Google+ Badge

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Moro mantém Vaccari na prisão por ser inimigo do PT, do Lula e alicerce do golpe violador do Estado de Direito

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


O juiz de província e de primeira instância, Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, faz o que quer e como lhe aprouver, afinal o magistrado herói dos golpistas e usurpadores e político de direita sabe muito bem que este País é a casa da mãe Joana, onde a casa grande esculacha o País, além de dar golpe de estado contra uma presidente reeleita com 54,5 milhões de votos, de forma legítima e democrática.

A mandatária trabalhista que não roubou e não cometeu crimes de responsabilidade, bem como o ditadorzinho terceiro-mundista de Maringá, ligado aos interesses de estado dos EUA, ainda interfere no processo político brasileiro, quando cometeu gravíssimo crime, dentre muitos outros crimes de sua autoria, ao vazar para a Globo áudio de conversas entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula.

Se tal juiz, um dos protagonistas do golpe cucaracha e de terceiro mundo cometesse seus desatinos e covardias em um país desenvolvido e com tradição democrática, certamente que tal sujeito estaria agora a mofar em uma cela de cadeia igual às que ele confina os presos por meio de delações premiadas, sendo que muitos deles encarcerados sem provas, a exemplo de José Dirceu, João Vaccari Neto e Antonio Palocci, dentre muitos outros.

Trata-se de presos sem culpabilidade comprovada que, inclusive, foram levados à força para depor sem nunca terem sido intimados oficialmente para falar perante o magistrado midiático, ideologicamente de direita, além de ser comensal ou conviva das comezainas da casa grande, a quem o servidor público pago com alto salário, com esforço do contribuinte brasileiro, serve com dedicação e empenho.

Enquanto isso, os tucanos do PSDB, do DEM e do PPS, que cometeram crimes de corrupção e são acusados e denunciados com provas robustas, por intermédio de gravações de diálogos, contas no exterior e no Brasil, documentos, anotações e arquivos de computadores, além de pessoas filmadas, fotografadas e presas a carregar malas e sacolas de dinheiro, assim como seus nomes são citados de forma real como pagadores e receptores de propinas, continuam com suas vidas de opulências e fortunas nos bolsos e em suas contas correntes, declaradas aos Fisco ou não.

Contudo, estão aí: livres, leves e soltos, a participar, impunemente e com a aquiescência e a cumplicidade do STF e do MPF, como o do Paraná de Deltan Dallagnol e Carlos Fernando dos Santos Lima, acostumados que são a pedir a prisão de pessoas por meio de "convicções", ilações e sem provas concretas, a realizarem, por exemplo, a apresentação de um powerpoint mentiroso, leviano e deplorável, que acusa Lula de ser chefe de quadrilha, mas no final da lamentável apresentação, que envergonha e humilha o Brasil, reconhecem que não há provas contra o ex-presidente trabalhista.

E daí?! O "intocável" Sérgio Moro diria e diz: "Isto não vem ao caso". Exatamente, mesmo após três anos de investigações e de perseguições, que deixariam o tribunal medieval da Santa Inquisição espanhola e seu líder, Tomás de Torquemada, com inveja e a convicção (sem aspas) de que o Brasil realmente tem uma casa grande medieval e com capitães do mato de carácteres e almas escravocratas.     

Não importa. Tem gente privilegiada que possui passaporte livre para cometer crimes, a despeito da Constituição e dos Códigos Penal e Civil. Aqui, neste fazendão de escravos e escravagistas chamado de Brasil, o Judiciário é o capitão do mato da grande burguesia e dos interesses colonialistas dos Estados Unidos. Aqui, neste País que poderia ser rico, independente e influente, existe um Judiciário que permite que um chefão mafioso, a exemplo do presidiário Eduardo Cunha e seus bandoleiros encastelados no Palácio do Planalto e no Congresso derrubem uma presidente constitucional e legítima em pleno século XXI, com a maior facilidade, pois deposta por um Congresso conservador e corrupto, por uma mídia que intermitentemente fez campanha insidiosa em prol do golpe, além de ser alvo de um Judiciário que ordenou juridicamente a sedição contra a presidente reeleita.

Aqui, neste País onde a bagunça proposital impera para que os ricos fiquem mais ricos e o Estado se torne patrimonialista para privilegiá-los e beneficiá-los, um presidente sem autoridade e legitimidade (sic) é acusado de ser ladrão em pleno mandato, bem como parte dos integrantes de seu ministério caiu de podre, além de a outra parte (Moreira Franco, Eliseu Padilha et caterva) está a fugir da polícia e da Justiça, porque há anos assaltam o Estado nacional, assim como lutam para permanecer no poder, pois se manter no desgoverno golpista representa ter foro especial por prerrogativa de prisão, mais conhecido popularmente como foro privilegiado.

Enquanto isso no país dos tupiniquins, o Geddel Vieira Lima, o Romero Jucá (este é líder do desgoverno no Senado!) estão livres para tocar suas vidas, sendo que já são oito os ministros desde que o presidente (sic) corrupto e ladrão, conforme a PF e a PGR, assumiu o poder maior da República por intermédio de traição e golpe. Alguns, como o Henrique Eduardo Alves estão presos, mas há outros, a exemplo de José Serra, que, para ficar em uma posição de discrição, ou melhor, em uma situação de quase morto, sumiu das mídias, pois, irremediavelmente, envolvido com casos de corrupção, como indicam as delações divulgadas pelos MPF e PF. Diga-se de passagem: denúncias sólidas e com provas, a exemplo de suas contas no exterior não declaradas.

Porém, os "ladrões" são o José Dirceu, o João Vaccari Neto e o Lula, dentre outros, ainda mais se for do PT. Dirceu foi preso pela famigerada teoria do domínio do fato e está solto porque realmente nunca foram apresentadas provas consistentes de que ele tenha incorrido em crimes, assim como o Vaccari, que está ainda preso porque o juiz Moro não obedeceu à determinação do TRF-4 de soltá-lo, pois, obstante, o juiz considera, a seu bel-prazer, que o Vaccari responde a outros processos, mesmo sendo eles baseados em delações premiadas formalizadas por bandidos e também por pessoas que não devem à Justiça.

Pessoas que foram envolvidas no processo da Lava Jato em diferentes formas e graus de participação. Quem está preso delata até sua mãe para sair da cadeia. Esta é a verdade, até porque muitos dos condenados pegaram mais de 20 anos de cadeia, o que não é brincadeira, como também chama a atenção de todo o Brasil e do mundo a obsessão da Lava Jato e de seus operadores para prender o Lula e, com efeito, tirá-lo à força da luta eleitoral pela Presidência da República.

Ninguém dá um golpe de estado contra seus inimigos políticos, para depois a corrente política deste mesmo inimigo assumir o poder central por força das eleições e da democracia. Essa corja é antidemocrática, antipopular e antinacionalista. Não estão nem aí. Ficaram 13 anos sem o controle do Governo Federal e resolveram dar um golpe. O golpe dos sem vergonhas praticados pelos patifes que assumiram o poder e pelos cafajestes que foram às ruas, de forma inconsciente ou consciente.

A concretização de um golpe só se torna possível em uma republiqueta bananeira dominada por uma "elite" branca e rica atrasadíssima, de maneira que o País afunde em uma crise sem precedentes, que destruiu sua poderosa economia, aumentou exponencialmente o desemprego, a violência e a desesperança, bem como gerou tanta insegurança, que os estrangeiros deixaram de investir no Brasil e seus governantes se recusam a aparecer ao lado de um presidente (sic) corrupto, golpista e usurpador, que é tratado como ele deve ser tratado, ou seja, como um pária, o bastardo que ninguém leva a sério, a não ser a escória que o acompanha em seus desatinos e que com ele ainda vai cair do poder criminosamente usurpado.

