece que eles vão ter de explicar a revelação acontecida em outubro de 2015, na qual o Governo FHC recebeu US$ 100 milhões em propinas por “negócios” realizados na Argentina, no ano de 2002. Moral da história, o que é do Governo Lula eu mostro, enquanto o do FHC eu escondo.

Agora vamos à seletividade criminosa do MP, que, no mesmo depoimento de Cerveró, resolveu dar publicidade à parte que incrimina o Governo Dilma, sendo que, e tudo mundo sabe disso, inclusive os alienados, os idiotizados e os coxinhas, que o esquema de corrupção na Petrobras teve seu auge no Governo de FHC, que, inclusive, não só prejudicou a Petrobras, a sabotá-la para vendê-la mais barato, como também privatizou mais de 140 empresas públicas, que até hoje tais vendas não foram ainda severamente investigadas pelo MP e PF. Porém, um dia vão ser. Aí, sim, saber-se-á, de verdade, o que é uma estratosférica roubalheira. Aí, sim, coisa de ladrão “Golias”, não é PF e MP?

Causa transtorno ao Brasil e preocupação a seletividade de servidores públicos que tomam partido e escolhem lado vergonhosamente. Na verdade, trata-se de grande perturbação da ordem democrática, que deveria resultar em punições duras a esses servidores regiamente muito bem pagos pelo contribuinte brasileiro. O juiz de primeira instância, Sérgio Moro, por exemplo, recebe quase R$ 80 mil por mês. Verdadeiro marajá da República.

Um salário que deveria fazê-lo pensar em quão suas ações seletivas prejudicam a democracia e causa revolta em grande parte da população, que não é coxinha e nem apoia golpes contra presidentes que não cometeram crimes de responsabilidade, só porque a direita escravocrata deste País está inconformada por perder eleições presidenciais e agora quer porque quer ganhar as eleições no tapetão, ou seja, no berro, na mão grande, nos campos do TSE, STF e TCU. Isto mesmo. A direita não aceitou até hoje a sanção da Lei Áurea.

A PF, o MP e a Justiça vazam depoimentos à vontade e conjuram com as mídias dos magnatas bilionários da imprensa golpista para linchar a quem eles consideram seus inimigos políticos. É o fim da picada a bagunça e a desordem que essa gente irresponsável causa. E tudo porque querem melar o jogo democrático. E não vem com esse papo que o PT fundou a corrupção. A corrupção no Brasil e em outros países sempre existiu. Só que agora ela está a ser duramente combatida pelo Governo de Dilma Rousseff, eleita pelo PT. A PF é uma corporação do Governo, subordinada ao Ministério da Justiça e, por sua vez, subordinado à Presidência da República.

Dilma disse em sua campanha eleitoral sobre a corrupção: “Não vai ficar pedra sobre pedra!” E não vai! Vão, sim, as investigações chegar aos tucanos e seus aliados moralistas sem moral. Ah, que vão, vão. Tucano vai ter de se submeter aos ditames das leis brasileiras e deixar de ser inimputável, para o desgosto de grande parcela do povo brasileiro, que sabe que políticos do PSDB fazem campanhas e que campanhas eleitorais são milionárias. Então...
                                                                       
É perturbador. E por quê? Porque a denúncia de propinas milionárias pagas por argentinos e brasileiros no Governo FHC aconteceu de forma acidental. A descoberta se deu no escritório do senador preso, Delcídio Amaral. Consta nos autos os dizeres de Cerveró sobre a corrupção nos governos de FHC e especificamente na Petrobras, a estatal mais combatida pela direita brasileira desde 1953, ano em que a empresa emblemática para o Brasil foi fundada pelo presidente nacionalista e estadista, Getúlio Vargas.   

Agora vamos à pergunta que não quer se calar: Como Delcídio Amaral teve acesso ao depoimento de Cerveró? E em quais circunstâncias? Todo mundo sabe, até os recém-nascidos, os marcianos e os leitores de Veja, que Delcídio foi do PSDB, além de ter sido diretor da Petrobras nomeado por Fernando Henrique. Será que a PF e o MP sabem, mas se fingem de leitões para poder mamar deitados? Como se quisessem favorecer os tucanos em detrimento dos petistas... Com a palavra, o procurador-geral, Rodrigo Janot e o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo.

