Google+ Badge

terça-feira, 29 de agosto de 2017

Quem compra patrimônio público de golpista ladrão é ladrão receptador, ambos com grande futuro na cadeia

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

De acordo com a PGR, em notícias publicadas na imprensa de negócios privados contra o Brasil.
Não há mal que dure para sempre. Então, quando o Brasil se livrar da pior e malévola, infame e sórdida quadrilha composta por canalhas, que se organizaram em uma turba poderosa e que colocaram o Brasil dentro de uma camisa de força para roubá-lo, pilhá-lo ou esquartejá-lo, haveremos de ver esse bando de bandidos e desqualificados como cadáveres políticos e presos em cadeias, que lhes servirão adequadamente como seus covis, porque quadrilheiros ou bandoleiros simplesmente não têm a mínima compreensão do que é um lar, que simboliza a nação de todos os brasileiros.  

Trata-se de fatos, ações e fatores incomuns, porque o Brasil e seu povo não estão a tratar com pessoas que têm a intenção de construir o Brasil e emancipar seu povo, por intermédio da igualdade de oportunidades e do desenvolvimento econômico e social. De forma alguma. O povo brasileiro está a enfrentar uma máfia, que tomou de assalto o Palácio do Planalto e não efetivou uma única ação que beneficie a população e seus trabalhadores. Uma única ação não foi realizada, mas, sim, atitudes e comportamentos que viabilizem o desmonte do patrimônio público e até a venda de enormes espaços geográficos de terras.

Além disso, no plano social, os bandoleiros ilegítimos e que evitam voar em aviões comerciais e frequentar espaços públicos para não serem linchados moralmente e, quiçá, fisicamente, não realizaram nada. Pelo contrário, estão a dar fim de maneira rápida aos programas de inclusão social, bem como os que são destinados a apoiar os jovens, no que diz respeito à inclusão educacional e o acesso à saúde e ao emprego.

A resumir: uma lástima total é o desgoverno dos bandoleiros, que têm profundo ódio ao Brasil e a seu povo. Trata-se de algo ou questão que terão de ser estudados, não somente pelos historiadores, mas também pelos sociólogos, antropólogos, psicanalistas e psicólogos. E por quê? Porque os golpistas e seus apoiadores de todos os segmentos e setores, desde o mundo empresarial aos ambientes jurídicos e midiáticos, realmente odeiam o Brasil e, para manter seus privilégios e benefícios políticos, financeiros e econômicos, destroem a economia do País, paralisam ou desmontam qualquer projeto e programa estratégico de independência e soberania, assim entregam o que puderem, a fórceps e a toque de caixa.

Nunca vi nada igual. Jamais, em toda minha vida, observei tanto desprezo e falta de vergonha na cara. A verdade é que um grupo político e econômico conquistou o poder mediante um golpe de estado travestido de legal e legítimo e armaram uma armadilha infernal, que levou à deposição de Dilma Rousseff e à perseguição ao PT e suas lideranças, a exemplo de Lula, Dilma, Genoíno e Dirceu, dentre muitas outras, sendo que a maioria foi presa ou acusada e processada pelo mecanismo chicaneiro e jurídico chamado de "domínio do fato", que somente serviu para encarcerar os políticos do PT, sendo que os do PSDB estão até hoje livres, leves e soltos, a rirem das nossas caras e a mandar no País, mesmo depois de terem perdido quatro eleições consecutivas.

A direita brasileira corrupta e violenta, dona da casa grande e inquestionavelmente escravocrata, não aceitou a quarta derrota e, juntamente com a maior golpista da história do Brasil, a família Marinho, proprietária das Organizações(?) Globo, realizaram a campanha midiática mais sórdida, infame, covarde e violenta contra governos e mandatários legítimos, constitucionais, trabalhistas e de esquerda, que ousaram colocar o Brasil em destaque em âmbito mundial, além de terem incluído pela primeira vez os pobres, os negros, os índios, os trabalhadores e todas os segmentos sociais historicamente "esquecidos" e oprimidos no Orçamento da União.