Dito isto, pois realmente a acontecer, o juiz injusto, partidário, ideológico, parcial e seletivo, que atende pelo nome de Sérgio Moro, continua a fazer covardias e a julgar e a prender pessoas que comprovaram não ter cometido crimes, a não ser participar dos governos do PT ou ser membro do partido ou aliado. É o caso de José Dirceu e o de João Vaccari Neto, que continua preso, volto a ressaltar, mesmo depois de o TRF-4 o ter considerado inocente e determinado sua saída da prisão.

Moro negou o alvará de soltura a Vaccari e continua com sua vocação para Torquemada seletivo e partidário, a fechar os olhos para os crimes dos tucanos, a exemplo de Aécio Neves (PSDB), sua irmã Andréa e seu primo Frederico Pacheco de Medeiros, assim como mantém grande parte dos corruptos do PMDB soltos e felizes com suas vidas de opulência, muita grana e patrimônios mil.

É a festança ou a patuscada ou o regabofe da direita brasileira escravocrata, que tomou o poder de assalto e agora está a vender o patrimônio público da Nação brasileira, como se esses bandoleiros de terceiro mundo tivessem vencido as eleições e seus programas de governo (sic) apresentados e aprovados pelos milhões de eleitores, sendo que a maioria elegeu Dilma Roussef como presidente do Brasil. Em países desenvolvidos, essa cambada de malfeitores estaria presa há muito tempo; e em países sob regimes radicais esse bando seria punido com a pena de morte. Ponto.

Só no Brasil das bananas um juiz de primeira instância faz o que faz. É a cara do Brasil que tem os focinhos e as carrancas da burguesia e da pequena burguesia. Essa gente se comporta como bárbaros e selvagens e disfarçam o mau-caratismo com o verniz dos ternos e vestidos bem cortados, o carrão importado, o perfume francês, a bebida cara, a frequência em bons restaurantes e eventos aburguesados, além  de um banho de lojas, quiçá em Miami. E a fazer isto, consideram-se civilizados e acima de quaisquer suspeitas quanto aos seus (lamentáveis) pedigrees.

Torcem o nariz para o Brasil e seu povo, mas não abrem mão de ganhar muito dinheiro em cima da exploração do trabalho desse mesmo povo, que ora está à mercê do governo (sic) mais corrupto de todos os tempos, cujo presidente (sic) é o primeiro, na história do Brasil, a ser denunciado por ter roubado em pleno mandato. Uma vergonha inigualável, que humilha o Brasil e o coloca realmente em uma posição de republiqueta bananeira e cucaracha. A cara da casa grande e de seus coxinhas amestrados e doutrinados.

Os coxinhas que tripudiaram sobre seus direitos trabalhistas e aposentadorias, a prejudicar suas gerações futuras, os trabalhadores, além de cooperar com os golpistas que tomaram de fato o poder real, a interditar a criação de empregos e negligenciar a soberania do Brasil. Os coxinhas que viram o Pré-Sal pertencer a estrangeiros, além de ficar por 20 anos a ter "congelados" os recursos públicos para a Educação e a Saúde. Não é incrível e inacreditável?

Trata-se de um povinho que se auto-aniquila, que se acha feio quando se olha no espelho, que se considera pior do que os outros e que detesta ser brasileiro, porque irremediavelmente colonizado e com a autoestima estima tão baixa, que seria muito adequado a um cidadão dessa estirpe ser objeto de estudos psicanalíticos e psiquiátricos. Destruíram o País e apoiaram o golpe de estado de corruptos, ladrões e entreguistas. Deram tiros em seus próprios pés, assim como entregaram de bandeja seus interesses e direitos a abutres que trabalham para a banca financeira nacional e internacional. Os coxinhas são dignos de muito estudo por parte da Psicologia e da Antropologia, tal qual como se estuda os homens das cavernas.

Agora estão a se esconder em suas casas, não falam nada, pararam de bater panelas e de fazer micaretas nas ruas, pois travestidas de protestos, bem como a ter como combustível muita cerveja e cachaça. A verdade é que o tema da corrupção apenas serviu como matéria prima da imprensa corrupta e de mercado para fazer a cabeça dos coxinhas, que jamais combateram a corrupção, mas apenas, após as quatro derrotas de seus candidatos a presidente, resolveram se juntar aos barões das mídias monopolizadas para derrubar a presidente eleita pelo PT e seus milhões de eleitores.

Os coxinhas deram um golpe até em seus familiares, amigos e colegas que elegeram Dilma Rousseff. Não se importaram, porque despolitizados, arbitrários e autoritários. Eles quiseram estancar a ascensão dos pobres e a busca pela igualdade. Os coxinhas golpearam a democracia e sabem disso, como também não têm a mínima preocupação com a soberania do País e com seus projetos estratégicos de independência e autonomia. Eles são irremediavelmente bárbaros com o verniz de "educados".

O juiz Sérgio Moro representa tudo isto o que está a acontecer no Brasil. O magistrado é o substrato desse processo dantesco que desconstruiu o arcabouço político e democrático brasileiro, como se fosse o exemplo emblemático da "revolução" às avessas promovida pelos conservadores, ao ponto de eles chamarem de "reformas" o que é, na realidade, demolição. A demolição dos direitos civis e sociais. Ponto.

E tudo isto para tomar de assalto o poder central, de forma que os programas e os projetos do governo golpista fossem efetivados à margem do voto popular depositado nas urnas, além de estratégia para que os usurpadores escapassem da cadeia. A delação premiada, para quem não sabe, é um instrumento que foi fortalecido pelo PT, bem como criou a Controladoria Geral da União (CGU), o Portal da Transparência e deu a importância, a credibilidade e as condições para que o MPF e a PF pudessem trabalhar com independência e dignidade, a não faltar-lhes pessoal, recursos financeiros e logística. *mi-shell temer, o Pária, tomou o poder de assalto, sendo que uma das primeiras ações que tal traidor realizou foi extinguir a CGU. Não é necessário explicar seus motivos, né?

Os procuradores, por exemplo, e os juízes do STF sempre puderam escolher o candidato em lista tríplice para assumir seus cargos como juiz do Supremo e procurador-geral, o que pela primeira vez, após os governos petistas, não ocorre, porque o ilegítimo *mi-shell temer nomeou uma procuradora que constava em segundo lugar na lista tríplice e mesmo assim assumiu o cargo mais importante da PGR. Agora, vamos à pergunta? Por que o golpista, o pária internacional acusado de ser ladrão agiu dessa forma? Com a resposta, o próprio usurpador do poder que não é e nunca foi seu.

Além disso, delação não é prova. Delatores podem mentir e omitir, bem como sabem que se forem levianos e faltar com a verdade ainda têm a chance de se redimir, o que, sem sombra de dúvida, faz o juiz Moro e os procuradores obsessivos comemorar, porque sempre terão a oportunidade de incluir o que antes não conseguiram incluir nos depoimentos concedidos pelos delatores presos preventivamente, alguns há anos encarcerados sem ser julgados, o que, de alguma forma ou outra, força o preso entregar até sua mãe, pois o que interessa a ele é se livrar da cadeia.

