Google+ Badge

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Davis Sena Filho é homenageado com Moção de Louvor e Aplausos em defesa das causas sociais e da democracia

POR DAVIS SENA FILHO — PALAVRA LIVRE


Vereador João Mendes de Jesus, em nome do povo carioca, entrega Moção de Louvor e Aplausos ao jornalista Davis Sena Filho, em reconhecimento por sua luta em defesa das causas sociais e da democracia.

Prezados leitoras e leitores, minhas amigas e meus amigos, companheiras e companheiros, compartilho com vocês a Moção de Louvor e Aplausos que recebi em homenagem aos meus 30 anos de jornalismo profissional, na área de Política, em cerimônia, no dia 6 de outubro, na Câmara Municipal do Rio de Janeiro.

O reconhecimento do povo carioca por tantos anos de luta em prol das causas sociais e da democracia, a realizar um jornalismo combativo e sempre a favor da sociedade brasileira me causou alegrias e tristezas, vitórias e derrotas, mas nunca desisti do Brasil, apesar de muitas vezes ter sido insultado, desrespeitado e até ameaçado, sem, no entanto, jamais recuar e esmorecer. Todavia, faz parte...

Por sua vez, as pessoas que em todos esses anos compartilharam e compartilham com os meus pensamentos, ideias e os princípios e os valores que norteiam minha vida e a maneira como vejo o mundo me comovem e me emocionam, porque desejamos um Brasil para todos, além de democrático, justo e solidário.

O reconhecimento ao meu trabalho e ao combate político que há anos vivo diariamente por acreditar em um Brasil desenvolvido, independente e soberano, com um povo totalmente emancipado, fizeram com que eu derrotasse os medos e elevasse a coragem, em razão da boa luta e das causas sociais, que transformam os homens e as mulheres em seres muito especiais, porque plenos de amor, compaixão e solidariedade.


Muito Obrigado!  



terça-feira, 3 de outubro de 2017

Delegada Érika Marena e Lava Jato: o arbítrio e a morte do reitor Cancellier — Meganhagem e fascismo

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


A primeira vítima mortal da meganhagem irresponsável, inconsequente e de caráter fascista foi a dona Marisa Letícia, esposa do ex-presidente Lula. A segunda vítima é o reitor da Universidade Federal de Santa Catarina, Luiz Carlos Cancellier, que se atirou do alto de um shopping. Os dois são o sangue nas mãos sujas e fascistas do Estado policial estabelecido no Brasil por intermédio de um golpe de Estado violento e terceiro-mundista. O golpe de direita, que entrega as riquezas do Brasil aos estrangeiros, aos empresários e banqueiros, retira direitos fundamentais do povo, arrasa a economia propositalmente e desmonta criminosamente o Estado brasileiro em tempo recorde.

Antes e após a instalação do Estado policialesco no Brasil, a sociedade brasileira, principalmente os setores democráticos, acadêmicos, bem como as entidades e os grupos sociais organizados perceberam logo que o golpe de estado bananeiro e travestido de legal e legítimo, porque foi sacramentado pelo Congresso mais corrupto, entreguista e desprovido de quaisquer interesses públicos e noções de soberania, que viabilizem definitivamente a independência do Brasil, tem como propósito maior consolidar o golpe, independente se inocentes serão massacrados ou não.

Juízes, procuradores, promotores, delegados da PF e até mesmo alguns generais, que estão a dar declarações irresponsáveis e inconsequentes, pois a favor de "intervenção" (golpe) militar, resolveram intervir no processo político brasileiro, a criminalizar a política e a judicializar até mesmo as ações e os atos legais e legítimos de presidentes, que foram legalmente eleitos e reeleitos para governar, a ter a Constituição e o Estado Democrático de Direito como alicerces de suas autoridades e governabilidades.

Entretanto, a partir da Lava Jato, o processo golpista se fortaleceu, porque se tornou extremamente intervencionista e de caráter macartista, o que possibilitou a hipertrofia do Poder Judiciário em relação aos outros dois poderes da República, a acompanhá-lo neste processo maquiavélico e draconiano as corporações Ministério Público Federal/PGR e Polícia Federal, que passaram, não mais a somente investigar e denunciar os responsáveis por roubos e corrupções, mas, sobretudo, fazer política, a má política, diga-se de passagem, sem a necessidade de comprovar a materialidade das provas de quem cometeu crimes.

E por quê? Porque os membros dessas instituições estatais começaram a escolher lado partidário, a expressar suas ideologias e a pender a balança para os partidos que pertencem ao establishment, a favorecer, inclusive, o desmonte do Estado nacional, a subordinação humilhante do Brasil aos EUA, além de cooperar, inquestionavelmente, para o gigantesco desemprego de 15 milhões de pessoas, conforme os índices oficiais, porque o desemprego de brasileiros é muito maior, pois dezenas de milhões de trabalhadores estão a trabalhar na economia informal.

A Lava Jato é, seguramente, uma das principais responsáveis por este caos que, propositalmente, tomou conta do Brasil e arrasou com sua economia, bem como sua soberania ficou de joelhos perante os países hegemônicos. É neste panorama terrível e sombrio que o projeto de poder dos golpistas e usurpadores que traem o Brasil e seu  povo diariamente que a Lava Jato e seus integrantes efetuam seus atos e ações.

É neste ambiente de atmosfera torpe e obscura que togados e meganhas se elevam em suas corporações e tomam uma dimensão que jamais teriam em um país civilizado ou num período em que determinada nação, mesmo em desenvolvimento como o Brasil, preza pelo Estado Democrático de Direito, a ter a Constituição como a sentinela sempre atenta, a fim de garantir os direitos e as garantias fundamentais de um povo que luta há séculos para ser emancipado e, por sua vez, soberano de sua vida e de seu destino.

Agora, depois da morte de dona Marisa Letícia, os protagonistas do golpe de estado e os "intocáveis" da Lava Jato já têm em suas mãos sujas de sangue o segundo cadáver. Trata-se do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luiz Carlos Cancellier, que se suicidou ao se atirar do vão do prédio do shopping Beira Mar. O reitor e mais seis colegas, a mando da delegada Érika Mialik Marena, foram presos e humilhados, pois quando chegaram à prisão tiveram de ficar desprovidos de suas roupas e encarcerados nus em suas celas.

Nada contra o reitor foi comprovado e por isto libertado da cadeia. A delegada e seus parceiros delegados e procuradores, com a cumplicidade de juízes, acostumados a pedir por prisões temporárias de pessoas, sendo que muitas delas não cometeram crimes, como ocorreu e ocorre no decorrer de três anos de Lava Jato, não se importam com as consequências destrutivas que desconstroem a humanidade de quem foi violado em sua cidadania, humilhado e conduzido por servidores do Estado à execração pública e ao linchamento moral.

Seguramente, dezenas, quiçá centenas de pessoas, que foram acusadas e não cometeram crimes estão a passar por tratamentos médicos e psiquiátricos, porque mesmo os que aparentemente não somatizaram psicologicamente ou fisicamente as denúncias, acusações, coerções, prisões e humilhações de todo tipo e monta, certamente que levarão para o resto da vida as aflições e dissabores pelos quais passaram, em nome de um moralismo conservador, barato e cruel, de um falso moralismo udenista/lacerdista a toda prova.