Agora, vamos ao que mais importa dentre as questões que também importam. Para que os golpistas e usurpadores vendam criminosamente o patrimônio público e suspendam os programas sociais que atendem a milhões de pobres, eles têm de necessariamente efetivar uma política de terra arrasada, de lesa-pátria e voltada aos interesses das corporações privadas e de governos estrangeiros.

Quero, na verdade, asseverar que o desgoverno corrupto e antinacional, antipopular e antidemocrático de *mi-shell temer, a ter à frente das péssimas decisões econômicas que afundam o Brasil propositalmente o empregado dos irmãos Joesley e Wesley Batista, o tucano e feitor de banqueiros, Henrique Meirelles, desconstrói o País porque é realmente a ferramenta de controle de uma plutocracia internacional e das oligarquias locais para que o Brasil fique eternamente como uma republiqueta bananeira e seu povo, iletrado e ignorante, não assuma jamais a condição de protagonista de sua própria história.

Explico melhor e dou como exemplo a péssima notícia relativa à divulgação da Secretaria do Tesouro Nacional, que no dia de hoje, 29/08, anunciou um déficit primário nas contas de R$ 20,15 bilhões somente em julho, o que vem a ser o maior rombo nas contas públicas em 20 anos. Um vexame, sem sombra dúvida, mas calculado e efetivado por agentes públicos do setor econômico e financeiro de um governo conservador e determinado a apenas atender os interesses do capital. Quero ainda lembrar que o dono da JBS (Friboi) não é e nunca foi o Lulinha. Para a surpresa do público, quem presidia a JBS para os irmãos Batista era o atual ministro da Fazenda, o Henrique Meirelles. Meirelles, para a vergonha nacional, era o empregado número 1 de gângsters e corruptos, que atualmente vivem nos EUA; e é exatamente este sujeito que hoje é o ministro golpista da Fazenda, que, propositalmente, destrói a economia brasileira para favorecer as bancas nacional e internacional. É mole ou quer mais?!

Porém, continuemos. A Secretaria do Tesouro anunciou ainda, para o júbilo e contentamento dos golpistas que entregam o Brasil de corpo e alma, que no acumulado no que diz respeito ao período de sete meses (janeiro-julho) de 2017 foi registrado déficit fiscal de R$ 76,27 bilhões, o pior dos últimos 21 anos. Trata-se realmente de valores colossais, que denotam as perdas do Brasil e de seu povo para que banqueiros, rentistas, especuladores e jogadores da bolsa — os que vivem dos capitais voláteis — sempre ganhem em detrimento da economia produtiva, que também é chamada de real e geradora de empregos.

A sociedade brasileira tem de entender e compreender que ela está a ser vítima de gângsters e golpistas, verdadeiros predadores que manipulam a economia para que ela possa servir como jogatina para os grande grupos do capital financeiro, que têm como seus braços de convencimento junto às populações as mídias privadas e controladas por magnatas bilionários de imprensa. É como se eles dissessem: "Olha, otário, ser roubado é legal e bacana. Então, concorde com a gente". E o pior é que temos no Brasil muitos otários, que concordam com toda essa insanidade e dão tiros nos próprios  pés.  

Não se engane, especificamente quanto ao povo brasileiro cujas famílias têm membros desempregados, assim como quanto à classe média coxinha, com cabeça feita pela imprensa de negócios privados, que diuturnamente trata de dizer também que vender tudo e ficar sem nada é "ótimo e maravilhoso", bem como retirar seus direitos trabalhistas e previdenciários é  "sensacional". Durma-se com um barulho desse, até porque "pagar" de idiota tem limites.

A economia, para início de conversa e não restar dúvidas, é controlada pelas decisões governamentais de determinado mandatário eleito. Se o governante é da estirpe e da laia de *mi-shel temer, Henrique Meirelles et caterva, obviamente que as políticas públicas de inclusão social serão enfraquecidas ou extintas. É o que acontece agora, neste instante, no Brasil. A verdade é que quem compra estatal vendida por golpista ladrão é ladrão receptador, ambos com grande futuro na cadeia.
  