Mentem e são beneficiados com a diminuição da pena ou com a prisão domiciliar, em seus confortáveis apartamentos ou luxuosas casas. É o fim da picada. Enquanto isso, o Lula é chamado de "ladrão" por meio de acusações da Lava Jato, sendo que ele mora há décadas no mesmo apartamento e nada que pudesse macular o nome do ex-presidente foi encontrado, achado, gravado, ouvido, filmado e fotografado. Quebraram seus sigilos bancários, telefônicos e recolheram computadores e celulares. E o que aconteceu? Nada que pudesse incriminar o Lula foi encontrado. Esta é a verdade! 

Nem contas bancárias ou gastos bancários fora da normalidade foram encontrados. A perseguição a Lula é histórica e cada personagem desta época terá seu papel indelevelmente marcado nas páginas da história do Brasil. E a verdade será dita, pois inquestionável. A verdade é a verdade e ela desmonta e destrói qualquer conspiração, golpe e bandidagem. Ninguém derrota a verdade, que sempre aparece mais cedo ou mais tarde. O ônus da prova deveria ser do Moro e de seus aliados políticos da Lava Jato. É surreal. Lula tem de provar que é inocente ao dizer que os imóveis não são seus, porque nunca foram seus, porque nunca foram lavrados em seu nome ou de qualquer parente seu.

Como disse o respeitado advogado Antônio Carlos de Almeida Castro (Kakay): "O juiz Moro alegou que vários delatores falaram de Vaccari. Ou seja, irresponsavelmente, o que foi usado para condenar é uma delação que sustenta outra delação! Há tempos criticamos o uso indiscriminado da prisão preventiva", para logo complementar ao falar da Lava Jato: "(...) Sou de um tempo em que as pessoas iam para rua pedir liberdade, hoje os jovens vão para pedir prisão. Que sociedade sairá destes excessos? Todos nós queremos o combate à corrupção, mas dentro do respeito às garantias constitucionais (...)"

O advogado, na verdade, estava a criticar as prisões da Lava Jato, inúmeras sem critérios e que atropelaram as leis do País. Kakay perguntou se a prisão preventiva de Vaccari era necessária, além de indagar sobre quem devolverá ao ex-tesoureiro do PT os dois anos e dois meses que ele ficou preso (ainda está preso) injustamente, porque nada foi comprovado quanto ao cometimento de crimes por sua parte.

João Vaccari Neto, como muitos outros, a exemplo de Dona Marisa Letícia e o Lulinha, foram achincalhados e linchados em público, com enorme exposição nas mídias de direita que destruíram a economia do Brasil e estão cooperar para desmontar o Estado nacional e a mandar para o espaço o Estado de Direito. Julga-se seres humanos pela imprensa de negócios privados, a pior e a mais corrupta do planeta, sem sombra de dúvida, pois totalmente irresponsável e inimiga dos interesses do Brasil. Sempre agiram assim. É histórico.

Humilharam João Vaccari Neto. Martirizaram sua família e insultaram seus amigos e colegas, pois Vaccari não roubou, mas cometeu um grave erro para os tempos de perseguição macartista desses tempos: é membro do Partido dos Trabalhadores. E ser do PT é ser considerada uma pessoa à margem da lei, o que não se justifica e jamais será a verdade, porque o PT é o partido mais importante da América Latina, é a agremiação histórica deste País e a que realizou profundas mudanças, e para melhor, no Brasil e ao povo brasileiro.

O PT deu voz ativa às minorias, aos trabalhadores e a setores amplos da classe média. Não se engane ou se equivoque quem pensa o contrário por motivos de preconceitos político e de classe social. Não é à toa que o Lula lidera todas as pesquisas e que o juiz Moro e o campo da direita do qual ele faz parte estão desesperados, com ódio e totalmente dedicados para que o Lula não volte a sentar na cadeira da Presidência da República.

Porém, o doleiro delinquente e de estimação do juiz Moro — o Alberto Youssef — desde os tempos do caso Banestado, um escândalo bilionário muito conhecido pelo juiz e pelo procurador Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos procuradores do powerpoint mentiroso e leviano contra o Lula, está solto. E por quê? Porque ele fez mais uma delação premiada em sua vida, como o fez nos tempos do Banestado, que acabou não dando em nada. Não é mesmo, juiz? Não é verdade, procurador?

Agora a sociedade brasileira terá de esperar para ver se o juiz Moro e os procuradores da Lava Jato soltarão o Vaccari. Vale lembrar que os paladinos do Judiciário seletivo e partidário estão a ser denunciados por estar a ganhar muito dinheiro por causa da operação que coordenam e controlam, conforme afirmam a OAB e a imprensa de mercado aliada deles desde de sempre, porque o que interessa é interditar a candidatura Lula.

Essa gente "genial" destruiu centenas de empresas ligadas à indústria pesada, a de base, além da construção civil, bem como exterminaram com milhões de empregos dos brasileiros, terá um dia de responder perante a história, porque para dar um golpe de direita tiveram de cometer crimes contra as leis, o Estado nacional, a cidadania e os interesses estratégicos do Brasil, a exemplo do setor nuclear, que é avançado e com tecnologia própria.

Esses caras do Judiciário não têm a mínima noção do que é ser estadista e conhecedor das necessidades e das agruras do Brasil e de todas suas regiões, porque vivem em redomas de cristal. Trata-se da pequena burguesia ávida de status, que chegou ao nirvana por meio de um concurso público, de uma operação midiático-policial e pensa ser dona da verdade e do conhecimento por ter feito curso de Direito, pois presunçosa, arrogante e autoritária. É a classe média em toda sua perversidade e decrepitude moral, como demonstrado nas ruas e nas redes sociais.

Sonham os togados e meganhas com a ascensão social e a consumir bens móveis e imóveis, viajar, comer em restaurantes caros, além de frequentar os salões da burguesia, da verdadeira casa grande, a que manda roubar e matar por meio da política e da economia, sem dar um tiro sequer, porque apenas usa a caneta com arma de exterminar os pobres e os remediados, que são os trabalhadores, que sempre enriqueceram as "elites" mais atrasadas do mundo, cujos setores do Judiciário atendem seus interesses como autênticos capitães do mato.

Moro não quer prender o homem Lula. O juiz Moro e os procuradores obsessivos do powerpoint leviano e mentiroso querem matar o que o Lula representa e representou na história do Brasil e no imaginário do povo brasileiro. A burguesia não está a julgar o Lula, mas está a julgar seu vitorioso, democrático e competente governo de oito anos, quando saiu com índices de aprovação superiores a 90%. Maiores do que os índices do internacional e respeitado Nelson Mandela. Oito anos e não despencar em aprovação é um fato raríssimo em todo o mundo. Pesquise.

O Brasil nunca teve tanto acesso à democracia e a direitos como nos governos do PT. Nunca o povo e seus inúmeros setores e segmentos foram tão respeitados, recebidos e ouvidos, inclusive no Palácio do Planalto. Os pobres pela primeira vez subiram a rampa da Presidência da República, pois incluídos no Orçamento da União.

Um dos principais motivos do golpe foi retirar o povo do orçamento e dar fim aos programas que viabilizaram a inclusão social, principalmente da crianças e dos adolescentes de famílias pobres. O golpe de direita e que tem a participação vergonhosa do Judiciário, ou seja, de homens e mulheres que são técnicos e operadores do Direito tem como fundamento principal manter o povo brasileiro como mão de obra barata, quase escrava em um retrocesso que remonta o período da República Velha e do fim do Império.

Quem trabalha com o Direito no âmbito do Estado não tem o direito de ser covarde, elitista, preconceituoso, partidário, mentiroso e golpista. Absolutamente. Portanto, são essas realidades  históricas elencadas neste artigo que movem o ódio, o rancor e a intolerância da casa grande e de seus aliados — os lamentáveis coxinhas com vocação para patos, de preferência amarelos.