E por quê? Porque os verdadeiros ladrões e corruptos estão no poder, com endereços certos no Congresso, no Palácio do Planalto, nos ministérios, na Petrobras, no STF e no Judiciário, além dos pilantras de estimação do MPF e da Vara do juiz Moro, que delataram conforme a música pedida pelos togados e meganhas, e agora estão a se dar bem, a aproveitar a vida no conforto de suas mansões. Tais pulhas estão bem, obrigado..., com a cumplicidade e a aquiescência do MPF, da Justiça e da PF. Para se safar de crimes, basta conjugar com os interesses golpistas e, com efeito, ser delator mentiroso e safado, a serviço da meganhagem aos estilos DOI-Codi e Dops.

O reitor Luiz Carlos Cancellier não cometeu quaisquer irregularidades, ilegalidades e malfeitos à frente da UFSC. Ponto. As acusações da delegada Érika M. Marena são  um misto de suposições com convicções à moda procurador Deltan Dallagnol do powerpoint midiático, leviano e mentiroso, para variar.

Porém, a morte é real, pois o professor e reitor evidenciou seu ato político e de protesto contra os desmandos, as arbitrariedades e as covardias por parte de agentes do Estado, que no pré golpe, durante o golpe e após o golpe consideram que o Brasil e os cidadãos brasileiros pertencem a eles e às suas vontades cabotinas e ações discricionárias e casuísticas. É simplesmente o fim da picada o que está a passar o Brasil, porque essa gente autoritária resolveu tomar o poder a fórceps!

O professor não roubou e as acusações levianas imputadas a ele e a seus colegas o levaram a uma prisão injusta no dia 14 de setembro para depois ser libertado. A operação que matou o professor ganhou o nome de "Ouvidos Moucos", sendo que "moucos" são os ouvidos das autoridades policiais e do MPF que foram responsáveis por tamanha insensatez, desfaçatez, burrice e selvageria.

Observa-se que se trata de coisa de meganha década de 1970 mesmo. Para a delegada, do alto de sua vaidade vã e autoritarismo de cunho fascista, o reitor poderia até não ter roubado, mas "supostamente" — esse pessoal da Lava Jato adora ferrar com os outros por causa de suas "convicções" e ausência de provas materiais e reais — deveria ter feito alguma coisa para "coibir os abusos".   

Agora vamos à pergunta que não quer calar: "Como é que é cara pálida?" Então, raciocinemos. O reitor foi acusado de desvio de recursos no que concerne aos cursos de educação a distância da Universidade Federal de Santa Catarina. Entretanto, ressalvo, a própria PF reconhece que ele não cometeu crimes, mas foi, digamos, "negligente", por não "coibir os abusos", o que não é a verdade, até porque, ao que parece, a verdade não é o que nos últimos tempos tem apetecido os personagens de cinema, loucos por fama, luzes e palmas.

Se recusaram a ouvi-lo e não permitiram que o reitor se defendesse e apresentasse provas. Trata-se de uma operação policial e midiática, que visa, mais do que tudo, alimentar as manchetes de uma imprensa meramente de mercado, corrupta e criminosa, que há décadas é promotora de golpes de estado e que achincalha e insulta aqueles que são tratados por ela como inimigos.

A intenção, como já fizeram com dezenas e dezenas de pessoas, foi desmoralizar e condenar o reitor Cancellier e seus colegas pela imprensa de negócios privados e, por seu turno, receberem o apoio da classe média conservadora, ou seja, dos coxinhas tão golpistas ou mais do que os usurpadores que tomaram o poder de assalto e estão a roubar o Brasil a partir de Brasília, sendo que para esta mórbida e infame realidade o MPF e a PF, assim como inúmeros juízes fazem caras de paisagens.

A delegada Érika M. M. será denunciada, processada e afastada de seu cargo e função? Como fica agora? A "intocável" será punida por ter cometido tal imprudência e irresponsabilidade? O magnífico reitor, que,  comprovadamente, possui modesto patrimônio foi acusado e denunciado como ladrão e corrupto por agentes do Estado irresponsáveis e midiáticos.

É insuportável este estado de coisas que acontece no Brasil dos golpistas e usurpadores bestiais, que tomaram o Palácio do Planalto porque não aceitaram a quarta derrota nas eleições de 2014, e que, definitivamente, para a vergonha da inteligência e da sensatez, acabaram com a democracia brasileira e deram um pontapé no Estado Democrático de Direito, a seus bel-prazeres. A PF e o MPF, absurdamente, queriam que o reitor Cancellier respondesse pelos atos administrativos e corrupções de outros atores que administraram a UFSC, considerada a sexta melhor universidade federal do País.

A perseguição política de meganhas e togados ao reitor, que lavou sua honra em holocausto por ser honrado e honesto, como comeu o pão que o diabo amassou ao ser humilhado com o cárcere, de forma que mesmo livre foi impedido de entrar na universidade em que ele era o reitor. Teve de dar aula durante duas horas, quando os meganhas fascistas e amantes das luzes da ribalta impuseram a ele esse curto tempo.

Do contrário, Luiz Carlos Cancellier seria preso novamente se ficasse em sala um minuto a mais sequer, mesmo depois de a juíza o ter liberado por total falta de provas materiais. Escorraçado e humilhado pela Justiça que atendeu o MPF e a PF de condutas persecutórias, o professor ficou impedido de transitar em liberdade em seu próprio mundo, sem ter cometido quaisquer crimes. Não lhe deram o direito à ampla defesa e ao contraditório, e o mataram por não saberem que estavam a lidar com um homem honrado, que na desonra preferiu a morte.

O reitor Cancellier, como dona Marisa Letícia, foi assassinado pelos meganhas e togados da Lava Jato, bem como pela imprensa burguesa, tendenciosa e manipuladora. Seu corpo, como bandeira da democracia e da liberdade, passou em frente à sede da Polícia Federal em Florianópolis, a formalizar perante o povo de Santa Catariana e do Brasil o seu holocausto, pois levado ao suicídio em nome de sua honra.

Coloque na conta da Lava Jato a morte do reitor Luiz Carlos Cancellier, delegada Érika Mialik Marena. Coloque na sua conta também e na de quem te acompanhou nessa covardia e imprudência. A lista de arbitrariedades e covardias é longa. Delegada, responda por seus atos administrativamente, civilmente e criminalmente. O restante deixe com as penas e as letras da história. E viva a meganhagem! Viva! É isso aí.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Folha é uma m...; em m... se dá descarga! Globo também... Evidentemente!

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"M... de medíocre, tá?! Evidentemente!"

A Folha de S. Paulo, conjuntamente com a Globo, do alto de seu golpismo reles e barato, pois de terceiro mundo e ao estilo comeu comida estragada e arrotou caviar, publica uma pesquisa do Datafolha de caráter cretino, manipulado, distorcido e totalmente irresponsável e perverso, que pergunta às pessoas se o "Lula deve ser preso ou não". Uma pesquisa que, na verdade, somente tem um objetivo: ferrar ainda mais com o Lula, porque é incomensurável o desespero dos patifes que deram mais um golpe e estão a ver o golpe a escorrer por entre suas mãos e seus dedos, como se fosse água.