A verdade é que as investigações contra corruptos e corruptores ainda vão chegar às asas dos tucanos, que no Brasil, absurdamente, são inimputáveis. Entretanto, não tem jeito: o PSDB e seus primos, DEM e PPS são compostos por políticos, e políticos fazem campanhas, e campanhas custam muito dinheiro, e dinheiro para campanhas eleitorais é conseguido por intermédio de esquemas desde os primórdios da Velha República.

Será que os sábios, descolados e espertos juízes, promotores e policiais sabem disso? Respondo: sabem! O que falta a eles é serem republicanos, ou seja, servidores públicos a serviço do Brasil e de seu povo e jamais se tornarem aliados de partidos e grupos políticos, a terem as mídias de megaempresários conservadores e que lutam contra a independência do Brasil e a emancipação de seu povo há mais de um século como replicadores de seus vazamentos de propósitos políticos e partidários.

A caça ao Lula vai continuar de forma cínica, sórdida e perversa. O objetivo é desqualificá-lo, desmoralizá-lo e desconstruí-lo. A finalidade é fazer com que a população brasileira, principalmente os milhões de beneficiados pelos programas e projetos petistas esqueçam, definitivamente, os avanços sociais e econômicos que aconteceram em seus dois governos, de forma que Lula e suas administrações vitoriosas nunca tivessem existido.


Esse processo draconiano de desconstrução de Lula e de Dilma é a repetição do que aconteceu com Getúlio, Jango e Brizola. A direita não tem projeto para o País e repete seu linchamento moral e sua intolerância atávica. Vamos ver o resultado disso tudo. A direita vai tentar levar a Lava Jato até as eleições de 2018, como forma de sangrar a esquerda trabalhista. Lula não pode respirar quanto mais ser eleito pela terceira vez. É assim que a banda toca na fronteira das manipulações e distorções, além das acusações sem provas. Lula é o alvo. FHC e seus áulicos jamais. Só que tem uma coisa: o povo brasileiro não é idiota. É isso aí. 

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

PF partidária joga a Zelotes no colo de Lula enquanto os sonegadores deitam e rolam

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre



A Polícia Federal continua a ser partidária e a querer ouvir, sistematicamente, um ex-presidente da República de esquerda, que governou e administrou o Brasil, a colocá-lo em um lugar nunca antes alcançado na comunidade internacional, além de respeitado pelos avanços conquistados pelo povo brasileiro, que pela primeira vez, desde os tempos de Getúlio Vargas, foi incluído no orçamento da União, bem como se tornou protagonista de sua própria história.

A PF está muito preocupada com a corrupção, bem como também com a luta política que se radicalizou neste País, a partir das manifestações de junho de 2013. E resolveu escolher seu lado: o lado à direita do espectro ideológico, o lado dos conservadores, dos políticos que defendem as causas do establishment nacional e internacional, do sistema de capitais que não aceita mais perder eleições presidenciais para partidos e políticos de esquerda, trabalhistas, e que possuem um projeto de recuperação deste País, em busca de sua autonomia e independência, além de beneficiar o povo em todas as áreas de atividade humana.

A resumir: a efetivação de inclusão e justiça social. Este processo é insuportável para a casa grande, pois já durava dez anos até que, em junho de 2013, coxinhas de classe média ensandecidos com a ascensão dos pobres começaram a protestar com a camisa da Seleção Brasileira, como se demonstrassem nacionalismo sem saber de fato do que se tratava, porque até então a classe média se encontrava quieta à espera de uma oportunidade para demonstrar sua rejeição com a ascensão social dos mais pobres. A classe medíocre e egoísta que não se importa com a riqueza abusiva dos ricos, mas se revolta com a melhoria de vida das classes mais desprivilegiadas. Esta é sua principal característica e o status quo sempre se aproveita dessa realidade.

Entretanto, além de insultar com virulência as pessoas e as instituições pela internet e mostrar a quem queira seus terríveis preconceitos, a classe média se especializou em bater panelas de barriga cheia, sem a mínima noção do que é verdadeiramente passar fome ou ficar desempregada, coisa que Lula e Dilma fizeram no decorrer de seus mandatos, com mais de 20 milhões de postos de trabalhos criados com carteira assinada, fato este que cooperou, em muito, para que a classe média se empregasse.