João Vaccari Neto é mantido preso por causa desse processo de perseguição e de combate ao PT, à Dilma e ao Lula, que para o establishment não podem novamente conquistar o poder central. Manter os petistas na cadeia significa mantê-los nas manchetes da bilionária imprensa empresarial e familiar e, consequentemente, levar o debate político, ideológico e eleitoral para o âmbito do escândalo e para os assuntos policialescos.

A direita, além de golpista, sempre se pautou para interditar o debate. E por quê? Respondo: os direitistas nunca tiveram propostas de desenvolvimento e projeto para o País. Essa gente nunca pensou o Brasil, afinal os conservadores vivem a olhar e a sonhar com meia dúzia de países europeus e com os EUA. Eles são irremediavelmente colonizados e portadores de um complexo de vira-lata sem igual e sem par no mundo ocidental.

O juiz Sérgio Moro soltou vários empresários e executivos que roubaram milhões e milhões do Erário Público. O magistrado soltou mais uma vez na sua vida o doleiro Alberto Youssef, criminoso de estimação do high society, mas mantém preso o ex-tesoureiro do PT, como o fez com o José Dirceu e o José Genoíno. Vaccari foi liberado da cadeia pelos desembargadores do TRF-4. Quem mandou, João Vaccari, você ser do Partido dos Trabalhadores? Deveria ser do PSDB. Veja o Aécio Neves e cia. Contudo, não vem ao caso. É isso aí.

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Moro condenará Lula pela "convicção" dos injustos e a prática do déspota que persegue, tem lado e preferência

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


A prática do injusto é a mentira em forma de "convicção" e desprovida de provas, bem como o déspota, ou seja, o indivíduo arbitrário e autoritário, a prática se resume em concretizar seus desejos e satisfações, além dos prazeres dignos de um obsessivo, aquele que comete sistematicamente ações e atos persecutórios. Já explicava o Sigmund Freud!

Contudo o juiz Sérgio Moro não traduz apenas uma pessoa que possui caráter e personalidade dignos de um pequeno Mussolini criado no interior do Paraná, um dos estados mais conservadores e provincianos do Brasil, acostumado a eleger políticos direitistas da estirpe de Beto Richa (PSBB), dentre muitos outros governantes que mancharam com violência e sangue a historiografia da política paranaense.

O juiz Sérgio Moro é filho desse conservadorismo e, no decorrer da Lava Jato, deixou mais do que claro e transparente que está a serviço do establishment, tanto o norte-americano quanto o brasileiro. Nunca se fez de rogado para perseguir aqueles que o magistrado considera como inimigos políticos, bem como jamais se importou com as provas e as contraprovas, que absolveram Lula de acusações e denúncias imputadas ao político mais popular e consagrado da história do Brasil, juntamente com Getúlio Vargas.

Moro, em hipótese alguma, recolheu-se à leitura dos autos do processo de forma discreta, digna e republicana. Pelo contrário, os vazou, diuturnamente, pois compreendeu que, sem a propaganda negativa e de massa propagada pela imprensa de mercado mais golpista e corrupta do mundo ocidental, seria quase impossível condenar um político da grandeza de Lula.

O magistrado de província e de primeira instância, aliado dos tucanos e frequentador de seus convescotes, eventos sociais, empresariais e políticos, além de participante de palestras, como as apresentadas por empresas vinculadas aos interesses dos EUA e do empresariado mais reacionário deste País, a exemplo da Lide, do prefeito de São Paulo (PSDB), João Dória, o juiz Moro se transformou no principal interlocutor do consórcio do golpe, porque evidentemente ele tem a primazia de decidir, juntamente com sua equipe da Lava Jato formada por procuradores e delegados fragorosamente antipetistas, antilulistas e, irremediavelmente, vinculados ao campo da direita partidária, que há quatro eleições era derrotada pelo PT.

Moro é o principal interlocutor do Grupo Globo da família Marinho, além de IstoÉ, Veja, Folha e Estadão. O juiz de província se tornou a pedra angular do golpe de estado de direita que aconteceu no Brasil em 2016, a derrubar a presidente reeleita com 54,5 milhões de votos, realidade mórbida e violenta, que se tornou a página mais abjeta e deplorável da história deste País, porque o que veio depois do golpe é motivo para envergonhar e humilhar a sociedade brasileira no decorrer de décadas a fio.

A verdade é que vivemos em uma ditadura jurídico-midiática disfarçada, que destruiu o Estado Democrático de Direito e a democracia, de maneira que os adversários do status quo podem ser condenados à prisão sem ter cometido crimes, além de terem que se responsabilizar pelo ônus da prova, como ocorre, agora, com o ex-presidente Lula. É simplesmente diabólico!

Moro é um agente público a serviço dos setores políticos e da economia mais reacionários do País, com ramificações no governo norte-americano. Sua dedicação leonina para que o Governo Dilma fosse derrubado ficará, indelevelmente, nos anais da história, bem como em sua páginas mais fétidas, razões pelas quais suas ações e condutas servirão, no futuro, como exemplo de como um juiz não deve proceder e atuar.

Moro e seus cúmplices e agentes do golpe de estado de 2016 cometeram inúmeros crimes perante a sociedade e durante esse processo dantesco, que se ocorressem em um País com tradição democrática, cujas "elites" são razoavelmente civilizadas e, obviamente, mais nacionalistas, certamente que o provinciano e arbitrário juiz, que condena de forma infamante seus inimigos pelas manchetes da imprensa de negócios privados, seria afastado sumariamente de seu cargo, seria investigado para depois ser julgado, preso e, com efeito, demitido para o bem do serviço público.

E por que aconteceria esse processo contra tal juiz que se partidarizou e age como político inquestionavelmente ideológico? Porque ele cometeu crimes, sendo que o maior deles foi vazar o áudio em que a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula conversavam, pois a finalidade era impedir que o Lula fosse nomeado chefe da Casa Civil, restabelecesse a base do governo, bem como o vazamento acelerou, por intermédio do condestável juiz Gilmar Mendes, a queda da presidente legítima e constitucional, pois pouco tempo depois se iniciou o processo tenebroso do impeachment (golpe).

O juiz Sérgio Moro e os procuradores e delegados da Lava Jato são useiros e vezeiros em cometer crimes em prol de algo maior, que ninguém sabe o que é, porque a verdade é que nenhum tucano corrupto e ladrão foi preso, assim como os políticos do DEM e do PPS estão livres, leves e soltos, a gargalhar da cara do povo brasileiro, além de o PMDB mandar neste País onde viceja e mora uma casa grande cucaracha, terceiro-mundista, amante do atraso e do retrocesso, que tem apoio de coxinhas celerados e irremediavelmente colonizados e ignorantes.

Entretanto, Moro está prestes a condenar o ex-presidente Lula sem provas, a reafirmar o inacreditável powerpoint leviano e mentiroso do procurador Deltan Dallagnol, aquele que pensa estar em uma cruzada cristã no Oriente Médio nos idos de 1300 e 1400 depois de Cristo. O procurador que já recebeu R$ 219 mil, e, evidentemente, está a lucrar com suas palestras, as quais eu sugeria que ele incluísse como tema a ser estudado a perseguição canina a Lula, porque realmente se trata de uma caçada humana contra alguém que nada se comprovou quando se trata de ter cometido crimes.