É inacreditável que este pasquim de direita, que considera fazer um jornalismo de ponta, elabore juntamente com o Datafolha, que não passa de um instrumento de luta política da direita brasileira, principalmente a ligada aos bancos e aos interesses da casa grande brasileira, faça uma pesquisa em que crucifica uma pessoa, no caso o ex-presidente Lula, que está a se defender de processos e de condenação perpetrados pelos Judiciário, MPF e PF, que, inquestionavelmente e visivelmente, agem e atuam em prol de impedir que o líder trabalhista e de esquerda seja candidato a presidente em 2018.

A sordidez e a infâmia do Datafolha e da Folha de S. Paulo, com a repercussão combinada com a TV Globo e seus veículos pertencentes às Organizações(?) dos Marinho, que já têm em sua coleção dois golpes de estado — o de 1964 e o de 2016 — são devidas à liderança de Lula em todos os estágios eleitorais, a liderar a preferência dos cidadãos e eleitores brasileiros, que a despeito da linchamento público e da fogueira medieval onde querem queimar o ex-mandatário, ele ainda consegue sobreviver politicamente.

O problema é que o povo tem memória e compreende, sem sombra de dúvida, que nos dois governos de Lula e no primeiro de Dilma vivia muito melhor do que nos tempos do desgoverno do golpista, usurpador e traidor *mi-shell temer — o maior fracasso retumbante da história da República, que, seguramente, pode ser colocado na conta e no colo da Folha, da Globo e de todos os órgãos de comunicação pertencentes ao capital privado e que tramaram, juntamente com o Judiciário, o MPF e o Congresso mais corrupto e alienado de todos os tempos, a deposição da presidente constitucional e legítima, Dilma Rousseff.

A presidente que, tal qual ao Lula, não roubou, mas conquistou 54,5 milhões de votos e mesmo assim foi derrubada do poder por canalhas, ladrões, celerados e sem vergonhas de toda estirpe e espécie, a incluir neste antro de cafajestes ou covil de lobos a Folha de S. Paulo e as Organizações(?) Globo, que odeiam o Brasil e seu povo, bem como conspiram com as forças estrangeiras, notadamente os Estados Unidos, para que o Brasil jamais seja independente, soberano e livre para escolher e determinar seu destino e seu lugar no mundo.

Contudo, o que chama a atenção é a pergunta cretina e criminosa do Datafolha e repercutida com destaque pela Folha de S. Paulo e pela Globo e, certamente, o será pela parafernália midiática privada e de mercado, que tem por propósito impedir que o Lula seja candidato em 2018. Do contrário, será um "golpe ou vitória de pirro", porque os golpistas celerados e frenéticos afundaram economicamente o Brasil, desmontaram o Estado nacional em tempo recorde, eliminaram os programas de inclusão social e humilharam o Brasil perante a comunidade internacional, com danos e prejuízos irreparáveis à Nação.

Em um País sério, essa gente de baixíssimo nível, no que diz respeito a pensar e defender os interesses do Brasil, seria certamente presa e fuzilada, de acordo com o grau de seus crimes de lesa-pátria e de conspiração contra o Governo legitimamente eleito, a ordem pública e as instituições, a Constituição e o Estado Democrático de Direito. Não há cabimento para que se tergiverse no que é relativo à culpa dos usurpadores e golpistas, que tomaram o poder de assalto, volto a ressaltar, como fazem os bandidos nas ruas, nas calçadas, nos lares, nos comércios, nos morros e nas periferias.

São todos farinha ou bandidos do mesmo saco, só que divididos em classes sociais e cargos públicos e privados. Golpistas desgraçados que ferraram com o Brasil e sua luta pela soberania e independência, independente das virtudes e dos defeitos dos governos petistas, porque o que está em jogo para a sociedade brasileira é a impessoalidade, a imparcialidade e a competência para fazer Justiça por parte dos juízes e procuradores, que têm por obrigação de serem isentos, de forma que a seletividade, a parcialidade e a injustiça não sejam as tônicas dos processos jurídicos.

Processos que nas mãos do STF, da PGR e da Lava Jato, por exemplo, tornaram-se políticos, partidários e ideológicos, com os togados e meganhas muito à vontade em frequentar o campo da direita, inclusive o empresarial e midiático, o que facilitou, e muito, para que mais uma vez a Banânia se tornasse novamente a Casa da Mãe Joana e, com efeito, o golpe de estado travestido de legal e legítimo contra a presidente legítima e constitucional, Dilma Rousseff, se concretizasse com a participação especial do Congresso Nacional, o mais conservador e corrupto da história bananeira deste infeliz e azarado País. Ponto.

Porém, o alvo é o Lula, e a Folha é a flecha de agora, neste exato momento, com a participação nociva e tóxica das Organizações(?) Globo, que está a deitar e rolar, a se refestelar com a "pesquisa" mau caráter e propositalmente direcionada para que o Lula seja mais uma vez, das incontáveis vezes, levado ao purgatório, só que desta vez por empresas de empresários que deveriam há muito tempo serem investigados e, quiçá, presos, porque, indubitavelmente, que essa gente bilionária e dona da casa grande é patrimonialista e, consequentemente, têm acesso ao dinheiro público, além de ser acusada de inúmeros crimes, dentre eles de falsificação de documentos, não pagamento de dívidas, sonegação de impostos, não declaração de contas em paraísos fiscais, bem como conspiração e golpe de estado contra presidentes legítimos e eleitos pela maioria do povo brasileiro.

Se investigassem severamente os crimes desses caras, que se adonaram ou tomaram posse do Brasil e o tratam como capitania hereditária repleta de escravos, certamente que esses criminosos que não servem para nada, a não ser atazanar a vida brasileira, estariam a ser processados e, por sua vez, presos.  

Ninguém é melhor do que ninguém, e o Brasil pertence a todos os brasileiros. Estas palavras que têm de ser ditas aos juízes partidarizados e burgueses, bem como aos procuradores do powerpoint mentiroso, leviano e vazio de provas contra o Lula, com pretensões políticas e partidárias, assim como midiáticas, a angariar fama e dela se aproveitar para ter acesso a valores monetários, com publicações de livros e palestras, dentre outros benefícios e privilégios, como os togados a ter, por um momento em suas vidas, acesso às comezainas dos ricos, a considerar que fazem parte do mesmo círculo, o que estão redondamente enganados, porque rico não se mistura com a classe média que, equivocadamente, pensa que chegou ao paraíso, mesmo sendo empregada do público e do privado.


A Lava Jato terminará, e os servidores públicos que estão em um ôba ôba pretensamente sem fim voltarão às suas rotinas de trabalho e a viajar de vez em quando a Miami e Orlando para lamber os sapatos do Mickey e, como sempre, a dar uma de Patetas, com suas vidinhas repletas de sonhos de ascensão social e riquezas, que poderiam elevá-los no que tange ao status quo.