A economia é subalterna à política e às decisões do mandatário eleito e sua equipe. Não o contrário. Definitivamente, não é o que acontece quando um bando de golpistas desprovidos de votos, de autoridade moral e legitimidade resolvem, por meio de um golpe de caráter terceiro-mundista destruir, propositalmente, a economia brasileira e seu poderoso e imenso mercado interno — o tesouro dos tesouros para qualquer nação ser rica, independente e soberana.

Desmontar a economia de um País gigante e populoso como o Brasil é um crime sem precedentes. Crime digno de traição e que deveria terminar em cadeia para os sediciosos corruptos que tomaram o poder central de assalto, com inacreditável aquiescência e cumplicidade do pior e mais elitista Judiciário do mundo, que se juntou com a corja dos políticos do PSDB, a ter como rebarba a presença do PMDB e do DEM, que, a despeito das ações e denúncias do PGR Rodrigo Janot, tudo continua como dantes no quartel de Abrantes.

E por quê? Porque *mi-shell temer e seus comparsas de crimes e bandalhas continuam com a farra do feirão, que eles montaram para vender o Brasil e deixar o povo brasileiro e seus trabalhadores à míngua. Em países desenvolvidos e com um empresariado mais sério, menos corrupto e não mamador das tetas do Estado Nacional, certamente que o famigerado Amigo da Onça, vulgo *mi-shell temer, um dos maiores traidores do Brasil, se não for o maior, seria preso ou até mesmo levado à pena de morte após julgado por suas cortes.

Não é necessário ser economista para perceber que o Brasil não está a recuperar sua economia. Venderam gato por lebre para levar Dilma Rousseff à deposição e violar a Constituição. Evidentemente que Henrique Meirelles aprofunda a recessão ao ponto de o Brasil entrar em depressão, no que tange à economia. Enquanto isto o diabólico *temer, que jamais e em hipótese alguma realizou uma única ação que favorecesse o povo e os trabalhadores, pretende vender as estatais e ativos públicos como saída para sua incompetência, irresponsabilidade e total distanciamento e desconhecimento das questões brasileiras mais urgentes. Este governo radicalmente de direita, entreguista e de ladrões é irremediavelmente inimigo de seu próprio povo.

*mi-shell temer e sua equipe de bandoleiros de toda monta e espécie são, realisticamente, um deserto estéril de ideias, pensamentos e resoluções que favoreçam o Brasil. Apenas vendem, vendem e vendem as riquezas do País e a dignidade da nação, que está, parte dela, anestesiada, por se tratar da parte golpista, bem como a outra parte, que não conjurou a favor do golpe está a observar ansiosamente e desagradavelmente as extrapolias dos bandidos de direita que tomaram o poder de assalto, sem autoridade e legitimidade.

É como se estivesse tudo suspenso e em suspense. Não é fácil conviver com um golpe de estado, ao tempo que, para mim e muitos dos meus conhecidos, pois é inaceitável e doloroso ver o Brasil de joelhos, humilhado e tratado como País de quinta categoria, cucaracha, bananeiro, de terceiro mundo e entregue a uma das piores "elites" do planeta que vicejam em suas terras. Trata-se, peremptoriamente, da casa grande mais alienada, ordinária e perversa que existe no mundo, a acompanhá-la os coxinhas pobretões e brancos que pensam que são ricos, porque ganham um salário razoável. Pobres coitados... Até existe um montão de coxinhas insensatos e arrogantes que trabalham no serviço público e são privatistas. É de doer a burrice desses caras.
  
Contudo, para finalizar, o próximo presidente a ser eleito, e se for de esquerda, ele terá de tratar os empresários, as corporações privadas ou públicas e os governos de países que "compraram" o patrimônio público no "Feirão de Liquidação Brasil" como criminosos, ou melhor falando, receptadores de produtos roubados. Quem compra patrimônio público de governos golpistas e usurpadores é também ladrão - receptador.