A Lava Jato, e toda pessoa atenta, percebe este fato com clareza, pois se tornou uma ferramenta de ouro para que servidores públicos ganhem fama, dinheiro e poder. Esta é a verdade. Os togados e meganhas recebem convites para dar palestras, irem a festas e reuniões, pois vendem seus produtos, a exemplo de livros, filmes e todo tipo de mimo para que esses empregados do poder público e da sociedade se tornem estrelas de momento e possam, no decorrer do tempo, usufruir das caçadas humanas que fizeram, independente de o denunciado ou acusado ser criminoso ou não, como ocorre, de forma surreal e covarde, com o Lula.

Dallagnol se recusa a deixar transparente os valores que recebeu com suas palestras. Tal sujeito do powerpoint leviano e mentiroso, porque desprovido totalmente de provas, recebe em média R$ 30 mil a R$ 40 mil por palestra. Porém, a Corregedoria do Ministério Público instaurou procedimentos para investigar o cruzado Dallagnol, pois tal procurador não as esclarece e não mostra os recibos, como o fez Lula, que declarou as palestras em seu imposto de renda e mesmo assim, tal qual o triplex do Guarujá, o líder brasileiro é acusado de ter cometido crimes, sendo que 73 pessoas, no caso do triplex, inocentaram o Lula de ser dono do apartamento, que na verdade pertence à OAS, mas sob a responsabilidade da Caixa Econômica, como explica e informa o advogado de Lula, Cristiano Zanin Martins:

"A verdade admite uma única interpretação — a da realidade dos fatos. Nada mais". É inadmissível que parte da imprensa continue a propagar inverdades sobre essa operação [a compra do triplex por parte de Lula]. A verdade atrapalha aqueles que desejam inviabilizar politicamente Lula e, por isso, atuam para mascarar os fatos".

E prosseguiu o advogado:

"A verdade admite uma única interpretação - a da realidade dos fatos. Nada mais. E a realidade sobre a propriedade do apartamento tríplex do Guarujá é indiscutível: o imóvel não é e nunca foi propriedade do ex-Presidente Luiz Inacio Lula da Silva. É, sim, da OAS Empreendimentos S/A que deu, não apenas o apartamento 164 A, como as demais unidades do Edifício Solaris, em garantia de diversas operações financeiras que realizou– dentre estas a cessão fiduciária que citamos nas alegações finais da defesa de nosso cliente, na ação penal 5046512-94.2016.4.7000. A operação teve como beneficiário final o FGTS, administrado pela Caixa, em uma operação que envolveu a compra de debêntures pelo mencionado fundo. O FGTS comprou, portanto, dívida da OAS e uma das garantias recebidas envolveu os créditos decorrentes de uma venda futura do triplex (...)".

Como se vê, percebe-se, o total bloqueio da Lava Jato quanto à verdade dos fatos. Acontece esta afronta ao Direito e ao Estado Democrático de Direito porque o ex-mandatário de esquerda e trabalhista não pode, não deve e não tem o direito de concorrer à Presidência da República. Moro não age sozinho. O juiz de direita tem chefe e patrão.

Os chefes são os próprios STF e PGR e o patrão é a CIA, a Secretaria de Estado dos EUA e os grandes trustes internacionais do petróleo, associados que são com a indústria de armas e a banca internacional, que englobam os grandes conglomerados privados, que estão a mandar no mundo, em uma ordem universal, que asfixia os estados nacionais e domina todos os mercados internos dos países subjugados pelo neoliberalismo globalizado.

O Brasil tem um Judiciário (PF, MPF e STF) e um governo que assumiram o poder por meio de um golpe de estado das bananas completamente vinculados e leais aos interesses governamentais, econômicos e geopolíticos dos EUA. Essa gente efetiva golpes e se submete aos interesses estadunidenses. Trata-se de um consórcio estatal-privado inimigo da independência e da soberania do Brasil e dos brasileiros. Não tem jeito. A colonização desse setores está entranhada em suas mentes e corações. A subalternidade e a subserviência não os envergonha e muito menos os humilha. Para eles é o certo, o correto. Essa gente é vira-lata e não tem a mínima compreensão do que é soberania e desenvolvimento.

São agentes alienígenas, com os olhos sempre voltados para os EUA e para casa grande bananeira. Vivem no Brasil como poderiam viver em qualquer outra republiqueta com a cara e focinho deles. É assim que a banda toca: políticos nacionalistas e desenvolvimentistas no Brasil caem do poder e são perseguidos como se fossem caças, não é mesmo Leonel Brizola, Miguel Arraes, Juscelino Kubitschek, João Goulart, Getúlio Vargas, Dilma Rousseff e Luiz Inácio Lula da Silva? Não é verdade? O Moro é apenas mais um verdugo da segunda década do século XXI, como poderia muito bem ser um meganha do passado. Só é diferente a época e a data...

Após prender o ex-ministro Antonio Palocci também sem provas contundentes, porque a verdade é que o PT governou e desenvolveu o Brasil, como ocorreu com o ex-ministro José Dirceu, Moro em sua sentença indescritível e inominável, citou Lula 68 vezes! Trata-se da obsessão em enésima potência, até porque o Lula não consta como réu na ação penal que condenou o Palocci. Tudo isso é para "preparar" a condenação de Lula, que já estava condenado desde que a Lava Jato se iniciou. A verdade dói àqueles que são mentirosos e enganadores, que vivem de manipulação e de distorção, seja do fato ou da realidade.

Lula está condenado, porque o maior político da história do Brasil venceu e não fracassou, bem como somente ele neste momento agudo e violento pelo qual passa a sociedade brasileira poderá retomar a estabilidade institucional e o crescimento econômico, realidades essas que não interessam à casa grande deste País e ao establishment dominado pelos Estados Unidos. O juiz Moro é subalterno aos donos do sistema, como o é também o corrupto e traiçoeiro *mi-shell temer.

Como citei acima, não interessa a retomada da democracia e do Estado de Direito agora porque a direita necessita de um candidato competitivo e ela não o tem, até porque o PSDB está morto, pois se afogou ao abraçar o afogado, exemplificado no tenebroso *temer — o presidente(sic) pária e tratado como bastardo pela comunidade internacional. O PSDB entrou na história como partido golpista, usurpador e cúmplice ativo de um desgoverno de ladrões.

Moro sabe disso tudo. Ele compreende, pois não é um idiota. O juiz do PSDB do Paraná compreende realmente a história e a dimensão de seus atos e ações, afinal ele vazou conversas entre presidentes porque percebeu que naquele momento feriria de morte a presidente Dilma Rousseff, no que tange à sua deposição por um golpe de terceiro mundo, assim como daria início, de forma mais dura e sistemática a perseguição a Lula.

Ao juiz Sérgio Moro, se a vida é justa, que o retorno a ele venha a galope, porque o Brasil está humilhado e destruído como Nação, pois irrefragavelmente dividido, desempregado, pobre e violento, além de ter sido comprovado que jamais este País sentará à mesa dos grandes países e decidir as questões do planeta e seu destino. A casa grande para a qual o juiz Moro e seus asseclas trabalham é vira-lata, servil, subalterna, subserviente e, irremediavelmente, colonizada.

Que o Moro receba seu galardão e aproveite seu prêmio que sempre será de antanho, conforme suas desventuras, diatribes e perseguições. A hipotética prisão de Lula é a real constatação de que a democracia e a luta pela igualdade são incompatíveis com a casa grande e seus capatazes, a serviço de seus patrões externos.

A prisão de Lula humilha o Brasil e justifica a falta de credibilidade por parte do povo em relação ao STF — o vaticinador e o carimbador do golpe de estado de 2016. Mais um para a coleção de juízes burgueses e socialmente alienados. O tribunal permissivo e elitista, que deveria devolver o mandato a Dilma Rousseff conquistado pelas urnas soberanas, afinal se comprovou por meio de provas robustas, documentadas, filmadas e gravadas que o golpe serviu para colocar ladrões no poder — a verdadeira quadrilha que entrega o Brasil e não há um procuradorzinho qualquer para denunciá-la por desmontar e o Estado nacional.