Porém, a realidade é que ainda precisam prender o Lula e impedi-lo de ser candidato em 2018. Para isso contam com o apoio da imprensa de mercado e golpista por natureza, além de ser a mais corrupta e leviana do mundo ocidental. A pior de todas as imprensas, como também temos no Brasil o pior Judiciário em termos ocidentais, pois o mais caro, alienado e distante das demandas e necessidades do povo brasileiro, além de ser golpista e responsável também pela instabilidade institucional e política no País.

O Judiciário permitiu que um ladrão do País derrubasse a presidente reeleita, honesta e que jamais incorreu em ilegalidades e malfeitos. Inesquecível e que entrará nas páginas mais sombrias da história deste País, que tem uma "elite" com vocação estupidamente bananeira.   


Entretanto, Lula é o alvo dos golpistas e corruptos, pois a corrupção não se atém apenas à esfera venal — a do dinheiro. Mentir e manipular é corrupção. Acusar sem provas é corrupção. Disseminar denúncia vazia é corrupção. Prender sem culpa comprovada é corrupção. Participar de golpe de estado é corrupção. Manipular, distorcer e selecionar as investigações é corrupção. Vazar os processos para linchar as pessoas antes de serem comprovadas suas ilicitudes é corrupção.


Repercutir powerpoint leviano e mentiroso é corrupção. Levar uma pessoa ao juízo de forma coercitiva, sem ela ter sido convocada oficialmente a depor é corrupção. Prender para obrigar o preso a delatar sem ainda ter sido julgado e condenado é corrupção. Soltar informações à imprensa de negócios privados e corrupta de forma seletiva e fora do conjunto dos autos dos processos é corrupção. Indiciar o Lula sem quaisquer provas é corrupção. Prendê-lo a nove anos e meio de cadeia sem ter comprovado nada contra o líder político é gravíssima corrupção, porque prender alguém inocente é o fim do Judiciário e de sua maior responsabilidade: fazer justiça.


Não haverá paz no Brasil. Sem justiça não há paz! Quem viver verá... Quando juízes e procuradores sobrepõem suas vontades e desejos no que é relativo à justiça, encerra-se todos os sonhos civilizatórios e a luta pela igualdade entre os homens e as mulheres. Então, o sistema dominante propiciará que a Nação retorne à barbárie e os bárbaros e selvagens imporão à sociedade a injustiça, que geralmente atende aos interesses de grupos e corporações ricos e hegemônicos, que cuidarão apenas de suas vidas, porque não possuem programa de governo e muito menos projeto de Nação e de País, como se vê e se observa, agora, no Brasil.


Togados e meganhas que estão a tratar da vida de pessoas, que podem ser presas e, com efeito, ter seus futuros demolidos por causa de sentenças provenientes de juízes e procuradores midiáticos, com suas verves iluminadas pelas luzes da ribalta da imprensa e das mídias golpistas e eternamente descompromissadas com a verdade que deveria pautar o jornalismo, pois tutoras do genuíno, autêntico e verdadeiro jornalismo de esgoto.


Lula está a ser linchado por animais midiáticos com o apoio do Judiciário golpista, que estão apavorados com seus altos índices de popularidade, apesar da rejeição natural depois de três anos a ser achincalhado publicamente por verdadeiros canalhas. O que a Folha fez com o Lula, por meio de repercussão demoníaca da Globo, é de uma desumanidade e covardia para poucos e a toda prova. A pergunta do Datafolha se o cidadão considera "se o Lula deveria ser preso ou não", não seria permitida em um país civilizado pelo simples fato de o Lula estar a se defender na Justiça e a contestar, sistematicamente, as decisões de um juiz político, seletivo e parcial como o é o Sérgio Moro, bem como tem igualmente se mostrado o desacreditado e questionado STF.


A pergunta "se o Lula deveria ser preso ou não" é de uma covardia sem precedentes, de uma patifaria e calhordice sem par, sem igual, porque somente nesta Banânia de uma Justiça injusta e covarde algo tão sinistro e bárbaro poderia acontecer. Mas, qual é o motivo da surpresa? Não se surpreenda, caros cidadãos e cidadãs. Este País que atenta contra todos os marcos civilizatórios é o que tem mais homicídios no mundo, bem como trabalho escravo e infantil, além e alto índice de prostituição e tráfico de armas e drogas. Trata-se do País mais desigual do mundo.


Aqui, na Banânia, se dá golpes de estado como se trocasse de camisa, bem como este paiseco tem a classe média mais alienada, entreguista, reacionária e burra do planeta, pois dá tiros nos próprios pés e se volta contra seus direitos e garantias fundamentais. Quer algo mais surreal e imbecil? Estou agora, finalmente e após 58 anos, a concordar com os coxinhas e os ricos da Banânia. E explico: este País é realmente uma merda, como cansei de ouvir dos coxinhas tresloucados com complexos de vira-latas durante toda a minha vida.

O ex-presidente trabalhista e de esquerda, Luiz Inácio Lula da Silva, poderá ser preso e não disputar as eleições de 2018, mas o presidente de direita que assumir será considerado golpista, diuturnamente, pois eleição sem o Lula é fraude e farsa. Eleição direta sem a principal força popular do Brasil é ilegítima. O presidente eleito sem a concorrência de Lula assume o poder como usurpador. A Folha é uma m...; em m... se dá descarga! A Globo também... Evidentemente! É isso aí.

PS: M... de medíocre, tá?! Evidentemente!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Palocci é o Fausto, vende sua alma e se converte em um reles sabujo — Lula, Dirceu e Vaccari

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


"A forma desrespeitosa e caluniosa como se refere ao ex-presidente Lula demonstra sua fraqueza de caráter e o desespero de agradar seus inquisidores. Política e moralmente, Palocci já está fora do PT". (Gleisi Hoffman, senadora e presidente nacional do Partido dos Trabalhadores em resposta à "carta" do ex-ministro Antônio Palocci, que, ao se tornar um reles sabujo de seus inquisidores, também o é mentiroso)

Existem homens e homens; mulheres e mulheres. Há os que têm fibra, assim como os que possuem caráter fraco e se entregam humilhantemente para não perderem suas vidinhas cômodas e confortáveis, o que é, sem sombra de dúvida, o caso do ex-ministro da Fazenda Antônio Palocci, que, tristemente e subservientemente, apareceu em vídeos nos quais o sabujo preso só faltou se ajoelhar para lamber os sapatos do juiz Sérgio Moro, o ditadorzinho da província das araucárias e do PSDB do Paraná. 

Até os meganhas e togados dos mais mal-intencionados sabem disso e compreendem com quem podem contar por meio de métodos legais ou ilegais, de acordo com a "freguesia", como acontece com a "santa inquisição" da Lava Jato comandada pelos arautos e os varões de Plutarco, que, em nome do combate à corrupção, ajudaram, e muito, a submeter o Brasil a uma condição de republiqueta bananeira, que tem por finalidade maior consolidar o golpe dos bandidos de direita e afastar, de qualquer maneira, o ex-presidente Lula das eleições presidenciais de 2018.