A verdade é que o próximo presidente da República eleito pelo maioria do voto popular têm de confiscar ou tomar, sem vacilar, os "produtos" ilegais vendidos sem a autorização das urnas soberanas, cujo programa de governo apresentado ao povo brasileiro em 2014 não constava a entrega do patrimônio público à gringada pirata, malandra e esperta.


O que se sabe é que o programa do PT apresentado em 2014 por Dilma Rousseff ao povo deste País não abria mão da soberania, das riquezas e do patrimônio do Brasil. O desgoverno do incompetente, desditoso, traidor e inconsequente *mi-shell temer é algo inadmissível e imperdoável, pois se trata do autor do maior roubo e pirataria que se viu em todos os tempos no mundo ocidental. O lugar adequado a *mi-shell temer e quadrilha é a cadeia. Ladrão que compra de ladrão é receptador. Ponto! É isso aí. 

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Lula: “A Globo foi uma das principais articuladoras do golpe”

Brasil de Fato

ENTREVISTA LULA — Palavra Livre


Ex-presidente fala com exclusividade ao BdF e aponta que “é preciso dar esperança ao povo e que outro Brasil é possível”.

Da Redação

Em entrevista exclusiva ao Brasil de Fato enquanto percorre nove estados nordestinos de ônibus, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva comenta os motivos do golpe que tirou Dilma Rousseff da Presidência e quem está por trás dessa conspiração. Lula comenta ainda a necessidade de o povo se manter em luta contra os retrocessos e por democracia, e seguir acreditando na política. Sobre a posição do governo Temer sobre a crise venezuelana, dispara: “É ridículo um governo golpista, ilegítimo, inimigo do seu próprio povo, querendo dar lições de democracia à Venezuela”. Confira abaixo.

Na sua opinião, qual foi o motivo do golpe contra Dilma Rousseff?

Na verdade, as forças conservadoras nunca aceitaram o resultado das eleições de 2014. A direita se recusou a respeitar a escolha democrática da população. Um dia depois da eleição, já começou a sabotagem ao governo Dilma e a conspiração para derrubá-lo. Foi pauta-bomba em cima de pauta-bomba na Câmara e no Senado para inviabilizar a economia, para assustar investidores e consumidores, enquanto os projetos do governo, tão necessários ao país, não passavam ou eram completamente desfigurados. O que está cada vez mais claro, hoje, inclusive para muita gente que foi enganada pelas mentiras da imprensa, é que não foi um golpe só contra Dilma ou o PT. Foi um golpe contra a educação e a saúde públicas, contra os direitos dos trabalhadores e aposentados, para privatizar as empresas públicas e o pré-sal, para desnacionalizar a Amazônia. Um golpe contra o país.

Como o senhor avalia o papel da mídia e, especialmente, da Globo no golpe?

Os grandes monopólios de comunicação foram decisivos para o golpe. A Rede Globo, em particular, foi um dos seus principais articuladores e a sua grande propagandista. O golpe não teria sido possível sem o ataque sistemático e a sórdida campanha de desmoralização que a Globo fez ao governo Dilma e ao PT. Para facilitar o golpe, ela ajudou a abafar as acusações contra os líderes golpistas, a blindagem a Aécio Neves é um exemplo flagrante disso, que só viriam a aparecer depois que a presidenta foi derrubada. A Globo não hesitou nem mesmo em se aliar a Eduardo Cunha para sabotar o governo e o protegeu de modo escandaloso até que ele terminasse o seu serviço sujo. Ela vendeu ao país a falsa ideia de que os problemas nacionais foram criados pelo PT, e que bastaria afastar o PT do governo – mesmo ferindo a lei e a democracia – para que o Brasil virasse uma maravilha. Hoje, com a mesma cara de pau, ela tenta convencer os trabalhadores e o povo pobre de que as pessoas vão viver melhor sem direitos trabalhistas e sem aposentadoria.

O juiz Sérgio Moro condenou o Sr. na ação sobre o apartamento do Guarujá. O senhor também está sendo alvo de outros processos. Por que essa perseguição da Justiça?