Os "intocáveis" preferem posar para o cinema, vender livros e dar palestras do que impedir a entrega do patrimônio público brasileiro. Eles preferem combater a candidatura Lula à luz da ribalta midiática e por intermédio de acusações frívolas, sem base e desprovidas de quaisquer provas. É o fim da picada! Lula poderá ser preso, mas o consórcio de direita da Lava Jato terá seu quinhão negativo e altamente questionado pelas páginas da história.

Assim como se percebe que o STF dá uma de João sem braço para manter o golpista *mi-shell temer no poder e evitar a prisão do senador Aécio Neves (PSDB), o golpista-mor, o derrotado que afundou o Brasil nesse lama podre e fétida, nota-se que o poder do juiz Sérgio Moro foi superdimensionado por ser ele considerado o homem escolhido para a linha de frente, a fazer o trabalho sujo contra os direitos e as garantias dos cidadãos, a exemplo de Lula.

O ex-presidente não roubou e muito menos se dispôs a destruir sua invejável biografia política e histórica vida para ter uns caraminguás em forma de sítio, apartamento e favores risíveis e ridículos, que se observados com seriedade e atenção jamais poderiam ser levados a sério por quem acusa, denuncia e julga. Lula é o "chefe da quadrilha", mas quem recebeu milhões e milhões em dinheiro vivo, bem como têm contas no exterior e patrimônios milionários são seus subordinados. Absolutamente incrível. Chegam a ser surreais e patéticas tais circunstâncias evidenciadas pelos procuradores coxinhas da Lava Jato.


O magistrado de Maringá condenará Lula pela "convicção" dos injustos e a prática do déspota que persegue, tem lado e preferência política, partidária e ideológica. Juiz Moro, vossa excelência é o verdugo dos golpistas e da democracia! Lula não cometeu crimes e, se for impedido de ser candidato, elegerá quem ele indicar, além de o Brasil recrudescer a violência e a divisão que ora afligem e retiram do brasileiro a paz social, mas jamais seu senso de justiça. Lula candidato é a democracia e o Estado de Direito a civilizar e pacificar a Nação. É isso aí.

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Seu nome é Michel Temer: o pária, o golpista e o traidor que humilha e envergonha o Brasil

Por Davis Senas Filho — Palavra Livre


"Ainda que a traição agrade, o traidor é sempre odiado". (Miguel de Cervantes)

"Michel Temer é tratado como Michel Temer no Brasil e no exterior, ou seja, um pária que todo mundo despreza, pois o bastardo do povo brasileiro, com apenas incríveis 2% de aprovação, praticamente a mesma porcentagem negativa de Lula, que foi de 3%, mas 97% de regular, bom e ótimo de quando saiu no fim de seu mandato de oito anos, um fenômeno mundial o Lula, que teve aprovação acima dos índices do líder mundialmente conhecido Nelson Mandela.

Esta realidade gerou muito ódio no Brasil, principalmente às classes médias coxinhas e aos ricos e seus representantes no mundo empresarial,  político e jurídico. Lula, na verdade, está a ter o seu governo vitorioso julgado, porque o governo que comprovou que as "elites" são mentirosas, pois quando conquistou o poder provou que o País tem jeito, tem vocação para ser potência como Nação, pois condição inerente ao seu tamanho geográfico e populacional.

Os governos petistas demonstraram, ipsis litteris, que a burguesia de índole escravocrata não desenvolvia o Brasil porque simplesmente não queria, e, para isso, escalava um bando de mentirosos de jornalistas e "especialistas" de prateleiras a falar de economia, diplomacia, relações comerciais, administração e finanças para esconder a verdade, porque dessa forma o status quo mantinha o controle (e ainda o mantém) sobre as riquezas brasileiras.

O mundo empresarial que luta para ter o controle do Estado nacional de perfil patrimonialista em suas mãos, a transferir o patrimônio e os recursos públicos à iniciativa privada, como o faz agora com violência e selvageria o desgoverno do delinquente *mi-shell temer, a ter os golpistas e fundamentalistas do mercado, Henrique Meirelles e Pedro Parente, como os destruidores da economia nacional e da Petrobras e do Pré-Sal.

Parente já deveria estar preso há muito tempo, se neste País os procuradores, delegados e juízes não ficassem a querer governar o Brasil sem a autoridade do voto ou das urnas, pois, juntamente com a imprensa de negócios privados mais corrupta do planeta, interditaram a política e a criminalizaram, mesmo a saber que a política é a única forma de uma nação se tornar civilizada e desenvolvida. Querem mandar por meio de canetadas.

Querem prender sem provas. Lamentável a que ponto chegou o Judiciário e seu principal sócio, a imprensa empresarial e familiar de magnatas bilionários, que jamais foram seriamente investigados sobre suas riquezas fabulosas, que são desconhecidas, inclusive, dos órgãos de fiscalização do Estado brasileiro, que foi tomado de assalto por uma quadrilha.

Togados e meganhas que hipertrofiaram o Judiciário, e, especificamente, a querer prender o ex-presidente Lula, que não cometeu crimes, a não ser o de governar o Brasil para valer. O sucesso do governo de Lula é o combustível que movimenta o ódio e a intolerância da burguesia incompetente e colonizada, cujas empresas sempre viveram a mamar as tetas do Estado, o mesmo que a casa grande vive a criticar para se dar bem.  

Lula e Dilma demonstraram tamanha mentira e, consequentemente, o Brasil cresceu como nunca, a incluir, no Orçamento da União, dezenas de milhões de brasileiros de todos os segmentos da sociedade, inclusive o acesso ao consumo de bens duráveis e imóveis. A partir desta constatação por parte da casa grande escravocrata e da classe média coxinha da pior estirpe, o ódio cresceu e deu no que deu: um golpe cucaracha e bananeiro de terceiro mundo, a cara dos coxinhas e de seus patrões ricos.

Os coxinhas foram às ruas para bancar os palhaços convocados pelas televisões, que fazem suas cabeças dignas de celerados, gerações após gerações. Agora eles estão em casa, com suas panelas caladas e camisetas amarelas guardadas, assim como o pato golpista e amarelo da Fiesp está a rir das caras de trouxas dessa gente ignorante e despolitizada, que está a engolir o PSDB, partido da burguesia e da pequena burguesia, em um abraço de afogados com o corrupto *mi-shell temer, aquele crápula que é considerado ladrão pela PGR e PF, além de ser tratado como pária pelas autoridades estrangeiras.

A exemplo de suas raríssimas viagens, como ocorre nesses últimos dias na Rússia e Noruega. Nada mais ou menos do que ser considerado golpista, mentiroso e irresponsável. *temer recebe o tratamento de político de ações deploráveis, porque um presidente, volto a ressaltar, pária, ilegítimo e usurpador, de um país de golpistas saídos diretamente dos porões de terceiro mundo, lugares de onde as conspirações golpistas tiveram suas origens no Brasil e na América Latina.

*temer já  garantiu seu lugar na lama fétida da história como traidor, o pior adjetivo de todos adjetivos negativos e desprezíveis da humanidade, como no Brasil vivem nesta humilhante e vergonhosa condição histórica, os nomes dos traidores da Pátria, Silvério dos Reis, Domingos Fernandes Calabar, Cabo Anselmo e Fernando Henrique Cardoso — o Neoliberal Golpista I —, aquele que vendeu o Brasil, implementou a diplomacia subalterna do "tirar os sapatos e abaixar as cabeças", bem como deu autorização para que o PSDB fosse um dos protagonistas do golpe de estado contra o Brasil, sua democracia e a presidente legítima e constitucional Dilma Rousseff.