E assim os fatos se sucedem enquanto a Polícia Federal tão cônscia em ouvir Lula pela quarta vez, mas distraída ou leniente quando tem de realmente ir atrás dos ricaços denunciados pela Operação Zelotes, que desviaram quase R$ 20 bilhões e até agora, com a aquiescência da Justiça, do MP e da PF estão leves, soltos e fagueiros a perambular pela vida, a gozá-la e a gastar seus muitos dinheiros, rindo e debochando da cara do contribuinte brasileiro, que às duras penas paga seus impostos na fonte, na boca do leão da Receita Federal.

O problema da PF e de seus delegados partidarizados à direita, sendo que alguns foram até apelidados de delegados aecistas do Paraná da Vara do Moro, é que eles, tais quais os meios de comunicação dos magnatas bilionários de imprensa, tem problemas para investigar os ricaços da Zelotes, porque acometidos também de profunda amnésia, que os levam a se preocupar com questões de medidas provisórias, a fim de não somente envolver o ex-presidente Lula, mas também seu ministro, Gilberto Carvalho, bem como seu filho, o Lulinha.

Medidas provisórias assinadas por um mandatário para melhorar o setor automotivo, a eximi-lo de algumas taxas e impostos, a fim de baratear os preços dos carros e, consequentemente, facilitar a compra de veículos por parte dos consumidores e, com efeito, girar a roda da economia. Medidas provisórias também assinadas desde o fim da década de 1990, ainda no Governo FHC, para beneficiar a indústria automobilística, que possui uma enorme cadeia produtiva, que inclui lojas de autopeças, postos de gasolina, oficinas mecânicas, dentre outros segmentos que movimentam a economia e geram empregos.

O que se pode esperar de delegados e promotores que se baseiam em notícias de órgãos de imprensa conservadores e historicamente reacionários quanto ao desenvolvimento do Brasil e de sua população? Delegados ideologizados e partidarizados, que não tem a mínima disposição para investigar escândalos a exemplo de HSBC, Trensalão, Metrozão, Lista de Furnas, aeroportos em terras de parentes de Aécio Neves, o Helicoca com quase meia tonelada de cocaína, as criminosas privatizações do Governo FHC, Banestado, Mensalão Tucano, dentre inúmeros casos de corrupção cujos protagonistas são os políticos do PSDB, partidos aliados, além de seus apoiadores da iniciativa privada, que cinicamente vivem do dinheiro do Governo, como ocorrem com as empresas familiares dos magnatas bilionários de tradição golpista.

Isto tudo acontece porque a Polícia Federal e seus delegados tem lado, cor ideológica e preferência partidária, em plena atividade pública, a serviço do País, o que é um absurdo nada republicano, porque estão a fazer política, equivocadamente. Contudo, eles não tem votos e não participaram de eleições para ocupar os cargos mais importantes da República, que são conquistados nas urnas pela vontade e o desejo soberano do povo brasileiro.

Esses delegados, como os promotores, são servidores públicos, que deveriam trabalhar com isenção e tratar de combater a corrupção sem escolher os partidos, as ideologias, as correntes e os pensamentos políticos, que vão ser observados e investigados. Delegado da PF é servidor público concursado e muito bem pago pelo seu patrão: o contribuinte — o cidadão brasileiro. A este cidadão a PF deve satisfações, até porque a sociedade não é idiota e sabe muito bem perceber quando autoridades públicas estão a fazer proselitismo político, que é o caso de muitos delegados, promotores e juízes, que vazam informações e dão opiniões e juízos de valores sobre pessoas que respondem a processos e ainda vão ser julgadas, fatos esses que, sem dúvidas, são uma afronta ao estado de direito.

Enquanto Lula depõe na PF, seu depoimento é vazado quase que instantaneamente para o Jornal Nacional da TV Globo, parceira política de certos delegados que abusam de seus cargos de poder para fazer oposição ao Governo Dilma e que desejam, evidentemente, impedir a volta de Lula à Presidência da República, em 2018. Uma lástima é o sistema judiciário brasileiro (Justiça, MP e PF). Muitos pensadores do Direito o consideram o Poder mais corrupto de todos, enquanto o povo pena ainda para ter acesso a uma Justiça igualitária e republicana. A Justiça não se democratizou. Ainda é um nicho de influência e poder da burguesia.