O juiz Moro, na sentença que me condenou, diz que o tal apartamento não é meu, mas que isso não importa. Responsáveis pela Lava Jato já disseram que não há provas contra mim, mas que eles têm a convicção pessoal de que eu sou culpado. Todo mundo sabe que um principio básico do direito, que é sagrado em todas as verdadeiras democracias, é que o ônus da prova cabe ao acusador, não ao acusado. Para outros, esse principio vale. Para mim, não. Minha inocência está mais do que provada nos autos. Minha inocência está mais do que provada nos autos, mas isso simplesmente não é levado em consideração. Tenho 40 anos de vida pública, de dedicação aos trabalhadores, aos pobres, ao país. Será este o meu crime? Ter tirado o Brasil do mapa da fome? Não posso me conformar com tanta arbitrariedade. Qual a razão dessa partidarização da justiça? Chego a pensar que os que deram o golpe não podem admitir que o Lula concorra novamente à Presidência…

Caso seja eleito, quais são as medidas que o senhor tomará para melhorar a vida do povo e os rumos do país?

É cedo para falar como candidato, muito menos como eleito. Antes, precisamos impedir que os golpistas destruam os direitos sociais arduamente conquistados pelo povo brasileiro na última década. E impedir que eles privatizem a preço vil as empresas públicas. E também é preciso garantir que as próximas eleições sejam de fato livres e democráticas. Um novo governo, legítimo, que tenha uma visão progressista do país, pode perfeitamente tirar o Brasil do atoleiro em que ele esta hoje. Nós já governamos o país e provamos na prática que o Brasil pode ser uma nação soberana, com verdadeiro crescimento econômico, geração de empregos, distribuição de renda, inclusão social e ampliação das oportunidades educacionais em todos os níveis. Para isso, é preciso acreditar que as classes populares não são um problema, e sim uma solução. Quando os pobres da cidade e do campo puderem voltar a comprar é que o comércio vai vender e a indústria produzir e, com isso, o investimento vai retornar. Será muito importante também elegermos um Congresso melhor que o atual, com mais representantes dos trabalhadores, dos camponeses, das mulheres e dos jovens.

O que o senhor recomenda em termos de organização e foco à Frente Brasil Popular para avançarmos na luta contra os retrocessos e por democracia?
A Frente é uma coisa extraordinária, porque reúne diferentes setores da sociedade para pensar o Brasil e lutar pela sua transformação. Ela tem sido fundamental na resistência aos retrocessos políticos e sociais. O foco da Frente está correto, combinando formulação e mobilização permanente. Penso que é muito importante também a gente explicar para a população o que estamos defendendo. É preciso dar esperança ao povo de que outro Brasil é possível e que, com um governo popular, dias melhores virão.

Por tudo isso que o Brasil tem vivido, muita gente não acredita mais na política. O que devemos fazer diante dessa desesperança?

A gente não tem o direito de desistir. A minha mãe me ensinou isso. A gente tem sempre que lutar. Tenho 71 anos e não quero desistir. Não desisti de sobreviver ao nascer em uma região onde muitas crianças morrem antes de completar cinco anos. Não desisti de organizar os trabalhadores durante a ditadura. Construí com meus companheiros o maior partido político da América Latina e fui presidente do Brasil por dois mandatos. Se eu consegui tudo isso sem diploma universitário, sem pai rico, por que alguém jovem deve desistir? Se você acha que a política está­ ruim, entre na política e tente ser você mesmo o militante ou dirigente político que você sonha para o Brasil.

Hoje, quem são os principais adversários para termos um país com justiça social, solidário e com oportunidade para todos?