*temer é o chefe do bando que tomou de assalto o Palácio do Planalto, como os bandidos tomam de assalto as ruas, os comércios e as residências do País. Ele foi tratado na Rússia e está a ser tratado na Noruega conforme ele é: pequeno, desimportante e subalterno. Porém, o que esse sujeito usurpador e golpista pensa que é? Evidentemente que, aos olhos da gringada que o trata como subserviente e submisso, tal indivíduo asqueroso, abjeto e odiado por 98% dos brasileiros não merece seu respeito, pois não se trata de um estadista, que se dá ao respeito e, portanto, não admirado e desconsiderado.

Então o que o político miúdo é? Respondo: o político de grandeza anã é provinciano e de direita à moda "reaças" de 1932, o feitor da burguesia, o capitão do mato da casa grande, o capacho dos banqueiros, o porta-voz dos infernos, que tira dos brasileiros para entregar aos governos estrangeiros e à iniciativa privada. Tal valete é o burguês de alma e pensamento colonizado. *mi-shell temer é valentão com os pobres e subserviente perante os ricos. Trata-se do usurpador que deu um golpe de Estado e que já entrou para a história como o presidente corrupto e  impopular; o odiado e tratado como pária e bastardo dentro do Brasil e no exterior. *temer é, sobretudo, o traidor!

O ilegítimo, o ilegal, o imoral, o denunciado, pois acusado de ser criminoso, de ter cometido inúmeros crimes comuns, constitucionais e institucionais, pois, indelevelmente, transgressor e violador. O cidadão inimigo da cidadania, porque totalmente inconsequente e irresponsável, que frequenta assiduamente o Código Penal, de acordo com a PGR e a PF. O líder de delinquentes processados ou que estão enjaulados nas cadeias. O chefe de um ministério apodrecido e o chefete e menino de recado da banca internacional e da decadente casa grande paulista e paulistana.

O receptador de malas recheadas com dinheiro sujo, ilegal, pois de propinas, segundo as denúncias e acusações oficiais. O testa de ferro, o preposto, o laranja, o presidente (sic) de fachada. O fantoche, o invejoso e o sorrateiro. O sujeito que representa os interesses do establishment, da burguesia tupiniquim, aquela medíocre e alienada que jamais e em hipótese alguma teve qualquer projeto de desenvolvimento para o Brasil e apreço pelo seu povo.

Trata-se daquele golpista que considera estar a conquistar avanços ao olhar pelo retrovisor. O político minúsculo. O anão moral e político. O diminuto e o ínfimo. O iníquo, o malévolo e o injusto. O perverso do programa ultraneoliberal "Uma Ponte para o Futuro (no Inferno)". O mentiroso, o ardiloso e o traiçoeiro.

A incompetência administrativa e a visão curta, rasa e estreita sobre relações internacionais, porque o desgoverno de *mi-shell temer é irremediavelmente provinciano e colonizado, o que o faz ser sectário, arrogante, pretensioso e preconceituoso, pois a criar muros ao invés de pontes.

*temer é apenas um "rato" veterano e já decadente de balcões de negócios, que vivia há quase 50 anos nos bastidores e nos porões da República, a negociar os negócios de seu grupo político, que tomou de assalto o poder em companhia do PSDB, cujos políticos são tão golpistas quantos os políticos de 1964, sendo que em um tempo que os tucanos não têm a desculpa da Guerra Fria, bem como o mau exemplo do passado não ensinou nada com coisa alguma aos tucanos que garantiram, sem sombra de dúvida, páginas desditosas e infames nos livros de história.

A sordidez como forma de fazer a nobre arte da política pelas mãos dos golpistas liderados por *mi-shell temer — o antidemocrático, o antinacionalista e o antipopular. O que mandou o Exército ir às ruas como se fosse a guarda pretoriana do arremedo de ditadorzinho de terceiro mundo. O golpista cara de pau que manda a polícia bater nos trabalhadores, nos servidores públicos, nos estudantes, nos professores e nos índios, porque chefe de um governo de direita, ilegítimo e violento.

O usurpador que leva à morte os trabalhadores do campo e, principalmente, os sem terras por seu desgoverno ser cúmplice e conivente com a repressão à sociedade civil organizada. O despótico aliado de prefeitos e governadores que expulsam, sistematicamente, as pessoas que se organizam para ocupar prédios abandonados nas grandes cidades, porque não possuem casas próprias e não têm dinheiro para pagar aluguéis, abaixo de muita porrada protagonizada por policiais e seguranças, além de serem vítimas de bombas de gás lacrimogêneo, gás de pimenta, balas de borracha e ataques de cães.

Trabalhadores à mercê de todo tipo de ameaças garantidas por juízes, coronéis, delegados, promotores e pela tropa de policiais militares, que até hoje são doutrinados em suas escolas profissionais como se o Brasil vivesse ainda na década de 1970 — a década em que a repressão militar-policial chegou ao seu auge neste País, que oficialmente escravizou seres humanos por 388 anos!

A polícia estatal como ferramenta de repressão da casa grande. A guarda pública do patrimônio privado paga pelo contribuinte. O interesse privado a se sobrepor ao interesse público. Este é e sempre foi o Brasil, agora com mais força e evidência no desgoverno de *temer, porque completamente desprovido de subterfúgios para disfarçar a repressão e a distribuição do patrimônio nacional e dos estados e municípios à iniciativa privada, que suga de canudinho o dinheiro e o patrimônio públicos.

Toda essa malévola realidade em benefício dos privilégios da burguesia mais pusilânime, colonizada e vazia de propósitos do planeta, porque irremediavelmente entreguista e psicologicamente pária e subalterna. Simplesmente não se importam com a autonomia e independência do País, que permitam e viabilizem seu desenvolvimento e, com efeito, defendam os interesses nacionais e estratégicos do País.

Já disse em outros artigos, mas não custa nada relembrar: o inimigo do Brasil não é externo e, sim, interno. A história comprova. Ponto. A casa grande e seus coxinhas amestrados e despolitizados são os inimigos do maior País da América Latina e um dos mais importantes do mundo até a deposição de Dilma Rousseff, golpe que, inquestionavelmente, transformou o Brasil em um republiqueta bananeira com a cara de nossas "elites" colonizadas, em pleno século XXI, no ano de 2016.

E lá se vai o Amigo da Onça, o traidor, o usurpador a viajar pela Rússia e a Noruega, como se nada tivesse acontecido e a acontecer neste País que está em guerra e, irrefragavelmente, dividido desde junho de 2013. São exatos quatro longos anos. Não se trata de uma crise político-institucional qualquer. É a mais grave da história do Brasil moderno, porque ocorre em um momento que o País se preparava para combater a crise internacional no governo legítimo de Dilma, o que ocorreria sem sobressaltos radicais, pois um País que institucionalmente não está em crise tem maior chance de combater mazelas econômico-financeiras. Todo aprendiz de economista, administrador e contador sabe disso.

Hei de lembrar que o desemprego nos tempos de Dilma Rousseff era de 4,2% e no desgoverno do golpista que paga mico no exterior, que incomoda, constrange e irrita mandatários legítimos, como o presidente russo, o rei e a primeira-ministra da Noruega, atingiu os incríveis 13,7%, o que significa 14,4 milhões de desempregados, fora a economia informal. *temer e a política econômica de seu desgoverno é indiscutivelmente um fracasso retumbante.