E por quê? Porque, mal ou bem, o Congresso corta na carne quando um de seus membros incorre em malfeitos. No Executivo, até presidentes caem ou são derrubados. Porém, o Judiciário é um problema gravíssimo. Trata-se de uma caixa preta fechadíssima, extremamente corporativista e violenta quando tem seus interesses contrariados, como ocorre quando seus integrantes querem aumento salarial, um orçamento maior para suas instituições ou influenciar na política brasileira. São arrogantes e presunçosos, o que é uma redundância, pois divorciados dos anseios do povo brasileiro, com raras exceções, pois muitos deles se comportam como príncipes.

A verdade é que essa gente de pouco saber e compreensão sobre política quer o poder. Delegados, promotores e juízes são, em sua maioria, de classe média e média alta. Eles são irremediavelmente a classe coxinha que nunca mandou de fato na República e agora estão com a faca e o queijo nas mãos e pensam em tomar conta do poder central, que é a Presidência da República e seus ministérios, com o objetivo de tutelar suas ações e governanças, sem ter um único voto popular que os autorize a fazer política em prol da oposição e determinar sobre as políticas públicas sem passar pelo crivo das urnas.

Trata-se da classe média coxinha vestida de preto, inebriada com o poder, como ocorreu em 1964, quando magistrados se aliaram aos golpistas. Agora, percebe-se o mesmo ódio e rancor para chegar ao poder, porque essas autoridades pagas a peso de ouro pelo povo representam os anseios das classes médias, que nunca tiveram voz para nada, pois sempre optaram por ser o rabo das classes abastadas, que nunca as aceitaram como parte de um mesmo corpo social. A mesma coisa poder-se-ia dizer da classe trabalhadora, que nunca confiou na classe média, porque a verdade é que a classe dos coxinhas não é realmente uma classe, porque não é organizada por não ser patronal e nem trabalhadora, no sentido tradicional, no que diz respeito ao capital e ao trabalho.

Lula não roubou, como também não rouba Dilma Rousseff. Pelo contrário, é exatamente nos governos deles que a PF teve liberdade para investigar, além de receber recursos orçamentários, materiais e de pessoal como nunca antes aconteceu neste País. Brizola e Getúlio também não roubaram, apesar das acusações da direita, proprietária da casa grande e de seus conglomerados midiáticos, nas tentativas inócuas de acusá-los de corruptos, quando os corruptos são aqueles que, além de representar os interesses do establishment, ainda são capazes de apostar em golpes, sejam eles pela força das armas ou de caráter jurídico ou parlamentar, como ocorre agora no Brasil, mesmo a ser a sétima maior economia do mundo.

Os burgueses roubam este País há cinco séculos, a começar pela majoração dos produtos que eles controlam e vendem. Os grandes empresários quando querem sabotam a economia e, com efeito, valem-se da inflação para fazer oposição aos governos que eles não apoiam, que é o caso dos presidentes petistas, e, no passado, petebistas. A Fiesp, a Firjan e suas coirmãs, que atuam em outros estados da Federação, são lideranças que sempre se posicionaram contra os governos progressistas que foram eleitos no Brasil a partir do advento da República.

Entidades patronais pródigas por fazer um pato mambembe desfilar contra os impostos, ao ponto de criarem o impostômetro. Todavia, como são malandros e por isto não dão ponto sem nó, jamais tais empresários vão fazer com que os patos espertalhões e sorrateiros deles apoiem a implementação de um sonegômetro, porque, como se sabe, basta a operação Zelotes na qual gente muita rica está envolvida, ao ponto de quase R$ 20 bilhões terem sido sonegados e até hoje a PF, o MP e Justiça não prenderam os meliantes, termo muito usado por policiais, que hoje estão “deverasmente” dispostos a ouvir o presidente Lula, implicar seu filho, o Lulinha, em qualquer crime que possa desconstruir a imagem de seu pai, bem como creditar ao ex-ministro Gilberto Carvalho a culpa por o setor automotivo ter recebido desonerações e desobrigações de algumas taxas, coisa que se fazia desde o governo do tucano FHC.

Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal I — é um ser “divino” e inimputável para a burguesia e sua polícia de elite representada pelos delegados federais atucanados, como também o são seus correligionários e aliados. No Brasil, tucano pode fazer tudo. Até corromper e ser corrompido, que não tem problema, porque são realmente, até agora, i-nim-pu-tá-veis! O motivo? Eles estão acima dos ditames da Constituição, ou seja, das leis brasileiras. Fazem o que querem ao ponto de um político mequetrefe do PSDB dizer certa vez que nunca seria preso porque não é petista. Surreal, mas é a mais pura verdade.

Se a PF e o MP fossem tão bons e competentes, como se autodenominam, certamente haveriam de perceber para investigar a corrupção na Petrobras já nos tempos de FHC — o Príncipe da Privataria —, que suspendeu a Lei de Licitações para a mais importante estatal brasileira. Isto mesmo, com a suspensão da lei obviamente que as facilidades de os corruptos cometerem seus crimes aumentaram. Considero desfaçatez e despropósito, por exemplo, um presidente da República da grandeza de Lula ter seu depoimento vazado por um meganha da PF que, certamente, por causa de sua ignorância e total falta de discernimento, considera-se melhor e mais importante do que o maior presidente da República que este País já teve, a acompanhá-lo Getúlio Vargas.

As pessoas que me leem pensam que eu estou a defender o PT e o Governo Trabalhista independente de qualquer coisa. Ledo engano. Faço críticas ao PT e ao Governo Dilma, mas considero intolerável a direita brasileira, uma das mais atrasadas e cruéis do mundo, apostar no quanto pior melhor, a ter como única plataforma o impeachment de quem não cometeu crimes de responsabilidade e prejudicar gravemente a economia do País, porque não se conforma em perder o controle do orçamento da União, bem como não aceita a derrota nas urnas. A quarta, diga-se de passagem.

Lula está aí, para o que der e vier. E não vai ser processado e muito menos preso. Ele, como Getúlio, Jango, Brizola e Dilma, não é ladrão do povo brasileiro. Ladrões são outros personagens. Protagonistas históricos não se lambuzam com malfeitos. Quem se lambuzam são exatamente aqueles que transformaram o Brasil em um pardieiro para se locupletarem. Há séculos roubam o povo, seja nos comércios ou nos altos escalões dos governos e da iniciativa privada. O tempo vai comprovar, como comprovou em relação aos mandatários trabalhistas acusados no passado de cometerem crimes que nunca cometeram.

A direita não pensa o Brasil e odeia de morte quem ousa pensá-lo. Não tratem os brasileiros como idiotas. A Polícia Federal partidária joga a Operação Zelotes no colo de Lula, enquanto os sonegadores e corruptos deitam e rolam. Pensa que o povo é bobo... E os R$ 20 bilhões sonegados pelos ricaços? Não vão atrás? Enquanto isso os tucanos do PSDB batem asas livremente. Com a palavra os delegados, os juízes e os promotores udenistas pagos pelo povo brasileiro. É isso aí.

Veja a lista das empresas que constam na Operação Zelotes, que os delegados da PF e os promotores não conseguem enxergar, porque o foco político e partidário deles é o Governo Trabalhista, o PT, o Lula e seu filho — o Lulinha.