Mas, para implementar tal processo maquiavélico e draconiano, pleno de arbitrariedades e covardias que não coadunam com o Estado Democrático de Direito e a Constituição, os juízes, em especial o Sérgio Moro, e os procuradores, a exemplo de Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, bem como os delegados Igor Romário de Paula, Leandro Daiello e Marlon Cajado, necessitam fundamentalmente de indivíduos com carácteres fracos e nenhuma disposição para enfrentar as agruras da vida, ainda mais quando se trata da impiedosa luta política, que não é realmente para qualquer um enfrentar.

Para poder sair da cadeia e voltar à sua vidinha empresarial na iniciativa privada em meio aos ricos que tanto o apetecem, Palocci não mediu as consequências de suas irresponsabilidades e passou a mentir mais do que o Pinóquio. Tornou-se, por livre arbítrio, um cidadão pusilânime e de triste figura, a se entregar à desmoralização moral e citadina, além de renunciar seu passado e sua história. Fraco de caráter, Palocci fugiu da luta como o faz o galo medroso e covarde, que foge da pua ou da espora de seu contendor. Palocci é poltrão.

Não se importa com nada, a não ser sair o mais rápido possível do cárcere, mesmo se o preço for vender sua alma àqueles que estão no poder e fazem do Judiciário um partido político de direita e que está disposto, doa a quem doer, impedir que o Lula seja presidente pela terceira vez. Porém, para isto, necessita de mentiras e cafajestadas por parte de gente do nível de Marcelo Odebrecht, Leo Pinheiro, Delcídio do Amaral e Antônio Palocci, dentre muitos outros, que, desesperados para sair da cadeia, refazem seus depoimentos aos bel-prazeres dos procuradores, delegados e juízes, que formaram uma frente política e ideológica que tem, sobretudo, o propósito de intervir na política, bem como para isto tem de criminalizá-la e judicializá-la.  

Contudo, Palocci se desdiz, pois suas contradições, a exemplo das perpetradas por Leo Pinheiro e Marcelo Odebrecht, não conseguem fechar uma delação propositiva, objetiva, lógica e baseada em provas materiais contundentes. Em seu despacho perverso e injusto, por isto  político e partidário, quando decidiu pela condenação de Lula, o juiz Moro, que jamais prendeu ou prenderá um tucano golpista, ladrão e corrupto na vida, porque com os tucanos o magistrado de província apenas tira fotos e se deixa ser filmado a sorrir e a confraternizar, apenas confirmou à sociedade que o ex-presidente já estava condenado muito antes de virar réu, fato este que chama a atenção do mundo jurídico, inclusive em âmbito internacional.

Moro foi denunciado, mas a verdade é que o juiz reconheceu em despacho que responde aos embargos de declaração apresentados pela defesa de Lula, que ratificam que o político trabalhista e de esquerda não foi beneficiado por valores oriundos da Petrobras. O reconhecimento do magistrado foi explícito, mas mesmo assim resolveu estabelecer uma sentença condenatória a quem não cometeu quaisquer crimes. E têm patetas que não acreditam que o Brasil está a viver em um regime de exceção imposto por membros do Judiciário.

Essa gente não consegue compreender que o Poder Judiciário não dá satisfação ao voto, pois se negou a se submeter às urnas de 2014, bem como pretende decidir, absurdamente, como o povo deve votar e em quem votar, o que se comprova, indubitavelmente, por intermédio da perseguição sistemática e por meio de Lawfare contra o Lula, cuja eleição sem sua presença se tornará a maior fraude e farsa da história republicana. E promovidas, inacreditavelmente, pelo Judiciário!!! Seria surreal, a principal representação popular do País ser impedida pelo Judiciário de não concorrer às eleições, sem ter sido comprovado malfeito algum praticado pelo líder de esquerda. Eleição decidida no tapetão.

"Este juízo jamais afirmou na sentença, ou em lugar algum, que os valores obtidos pela construtora OAS nos contratos com a Petrobras foram utilizados para pagamento de vantagem indevida para o ex-presidente" — reconhece Moro. A verdade é que o processo não poderia ser julgado na 13ª Vara Federal de Curitiba, porque o juiz também reconheceu que Lula não é de fato, ou seja, preto no branco, o dono do imóvel de Guarujá, que foi concedido pela OAS como moeda para seus negócios junto à Caixa.  

Portanto, para condenar o Lula, o juiz do PSDB do Paraná teve de recorrer às mentiras e leviandades dos delatores desesperados, que entregariam as suas próprias mães para voltar a usufruir do conforto e das mordomias de suas mansões, como os privatistas e entreguistas do desgoverno do usurpador e traidor *mi-shell temer venderiam também suas mães se fosse necessário para ferrar ainda mais com os interesses do Brasil e de seu povo. Como está a fazer com o País a fórceps e sem anestesia a quadrilha de meliantes celerados, que tomou de assalto o Palácio do Planalto.

Lula não é o proprietário do apartamento do Guarujá. Para conseguir a condenação do ex-presidente, o "intocável" de toga considerou que o apartamento que jamais pertenceu a Lula e a suposta reforma do imóvel foram viabilizados com os recursos de um "imaginário caixa geral de propinas". Realmente, a mediocridade perdeu a modéstia... e a vergonha! Não se preocupam nem mais em disfarçar seus crimes, porque prender um cidadão sem culpa comprovada significa que qualquer cidadão brasileiro está à mercê de delatores e bandidos, que estão à disposição de juízes, delegados e procuradores que, porventura, tenham más intenções, que são retratadas em interesses políticos, partidários, eleitorais, ideológicos e corporativos.

O ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto foi inocentado após amargar injustamente um longo tempo preso. Qualquer tempo atrás das grades é longo, quando não se tem culpa. Vaccari foi inocentado, além de ter sido comprovado que seu patrimônio é modesto. E agora? O Moro e os procuradores obsessivos do powerpoint mentiroso e leviano serão presos, punidos, afastados de seus cargos? Ou servidores públicos do Judiciário, tais quais os tucanos, são inimputáveis? Com a resposta, as corregedorias e os conselhos das respectivas corporações. E agora, como fica a remissão e a justiça à honra de Vaccari?

Enquanto isto, os tesoureiros dos partidos golpistas e de direita estão a deitar e rolar, pois jamais foram minimamente molestados pela Justiça e a Procuradoria burguesas de carácteres persecutórios.  Um dos principais motivos para o Vaccari poder conseguir sua liberdade de volta foi exatamente a falta de provas, porque sua prisão se baseou apenas em delações, sendo que tal realidade é a mesma de Lula e de José Dirceu, que voltará a ser preso só porque Dirceu é Dirceu, que se tornará mártir, pois perseguido caninamente, a ser um preso político e encarcerado injustamente, bem como, certamente, não se transformará no sabujo Palocci.

Estão a prender ou a perseguir ou a impedir que as lideranças competitivas do PT concorram aos principais cargos do País, porque sabem que a direita não vence eleições. Então, os servidores do Judiciário se apegam até a delações não homologadas e modificadas, conforme o interesse do inquisidor, que não se faz de rogado e acusa e denuncia pela imprensa de negócios privados mais calhorda, golpista e corrupta do planeta, cujos donos um dia terão de responder por seus graves crimes nas barras dos tribunais.