O ambiente e o clima no Brasil são de baixíssima estima, desesperança, ódio, intolerância e fadiga, porque não há mais energia e propósitos para que o País se pacifique. A economia, em 2014, estava estável, apesar do recrudescimento da crise internacional e de algumas mudanças de cunho neoliberal efetivadas por Joaquim Levy, que caiu, pois se indispôs com os economistas desenvolvimentistas, com o PT, o PCdoB e suas bancadas.

A intenção era continuar, com poucas mudanças e alterações, a política econômica de Lula e do primeiro governo de Dilma, que privilegiavam o consumo, o mercado interno, os programas de inclusão social e as obras em todo o País, que, evidentemente, geraram empregos e desenvolvimento em todos os setores da economia, a criar ciclos virtuosos, que levaram o Brasil a fortalecer sua economia e, consequentemente, ser admirado e respeitado pela comunidade internacional. Isto é história. É fato.

Entretanto, estamos a aturar um golpista mequetrefe, que destruiu a economia e interditou a democracia para criar um país apenas para ele e sua camarilha de bandoleiros, a incluir a imprensa de mercado, que tomaram a Presidência da República por meio de um golpe vergonhoso e que humilha profundamente o Brasil e os brasileiros, que combatem incansavelmente o golpe e não sossegam enquanto esse presidente ilegítimo, que está a vender o País seja retirado do poder para responder por seus crimes de lesa-pátria e de alta traição.

O lugar adequado a *mi-shell temer é a cadeia, a prisão — a jaula! Se o *mesfistófeles desse um golpe bananeiro na Noruega ou na Rússia, lugares onde ele cometeu gafes dignas de um provinciano sem noção que ele é e sempre foi, tal indivíduo odiado e desprezado por quase todos os brasileiros seria preso. Sem conversa!

Esse indivíduo e sua corja do balacobaco, que transformaram o Palácio do Planalto em um covil de predadores ou um ninho de cobras venenosas, são abjetos e irresponsáveis, porque ao desmontar o Estado nacional e tratá-lo como se ele fosse privado, obviamente que será muito difícil restabelecer o poder público e implementar novamente um estado de bem-estar social, como estavam a construir os presidentes Lula e Dilma.

A ordem é fazer com que fortalecer o Estado fique praticamente impossível, de forma que os interesses privados sejam concretizados. Trata-se de colonialismo e servilismo aplicados diretamente nas veias por esse monte de canalhas e sacripantas que arrebentaram com a economia do País e tiraram, a fórceps, a paz social e o sentimento de justiça. Sem justiça não há paz.

O País gigante que ficou minúsculo e ainda mais individualista com o *temer e a burguesia irresponsável que o apoia e agora está a amargar duros prejuízos em suas empresas comerciais e industriais, porque a economia, à frente o golpista e traidor Henrique Meirelles, afundou como o Titanic.

O Meirelles, ele mesmo, aquele testa de ferro de banqueiros, cuja aposentadoria é de R$ 250 mil e que durante quatro anos foi o principal executivo da JBS dos gângsters irmãos Batista. E a Friboi era do Lulinha... Durma-se com um barulho desse. Trata-se de cretinice, hipocrisia e cinismo sem limites. Somente a sociedade brasileira produz cretinos de tanta pequenez e com imensa vocação para a infâmia. Em profusão...

O elevado à condição de presidente(sic) pária e bastardo pela mesma imprensa golpista e de mercado que deseja ardentemente derrubá-lo do poder e, com efeito, garantir as eleições indiretas e ter tempo para encontrar qualquer candidatura que viabilize um político de direita competitivo. *temer representa, definitivamente, um governo sem o povo, porque desprezado e odiado por quase toda a Nação.   

O elemento (como diz a polícia) que, na verdade, é  execrável, a quem ninguém o leva a sério, a não ser a si próprio quando se olha no espelho. O sujeito que se mostrou desprovido de escrúpulos e que criou para si um mundo paralelo, onde ele se diverte no papel de presidente da República de um País rico e sem problemas, como se tivesse saído direto de um manicômio para egocêntricos que perderam totalmente a razão e a noção das realidades que se apresentam.

O Amigo da Onça vive como se fosse a Alice no País das Maravilhas e sai a viajar como um caixeiro viajante, a vender o Brasil sem ter moral, autenticidade, legitimidade, autoridade e o poder de convencer os russos e os noruegueses de que ele é sério, quando os mundos mineral, animal e vegetal sabem muito bem que ele não passa de um reles golpista de terceiro de terceiro mundo e porta-voz da casa grande brasileira, a mais atrasada, provinciana, colonizada e entreguista do mundo ocidental.

O *temer é o exemplo fidedigno do que é ser o fim da picada! Ele é a vergonha do Brasil. Ele representa e exemplifica as vergonhas, as desigualdades e as injustiças brasileiras. Ele acumula em si o significado, a realidade e a verdade de o que é de fato um País populoso e com um povo criativo e trabalhador, grande geograficamente, com terras, águas e subsolos ricos não ter conseguido se desenvolver por causa de uma casa grande que aposta no atraso e no retrocesso político, econômico e democrático para manter seus privilégios, receber benefícios e transformar o Estado nacional em estado patrimonialista, a servir aos interesses econômicos e políticos da burguesia e com o apoio da pequena burguesia — a despolitizada e a racista —, a que demonstra racismo na internet e na vida prática sem se envergonhar de sua ignomínia, de seu infame ato.    

O político nanico, o alquimista do nanismo social, o coveiro da economia, o entregador do patrimônio público, das terras férteis e agricultáveis, das águas e das riquezas do solo brasileiro. O interlocutor menor, o minúsculo, aquele que ninguém vê, considera e respeita, se tiver um pouquinho de juízo, pois saberia que jamais poderia levá-lo a sério.

*temer é um presidente pária,  isolado, cujo distanciamento da verdade e da realidade se converteu em sua matéria prima para governar. O estúpido governa como um biruta que pensa que é rei, mas está a viver de suas ilusões de ser considerado estadista. Ele é assim e assim ele procede. Suas mãos são ligeiras, seus dedos sempre em riste, não param, a exemplificar sua egocêntrica ansiedade, que é intermediada por mentiras, que têm por finalidade mantê-lo, a todo custo, no poder. É só o que importa, além do tique nervoso em sua boca, que a torce e a distorce, como se o golpista e o usurpador estivesse a ser acometido por um derrame cerebral ou AVC.

E seu trunfo para cometer os desatinos, as injustiças e as perversidades de sua fracassada e deplorável administração são as reformas do trabalho e da previdência. As usa como motivo maior para manter a quadrilha no poder e infernizar a sociedade brasileira, além de humilhá-la perante a comunidade internacional.  O simplório e provinciano golpista tem seus dias contados, porque não há mal que perdure, que dure para sempre.

O *temer é o mal. Seu desgoverno é o exemplo pronto e acabado do quão homens e mulheres egocêntricos, egoístas, ignorantes e descompromissados com a humanidade, com a sociedade e com o País podem desumanizar a política, sem se preocupar que é por intermédio dela que se alcança o mínimo de civilidade, justiça e paz. 


*mi-shell temer é o mal que será derrotado e, por sua vez, o Brasil, após superar tão longa e violenta crise, terá mais consciência do quanto é importante a democracia, o Estado Democrático de Direito, a Constituição, a preservação da ordem institucional no que tange aos Três Poderes e, principalmente, à obediência aos resultados das urnas soberanas — o respeito ao resultado das eleições. *temer é golpista, usurpador, ilegítimo e traidor. Seu lugar na história é no porão. É isso aí.