Banco Santander - R$ 3,34 bilhões
Banco Santander 2 - R$ 3,34 bilhões
Bradesco - R$ 2,75 bilhões
Ford - R$ 1,78 bilhões
Gerdau - R$ 1,22 bilhões
Boston Negócios - R$ 841,26 milhões
Safra - R$ 767,56 milhões
Huawei - R$ 733,18 milhões
RBS - R$ 671,52 milhões
Camargo Correa - R$ 668,77 milhões
MMC-Mitsubishi - R$ 505,33 milhões
Carlos Alberto Mansur - R$ 436,84 milhões
Copesul - R$ 405,69 milhões
Liderprime - R$ 280,43 milhões
Avipal/Granoleo - R$ 272,28 milhões
Marcopolo - R$ 261,19 milhões
Banco Brascan - R$ 220,8 milhões
Pandurata - R$ 162,71 milhões
Coimex/MMC - R$ 131,45 milhões
Via Dragados - R$ 126,53 milhões
Cimento Penha - R$ 109,16 milhões
Newton Cardoso - R$ 106,93 milhões
Bank Boston banco múltiplo - R$ 106,51 milhões
Café Irmãos Júlio - R$ 67,99 milhões
Copersucar - R$ 62,1 milhões
Petrobras - R$ 53,21 milhões
JG Rodrigues - R$ 49,41 milhões
Evora - R$ 48,46 milhões
Boston Comercial e Participações - R$ 43,61 milhões
Boston Admin. e Empreendimentos - R$ 37,46 milhões
Firist - R$ 31,11 milhões
Vicinvest - R$ 22,41 milhões
James Marcos de Oliveira - R$ 16,58 milhões
Mário Augusto Frering - R$ 13,55 milhões
Embraer - R$ 12,07 milhões
Dispet - R$ 10,94 milhões
Partido Progressista - R$ 10,74 milhões
Viação Vale do Ribeira - R$ 10,63 milhões
Nardini Agroindustrial - R$ 9,64 milhões
Eldorado - R$ 9,36 milhões
Carmona - R$ 9,13 milhões
CF Prestadora de Serviços - R$ 9,09 milhões
Via Concessões - R$ 3,72 milhões
Leão e Leão - R$ 3,69 milhões
Copersucar 2 - R$ 2,63 milhões
Construtora Celi - R$ 2,35 milhões
Nicea Canário da Silva - R$ 1,89 milhão
Mundial - Zivi Cutelaria - Hércules - Eberle - Não Disponível
Banco UBS Pactual SA N/D
Bradesco Saúde N/D
BRF N/D
BRF Eleva N/D
Caenge N/D
Cerces N/D
Cervejaria Petrópolis N/D
CMT Engenharia N/D
Dama Participações N/D
Dascan N/D
Frigo  N/D
Hidroservice N/D
Holdenn N/D
Irmãos Júlio N/D
Kanebo Silk N/D
Light N/D
Mineração Rio Novo N/D
Nacional Gás butano N/D
Nova Empreendimentos N/D
Ometo N/D
Refrescos Bandeirantes N/D
Sudestefarma/Comprofar N/D
TIM N/D
Tov N/D
Urubupungá N/D
WEG N/D
Total - R$ 19,77 bilhões

PS: Agora vamos à pergunta que não quer calar: Por que somente os empresários de construtoras são presos? E os empresários dos diferentes segmentos da lista publicada?

PS2: Ainda tem o HSBC, o Metrozão, o Trensalão, a Lista de Furnas, o Helicoca, a Sabesp, o Mensalão Tucano, o Banestado, os Aeroportos nas terras de parentes de Aécio, a Telefonia, a Vale, as Privatarias, a compra de votos para a reeleição de FHC, a Pasta Rosa, o Apagão de um ano e meio de FHC, o naufrágio da Plataforma P-36, etc etc etc... Ufa!


PS3: Sugiro que a Justiça, a PF e o MP comprem, urgentemente, óculos de altos graus para juízes, delegados e promotores udenistas. Talvez eles passem a enxergar o que o povo brasileiro enxerga há muito tempo. 

segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

FHC apresenta sua plataforma política e econômica: o golpe e a mentira!

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Todo mundo sabe e compreende que o ex-presidente tucano, Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal I — é vaidoso e também rancoroso, porque inconformado com seu governo fracassado, e, consequentemente, muito pior do que o Governo do petista Lula, que, a despeito de suas falhas e equívocos, tornou-se um sucesso reconhecido internacionalmente, bem como pelo povo brasileiro, que desde os tempos de Getúlio Vargas e João Goulart não era beneficiado pelo Estado brasileiro, que se tornou um agente estritamente dedicado aos interesses da burguesia, dos donos do dinheiro — da casa grande.

FHC — o Príncipe da Privataria — continua a trilhar por veredas tortuosas, apesar dos seus 84 anos e experiência política e social suficiente para compreender que um golpe contra uma mandatária que nunca cometeu crimes de responsabilidade tem um preço a ser cobrado, sendo que a conta do grão-tucano, o principal ideólogo do golpismo que acontece no Brasil, é alta, porque certamente seu nome irá para a lixeira da história.