Qualquer coisa serve para concretizar os propósitos da militância política judiciária e, com efeito, vale-se de argumentos frágeis que não consolidam de forma alguma as provas que possam comprovar que determinada pessoa cometeu crimes, como são os casos de Lula, de Vaccari e de Dirceu. O problema é que os três cidadãos citados não roubaram e o Judiciário realmente não se preocupa com esta questão tão grave e pertinente para sua credibilidade perante a Nação e à comunidade internacional, que há muito tempo está a perceber que no Brasil aconteceu um golpe de terceiro mundo, com aquiescência, a cumplicidade e o protagonismo do Poder Judiciário, do MPF e da PF, que se tornaram instituições e corporações golpistas, que atuam no campo ideológico da direita.

Antônio Palocci entregou, como Fausto, sua alma a Lúcifer. Mais do que isto: quer formalizar com o MPF um pacto para diminuir suas penas e, quiçá, ser aceito como delator e, por sua vez, ir embora, em algum dia não muito longe, para sua casa, assim como cuidar de seus negócios privados. Palocci, no poder, demonstrou estar encantado e deslumbrado com o mundo de negócios privados e hoje é tudo no que ele pensa, porque precisa demais curtir a vida, a ter como combustível o dinheiro que ele ganhou ao fazer consultorias para os ricos e muito ricos.

Vazio de propósitos reais como melhorar as condições de vida do povo brasileiro, Palocci se torna um fraco de caráter fútil e leviano, a se valer da mentira, da distorção dos fatos e da manipulação das informações para que ele possa ser beneficiado, doa a quem doer, mesmo ao preço de acusar o Lula sobre episódios dos quais ele não participou, pois não estava presente. Palocci se tornou o Fausto desmoralizado e tratado como um pária moralmente decadente pelos procuradores, delegados e juízes. Palocci é o fim da picada! Trata-se de um "mauricinho" medroso e mentiroso.

Palocci está a ser desmentido sobre tudo o que ele disse ao MPF e ao juiz Moro, do PSDB do Paraná. Um exemplo marcante é quanto ao ex-presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, que desmentiu a carta cretina e leviana de desfiliação de autoria de Palocci. Gabrielli contesta, sem deixar margem à brecha, quando Palocci, lamentavelmente, afirma que participou de uma suposta reunião no Palácio do Alvorada para combinar as propinas relativas às sondas para o Pré-Sal.

"Nunca tive qualquer reunião com o presidente Lula e presidenta Dilma para discutir atos de corrupção relativos às sondas para o Pré-Sal brasileiro" — afirmou Gabrielli, para logo concluir: "Há uma confusão de datas nas falsas alegações de Palocci, uma vez que a pretensa reunião mencionada pelo delator teria ocorrido em 2010, mas os contratos das sondas só efetivamente foram assinados em 2011". Touché!

Evidentemente que será lógico e prático para demover quaisquer dúvidas verificar as atas das reuniões e comprovar as datas dos contratos firmados. Por seu turno, acredito que mesmo com essas retumbantes provas os varões de Plutarco, os heróis da moral e dos bons costumes seriam capazes de tratá-las apenas como detalhes, afinal o Lula foi incriminado em inúmeros processos, sendo que nenhum deles contêm provas materiais incontestáveis e verídicas.

A verdade é que o Lula não roubou, mas quem vão roubar o povo brasileiro no que diz respeito às eleições presidenciais de 2018 serão o Judiciário e o MPF, com o apoio fascista das manchetes e das notícias da imprensa de mercado corrupta e historicamente golpista. A imprensa burguesa e alienígena, que acusa, denuncia, julga, prende e depois lincha em praça pública aqueles que o sistema midiático bilionário e entreguista considera como inimigos a ser destruídos, porque não obedecem e seguem sua agenda ultraneoliberal, antidemocrática, antinacional, antipopular e entreguista.

Antonio Palocci ainda não sabe, mas ele já é o fantasma de si próprio, que assombra sua alma e seu sono. Palocci se desmoralizou e foi "quebrado" pelos verdugos da Lava Jato. Ele ficou perdido como o cachorro que caiu do caminhão de mudança. É galo medroso, que não aguenta a pua, que corta e fere a carne.


Dirceu, Vaccari e Lula suportam a luta sangrenta na rinha política e judicial com coragem e determinação, a manter intactos seus espíritos e a integridade moral, a não se venderem a ninguém para serem beneficiados por meio de mentiras, calúnias, injúrias e difamações. É preferível a morte do que delatar para se dar bem, como disse recentemente o José Dirceu e como o faz Lula, que luta abertamente contra as acusações infames que fazem contra ele. Palocci é o Fausto e o sabujo! É isso aí.

segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Lava Jato é a narrativa dos pulhas, mentirosos e golpistas contra o Brasil e a candidatura Lula

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

E tem muito mais crimes e ilegalidades cometidos pelos membros da Lava Jato. Muito, muito mais...

Em qualquer país sério, os servidores do Judiciário, do MP e da PF se dedicariam aos autos dos processos, porque técnicos do Direito e jamais se partidarizariam, independente de nomenclaturas e nomes que se dão às suas instituições, órgãos e corporações de acordo com cada país. Aqui, na Banânia da casa grande e de seus coxinhas amestrados, acontece o contrário, porque muitos juízes, procuradores, promotores e delegados estariam afastados de suas funções, bem como vários desses servidores públicos já teriam sido exonerados ou demitidos, para o bem do serviço público, isto se não estivessem presos por causa de seus inúmeros e diferentes crimes.

Entretanto, como indica e assevera o título deste artigo, a Lava Jato é a narrativa dos pulhas, mentirosos e golpistas, a ter a Globo e mais meia dúzia de famiglias que controlam os meios de comunicação privados, que vivem do dinheiro público, a repercutir, intermitentemente, a narrativa dos que cometem covardias, porque não somente contam os fatos reais de suas investigações, acusações e denúncias, mas, sobretudo, criam fatos irreais, inverídicos, fantasiosos e imaginários, bem como os passam a um público de índole conservadora e golpista, sedento de sangue e de "justiça" apenas contra aqueles que essa gente sempre votou contra, sempre foi adversária.

Não se quer justiça no Brasil; o que move as pessoas que tomaram o poder central de assalto e seus apoiadores, sendo que os principais são os servidores públicos do Judiciário e os cascas grossas da imprensa de mercado, é enquadrar o PT e suas principais lideranças, se possível prendê-los e, com efeito, jogar a chave do cárcere fora, a fim de promover a liberdade dos tucanos, bem como fazer com que seus incontáveis processos de todos os tipos de crimes e corrupções prescrevam. É exatamente isto o que está a acontecer.

A verdade é que não é possível acreditar que os procuradores, delegados e juízes não percebam que o ex-presidente Lula está a ser alvo de Lawfare, assim como não é possível também admitir que esses servidores não viram e ouviram que mais de 200 pessoas declararam em seus depoimentos não ter conhecimento algum sobre o ex-presidente trabalhista ter cometido malfeitos e ilegalidades.