Fernando Henrique é o que se poderia considerar um intelectual de prateleira, como o são os “especialistas” de prateleiras da Globo News e da CBN, sempre prontos e dispostos a deitar falação sobre qualquer assunto que possa se transformar em uma espada para ferir o Governo Trabalhista de Dilma Rousseff, a ter ainda como alvo constante o ex-presidente Lula, o operário que, recorrentemente, deu lições de políticas públicas aos doutores, historicamente inócuos quando governam o Brasil e insipientes quando se trata de cuidar do povo.

Fernando Henrique se tornou octogenário, mas ao que parece a vida não lhe ensinou quase nada, mesmo sabendo dos tempos de ditadura militar contra a qual o tucano de passado marxista fazia oposição, a ser liderado por políticos como Ulysses Guimarães e Franco Montoro, dois dos líderes do MDB depois PMDB, até que uma dissidência no final dos anos 1980 levou os paulistas e seus associados de outros estados a fundarem o PSDB, um partido criado para ser de centro-esquerda, mas que se tornou a principal referência política da direita brasileira, inclusive das facções mais reacionárias e atrasadas deste País.

Grupos conservadores, a exemplo do mercado financeiro, dos latifundiários e dos magnatas bilionários de imprensa, sendo que a existência desses últimos é a pior coisa que pode acontecer a um País, a uma sociedade, por se tratar de gente que controla, manipula, distorce e mente quando se trata de informar a população sobre os fatos e as realidades. Enfim, verdadeiros criminosos que jamais foram processados quanto mais julgados.

Contudo, Fernando Henrique, há mais de 20 anos, pulou a cerca em direção à casa grande. Hoje, o tucano do PSDB (existem tucanos no DEM, PPS, PROS, Rede, PP, SD) é um dos próceres da direita golpista, que se recusa, desde outubro de 2014, a descer do palanque, além de apostar no golpe, sem se preocupar se a conta vai ser alta, porque parte importante da sociedade organizada não vai deixar barato, e, por sua vez, sairá às ruas para protestar e enfrentar os golpistas.

Fernando Henrique deveria, como líder da oposição, juntamente com Aécio Neves e seus áulicos do golpe, apresentar propostas para o povo brasileiro, em busca do desenvolvimento do Brasil. Entretanto, pedir esse procedimento por parte do tucano seria demais. Impossível. É que eu acabei de lembrar que a direita brasileira, da qual FHC faz parte, não tem e nunca teve projeto de País e programas governo. Por isto a iniquidade desses grupos de direita, a liderá-los o PSDB.

Há poucos dias, Fernando Henrique Cardoso soltou mais uma de suas pérolas. O sociólogo, que não entende nadica de nada de povo e de Brasil, o que se torna por si só uma grande contradição, afirmou, no programa dedicado aos coxinhas que se consideram chiques e descolados — o Manhattan Connection, da Globo News, que {Dilma Rousseff} “não precisa de empurrão, se cair, Dilma cai sozinha”.

Ledo engano do Príncipe da Privataria. O golpe já foi derrotado antes de terminar 2015. FHC sabe disso. Na verdade, ele quer manter em chamas a fogueira do golpismo, que já está a chegar às suas cinzas, como um corpo cremado. Somente os pseudos do Manhattan para dar voz ao golpismo barato praticado pela direita brasileira, que se recusa a aceitar os resultados das eleições e a inclusão social que aconteceu nos governos petistas de Lula e Dilma.

O tucano emplumado com seu eterno ar propositalmente blasé, o que causa frisson nos colonizados do Manhanttan Connection, que desprezam o Brasil e fazem caras de paisagens para os graves problemas sociais que ocorrem no primeiro mundo, desde as questões raciais e de imigrações até realidades duras como as guerras e a falta de moradias, a fome, a violência e a pobreza, como ficou evidente no caso do furacão Katrina, que varreu o litoral sul dos Estados Unidos, a atingir, em cheio, a cidade de Nova Orleans e municípios circunvizinhos.

Essa gente da imprensa “cheirosa”, como bem definiu a jornalista Eliane Cantanhêde, profissional ligada ao status quo, que certa vez comentou que a convenção do PSDB estava surpreendentemente cheia, mas cheia de povo. Só que de um povo “cheiroso”. FHC é este tipo de político, conforme a ótica extraviada de Cantanhêde e dos jornalistas provincianos e colonizados do Manhattan, que desconhecem as realidades do Brasil e não se importam, de forma alguma, com a melhoria da qualidade de vida do povo brasileiro.

Essa gente politicamente pequena achou muito engraçado e pertinente os devaneios golpistas de Fernando Henrique, que só é levado a sério pelos empregados das Organizações(?) Globo envolvidos com os interesses políticos e econômicos do oligopólio de comunicação da famiglia Marinho. Uma família midiática que sempre foi contrária aos interesses dos trabalhadores, às conquistas trabalhistas, como demonstrou, sem dúvidas, por intermédio do editorial de domingo com o título de “Tosco”, um texto medíocre e intelectualmente... Tosco!

Tosca é a mentalidade dos Marinho e de seus porta-vozes que mais uma vez se insurgiram contra o aumento do salário mínimo, que foi para R$ 880,00, acima da inflação e com ganho real de mais de 72% em dez anos. No passado, esses magnatas bilionários também foram contra o 13º salário, sempre a apostar no caos, a distorcer e a mentir sobre as realidades que se apresentam. Enfim, essa gente é contra o Brasil, o trabalhador e a favor de seus interesses e de seus sócios internacionais e nacionais.

FHC é uma vergonha nacional. Aos 84 anos joga a sua já medíocre biografia na lixeira. Político veterano, que conhece a história recente do Brasil, Fernando Henrique jamais poderia apostar em golpes, a prejudicar a economia do Brasil e se juntar a gângsters de imprensa, que se pudessem retornariam aos tempos da escravidão. Volto a dizer: não há nada mais atrasado e mais tosco do que o empresariado dos meios de comunicação privados. Nada. Nem os gigolôs de vacas são como eles, bem como os banqueiros, que já nasceram moralmente sujos.

Disse aos jornalistas, o golpista tucano de idade avançada e pouco juízo, tanto que vendeu o Brasil e o quebrou três vezes: “Sou otimista para recompor uma situação política no Brasil, três a cinco anos. E completou, na maior cara de pau: "O risco maior na América Latina é esse populismo (...) tomara que o Brasil se livre disto. (...) Renúncia, retomada da liderança presidencial em novas bases ou, sendo inevitável, impeachment ou nulidade das eleições".

FHC é um completo irresponsável, e, convenientemente, desmemorizado. Ele apelou para o golpe total, sem máscaras e tergiversações. O sociólogo que não entende patavinas de povo, agora assume o golpismo descarado, a esquecer, todavia, que seus governos foram péssimos, pois quebraram o Brasil três vezes, os juros de 45% atingiram os píncaros da falta de respeito, estatais como a Petrobras foram sabotadas para que se pudesse vendê-las mais barato, bem como a infraestrutura do Brasil, como portos, aeroportos, estradas de ferro e rodovias ficaram em petição de miséria.

Além disso, praticamente não havia programas sociais que mantivessem as crianças nas escolas e garantissem a segurança alimentar delas, além de os índices de pobreza, miséria e fome serem altos, o que envergonhava o País perante o mundo. Por seu turno, nossas reservas internacionais estavam na lona quando Lula assumiu o poder. Havia problemas em todos os setores, e FHC — o Neoliberal I —, político cooptado pelo establisment, saiu do poder com baixos índices de aprovação.

Tempos sombrios para o povo brasileiro, que nem ao emprego tinha acesso. Uma era tão terrível, que até para botar carne em cima da mesa era difícil. Os governos de Lula e Dilma criaram mais de 20 milhões de empregos, e agora Dilma enfrenta uma crise, que é mundial, mas que vai ser debelada, porque o nome desta crise se chama imprensa, notadamente as Organizações(?) Globo. No Rio de Janeiro, agora e neste momento, estão a visitá-lo quase um milhão de turistas.

Restaurantes, bares e lanchonetes cheios. Shoppings cheios. Aeroportos e rodoviárias abarrotados de gente, mas a tecla insidiosa da crise é sem fim nas televisões, jornais e revistas dos magnatas bilionários, golpistas que odeiam o Brasil e seu povo. Tratam todo mundo como idiota, como o faz também setores partidarizados da Justiça, do MP e da PF. Só que ninguém é idiota. Nem o FHC com seu golpismo barato e irresponsável. FHC apresenta sua plataforma política e econômica: o golpe e a mentira! É isso aí.