Os depoimentos são contundentes, mas mesmo assim o justiceiro de Curitiba, juiz de primeira instância, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, condenou Lula a nove anos e meio de prisão, mesmo a reconhecer não ter provas materiais, mas a se considerar pleno de "convicções", tal qual o powerpoint mentiroso e leviano dos procuradores, que demonstrou, ipsis litteris, que a Justiça, o MPF e a PF têm lado partidário, cor ideológica e políticos preferidos.

Servidores do Judiciário que criminalizaram e judicializaram até as ações e os atos legítimos efetivados pelos governantes do PT legalmente eleitos, e, acima de tudo, dispostos a se mobilizar para que Lula, o maior político da América Latina e o líder inconteste de todas as pesquisas eleitorais seja impedido de se candidatar e, consequentemente, abrir o caminho para o candidato mais forte da direita brasileira, a mesma secularmente acostumada a tomar de assalto e a usurpar os palácios presidenciais, como fazem os bandidos contra o povo e a paz social nas ruas deste País, que está conflagrado em uma guerra armada sem precedentes, com dezenas de milhares de vítimas todo o ano, bem como ninguém sabe como a violência vai terminar.

O Brasil possui um Judiciário alienado, caríssimo e totalmente distante dos anseios e dos interesses da população. Trata-se, verdadeiramente, de um Judiciário e MPF burgueses, que, se houvesse uma revolução vitoriosa em terras tupiniquins, mais da metade de seus membros seria demitida e presa pelos crimes de conspiração, de lesa-pátria e golpe de estado, dentre muitas outras ilegalidades anticonstitucionais.

Arbitrariedades de autoria de servidores públicos que se transformaram em serviçais dos interesses dos partidos de direita, do grande capital privado (bancos e empresas midiáticas) e de governos estrangeiros. Cometeram, sistematicamente, ilegalidades jurídicas que se verificaram no decorrer dos processos da Lava Jato de caráter fascista e perigosamente contrárias aos preceitos do Estado Democrático de Direito.

E tudo isto nas barbas dos cúmplices e parceiros STF e PGR, pois a intenção maior é consolidar o golpe empresarial e de direita, que mais uma vez tomou para si as riquezas naturais e patrimoniais do Brasil, que perdeu, em apenas dois anos, a sua soberania de forma deliberada e humilhante, porque os golpistas e usurpadores são fantoches e apátridas subalternos das potências mundiais, especialmente dos Estados Unidos, com quem a direita brasileira adora ter relações carnais, mas sempre na condição imperativa de tirar os sapatos e arriar as calças. Nada é mais subserviente e vergonhoso.

Percebe-se agora, depois dos pronunciamentos canhestros e mequetrefes, além de irresponsáveis dos generais Mourão e Etchegoyen, com o apoio igualmente sem sentido e inconsequente do comandante do Exército, general Villas Bôas, que a casa grande da Banânia não deu corda ao golpismo de direita dos militares porque somente os quer, se for necessário, como próceres de guarda pretoriana nas condições de standby. Tipo assim: "A molecagem golpista entornou o caldo e o bicho vai pegar para a gente. Chamem o Exército!"

As oligarquias brasileiras estão satisfeitas com a atuação de capitão do mato do Judiciário, que tem como fundamento político e ideológico principal o impedimento de Lula e, quiçá, sua prisão em segunda instância. Lula poderá ser preso injustamente, pois a Justiça e o MPF, bem como a PF, após três anos não encontraram nada que comprovasse que o político mais importante do Brasil tenham roubado. Porém, nada importo, porque os mentirosos e levianos resolveram, por conta própria, mentir.

Agora os togados e meganhas da Banânia acostumada a golpes de terceiro mundo terão de dar continuidade à vergonhosa trapaça, à fraude que subjuga o Direito e à farsa que viola a verdade. Trata-se, peremptoriamente, da maior patifaria e canalhice da história do Judiciário brasileiro efetivada por homens e mulheres que rasgaram solenemente seus juramentos e, por conseguinte, aproveitaram-se cargos e funções públicas pagos pelos contribuintes para fazer a política mais rasteira, perversa e injusta que se tem notícia na história do Brasil contemporâneo. Fora a covardia...

A Justiça tem de ser severamente julgada. O MPF e a PF também, nem que seja pela história, a memória e o imaginário do povo brasileiro, porque tais instituições se tornaram os bridões ou as camisas de força que prendem e sufocam o Brasil e seu povo, para que os bilionários nacionais e internacionais possam amarrar a vaca, que é o Estado nacional, e mamar à vontade em suas fartas tetas. E está a acontecer agora, neste exato momento, com direito de os golpistas venderem os pedaços da vaca depois de a esquartejarem.

Por sua vez, a cambada de agentes da infâmia, do retrocesso e do atraso estão a lidar com um grande problema: o calendário das eleições presidenciais de 2018. Estão nervosos e desesperados, porque perceberam que a direita de alma escravocrata possui, no mínimo, seis candidatos, assim como está totalmente dividida, porque seus inúmeros grupos de predadores do Brasil disputam ferozmente e vorazmente o espólio do Estado nacional.

O País está a ser entregue irresponsavelmente por verdadeiros chefes de quadrilhas e bandos diferentes, que tomaram o poder central de assalto e que, agora, estão a lutar pela hegemonia política e, com efeito, apresentar o candidato da direita que possa unir as hienas, os chacais, os abutres e os tubarões, bem como elaborar estratégias para escaparem, incólumes, da cadeia, como acontece com os tucanos do PSDB, do DEM e do PPS, que apesar de terem sido acusados e denunciados por inúmeros crimes de corrupção, até hoje voam pelas terras brasileiras livres, lépidos e fagueiros, a ter como companhia no poder usurpado o PMDB do quadrilhão de *mi-shell temer e Cia.

O PSDB ocupa, indevidamente e por meio de um golpe de estado travestido de legal e legítimo, quatro importantes ministérios. Portanto, o PSDB é um dos alicerces principais do consórcio golpista de direita que tomou de assalto a Secretaria de Governo (Antônio Imbassahy), o Ministério das Cidades (Bruno Araújo), o Ministério da Fazenda (Henrique Meirelles), o Ministério das Relações Exteriores (Aloysio Nunes Ferreira, anteriormente foi usurpado pelo José Serra),  Direitos Humanos (Luislinda Valois), além da Petrobras (Pedro Parente), o mão de tesoura que deveria estar preso, com uma punição pesada, pois que se trata de um golpista perigosíssimo e realizador de crimes em série de lesa-pátria.

Parente é o vírus que contaminou o corpo da Petrobras. A verdadeira obsessão predatória do PSDB, cujo o DNA entreguista tem como alvo principal uma das petroleiras mais importantes e poderosas do mundo, que, inacreditavelmente, é tratada pelos tucanos e os golpistas do PMDB como uma praga que causa-lhes dissabores, porque poderia viabilizar o desenvolvimento do Brasil e emancipar definitivamente o povo brasileiro, principalmente a partir da descoberta do Pré-Sal, que os tucanos e a direita em geral sempre disseram que a riqueza insofismável do Pré-Sal era superdimensionada e supervalorizada.

Por meio de um golpe, esses usurpadores e golpistas tomaram a poderosa estatal de assalto e estão a entregá-la à estrangeirada malandra e esperta, que sempre colonizou os cérebros desse péssimos políticos e executivos, que têm como princípio de suas vidas impedir o desenvolvimento econômico e social do Brasil. A tucanagem é vil e composta por gente incapaz, incompetente, entreguista e que odeia profundamente seu próprio País. Nunca vi tucano investir no Brasil e em seu povo, apenas tive a inenarrável e indescritível indignação e decepção de ver tais sediciosos inimputáveis e terceiro-mundistas (não é mesmo juízes Moro e Gilmar?) venderem o País.

Realmente é só o que esses inúteis sabem fazer desde quando fundaram o partido mais traidor da Pátria brasileira: o PSDB. O partido de direita que odeia a terra onde a casa grande enriquece e vende o Brasil, sem construir uma única escola ou posto de saúde. O PSDB e os sacripantas e pulhas filiados a tal agremiação são como um enxame incomensurável de gafanhotos a devorar as plantações, no caso as estatais e a infraestrutura brasileiras. A mediocridade tucana perdeu, definitivamente, a modéstia, mas jamais perderá a soberba e a falta de programas de governo e projeto de País. O PSDB jamais pensou o Brasil. Colonizado e com complexo de vira-lata, apenas o vende com os pés descalços e as calças arriadas... Um horror e terror!

Contudo, a Lava Jato é a narrativa do status quo, que tem alguns juízes, procuradores e delegados envolvidos até as suas medulas com o golpe de estado terceiro-mundista, a despeito do combate à corrupção que formatam manchetes sensacionalistas para o público e não para o povo, até porque, não sei se tais togados e meganhas sabem, opinião é pública é diferente de opinião publicada, o que faz com que a direita brasileira se equivoque ou se engane.

A verdade nua e crua é que quando as pesquisas são realizadas pelos institutos que pertencem ao próprio establishment, o que se vê é que o Lula, depois de ser linchado covardemente e perversamente em praça pública durante três anos pela dupla golpista Judiciário/imprensa de mercado, continua a liderar a corrida presidencial.

Lidera mesmo após o povo e parte importante da classe média saberem que o político mais popular do Brasil, que saiu do poder com praticamente 90% de aprovação, um recorde mundial a superar o famoso Nelson Mandela, ser acusado de ser corrupto, fato propositalmente criado pelos operadores da Lava Jato e comprovadamente persecutório e mentiroso, porque até hoje o juiz Moro e seus cúmplices de inúmeros crimes cometidos abertamente contra o Lula e o João Vaccari, por exemplo,  jamais e em tempo algum conseguiram apontar um único malfeito que o Lula tenha incorrido. Esta é a verdade factual. Ponto.  

Agora essa gente sem eira e nem beira está a se preocupar com o calendário eleitoral. Necessitam, como os seres precisam de oxigênio, que o TRF-4 e as varas de primeira instância de Curitiba, do Distrito Federal e de São Paulo, que possuem processos contra o Lula, não lhes deem descanso, de forma que o político de esquerda e trabalhista fique o tempo todo a se defender de acusações mentirosas, levianas, perversas e infundadas, ações estas que configuram o Lawfare, que significa a utilização do Direito e das leis para fins de perseguição política e ideológica contra o inimigo a ser derrotado.

No caso, o inimigo da direita judiciária e midiática é o Lula, como fizeram anteriormente com o José Dirceu, que está prestes a ser condenado à prisão perpétua sem quaisquer comprovações materiais de que o ex-ministro da Casa Civil tenha cometido crimes. É surreal este País de togados e meganhas que decidiram, a seus bel-prazeres, criminalizar o ato de governar e judicializar a política, de forma a permitir que a direita conquistasse o poder por um golpe e, com efeito, mantê-la no poder por intermédio de julgamentos tendenciosos, seletivos e injustos, ou seja, os agentes de Estado e do Judiciário a cometer crimes graves de responsabilidade, realidades que, por si só, seriam objetos de cadeia. O Judiciário brasileiro, um dos mais caros e alienados do mundo, ressuscitou o macartismo da década de 1950. É o fim da picada!

Trata-se do vale tudo contra as forças de esquerda, progressistas e populares, menos quando se trata dos ladrões e corruptos do PSDB, do PMDB e do DEM, dentre outros partidos, de acordo, inclusive, com as denúncias da PF e do ex-PGR Rodrigo Janot, que também foi importante agente do golpe contra a mandatária legítima e constitucional Dilma Rousseff, que recebeu a confiança e o apoio de 54,5 milhões de brasileiros, que decidiram reelegê-la e posteriormente tiveram seus votos rasgados por quadrilheiros que derrubaram a presidente e que estão hoje a enfrentar, descaradamente, a sociedade brasileira, cuja parte saiu às ruas contra seus próprios direitos e garantias fundamentais. Estes são os coxinhas "geniais".

Porém, não importa, pois a luta continua com o Lula preso ou não. Prender Lula é temerário porque nada consta contra ele, bem como o líder popular será redimido pela história, enquanto muitos dos "heróis" forjados artificialmente pela imprensa de negócios privados mais corrupta e golpista do mundo responderão à história pelos seus atos e ações criminosos e persecutórios.

Entretanto, prendê-lo o deixa maior politicamente e humanamente, como ficaram maiores líderes populares como Nelson Mandela, Pepe Mujica, Mahatma Gandhi, dentre muitos outros que eram considerados pela imprensa burguesa da casa grande e pelos coxinhas eternamente empregados dos ricos como terroristas, subversivos, criminosos, bandidos e ladrões. Por sua vez, a história, que não vacila e não blinda niguém, tratou-os de redimi-los perante a humanidade, sendo que, certamente, é o que acontecerá mais cedo ou mais tarde com o maior líder político do período republicano da história do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, a tê-lo em sua companhia o estadista gaúcho e trabalhista Getúlio Vargas.

As pesquisas se sucedem e Lula sucessivamente lidera as pesquisas. A Globo e seus comparsas de golpes já vaticinaram: "Doa a quem doer, Lula não governa e colocaremos qualquer moleque sem vergonha e teleguiado na Presidência, porque somos golpistas covardes, mentirosos e violentos, assim como usurpamos o poder e impomos a nossa agenda ultraneoliberal, antidemocrática, antinacional e antipopular. A nossa agenda draconiana é que vai ser colocada em prática, com a ausência de Lula nas eleições de 2018, mesmo sabendo que seu impedimento torna, indelevelmente, as eleições em farsa e fraude. Temos o juiz Moro, o TRF-4 e o STF para isto, e esta tirania nos basta". Ponto.


É exatamente desta maneira que pensa a grande burguesia colonizada e escravocrata. Problema é dela. O campo popular pensa diferente. Lula preso é pior para a direita do que o Lula solto. Quem tem consciência e discernimento sabe que o Lula não roubou e que o Judiciário é parcial, seletivo e injusto, o que deslegitima suas decisões e dá transparência às suas conveniências políticas e partidárias maquiavélicas e arbitrárias. Lula não roubou! Quem viver verá. É isso aí.