Eu acho que hoje tem muita gente ressentida no Brasil, muita gente que está de mau humor, achando que o egoísmo vai resolver alguma coisa. Tem muito empresário que quer tirar direitos dos trabalhadores e aposentados sem perceber que se o trabalhador e o aposentado não tiverem dinheiro, não vão consumir o que ele produz. A grande força da nossa economia é o mercado interno. Então ele pode achar que vai se dar bem sendo inimigo dos trabalhadores e no final as vendas dele vão cair. Tem gente que se ressente da melhoria de vida dos mais pobres e quer um país para poucos, só para um terço da população. Tem gente que defende quase a volta da escravidão. Essas pessoas precisam entender que isso não é bom nem para elas, porque um país para poucos é um país fraco, inseguro, instável. Um país assim não atrai nem investidor estrangeiro, atrai só parasita em busca de riqueza rápida, que vem extrair recursos naturais ou comprar empresas baratas. Uma sociedade solidária não é apenas uma questão de justiça – ainda que isso seja o mais importante –, mas também de necessidade. Quando os pobres e os trabalhadores melhoram de vida, toda a sociedade melhora.

Muitas vezes os políticos ficam decidindo a vida dos brasileiros e do país fechados em escritórios em Brasília. O senhor já fez muitas viagens pelo interior do Brasil, em caravanas como esta agora no Nordeste. O que o Sr. aprendeu sobre o nosso povo nessas experiências?

Aprendi que o povo brasileiro é de uma força e de uma grande generosidade, e que não se pode governar o país de Brasília, da Avenida Paulista ou da zona sul do Rio de Janeiro. Para alguém que vive nessas regiões, um programa como o Luz Para Todos pode não significar nada. Mas ele levou energia, trouxe para o século XXI milhões de brasileiros. Sem luz, um jovem não pode estudar. Sem se alimentar, com uma boa merenda na escola, o jovem não pode estudar. Criamos o Programa de Aquisição de Alimentos, que apoia o agricultor local e reforça a merenda com comida saudável, hoje isso está sendo destruído. A criança tem que comer, mas também tem que ter roupa para ir à escola. O Bolsa Família exige para o recebimento do benefício que a criança frequente a sala de aula. Sem transporte, um jovem da zona rural não pode estudar. Criamos o programa Caminhos da Escola, que levou ônibus escolares pelo interior do Brasil. Sem água, como se pode viver, ainda mais estudar? Instalamos milhões de cisternas no sertão. E se não tem faculdade próxima, como estudar? Ampliamos as universidades, os institutos federais de ensino, as escolas técnicas, levando elas para o interior. Foram centenas de novas extensões universitárias em todos os estados do país. A Bahia tinha só uma universidade federal, hoje tem quatro. Eu conheço pessoalmente o tamanho deste país, que ele não é pequeno, e quem o governa não pode ter a mente nem a alma pequena. Tem que ouvir o povo, colocar o pé na estrada, conversar, procurar soluções, dar força para a sociedade civil. E tem que abrir o palácio ao povo, fazer a sociedade civil participar da construção das soluções para o país.

Como o senhor avalia as ameaças do governo dos EUA diante da situação da Venezuela? Como o Brasil deveria ter atuado no processo de paz na Venezuela?


É inadmissível que Donald Trump faça ameaças militares à Venezuela. Aliás, a qualquer país, em qualquer região do planeta. A Venezuela tem direito à sua autodeterminação. É o povo venezuelano que deve decidir livremente o destino do país. Se há uma crise institucional, que se busque superá-la por meio do diálogo e da negociação política, mas respeitando sempre os governantes que foram eleitos pelo voto popular, dentro das regras democráticas, como era o caso do presidente Hugo Chávez e é o caso do presidente Nicolás Maduro. Em 2003, quando a Venezuela vivia uma crise semelhante, eu mesmo propus a formação de um grupo de países amigos da Venezuela, bastante plural, que acabou contribuindo para o restabelecimento da normalidade e da paz. Hoje, infelizmente, o Brasil não tem nenhuma autoridade moral para ajudar. É ridículo um governo golpista, ilegítimo, inimigo do seu próprio povo, querendo dar lições de democracia à Venezuela. Quando tivermos novamente um governo democrático e popular, o Brasil voltará a colaborar, sem interferências indevidas na soberania dos vizinhos, para consolidar a paz e a estabilidade democrática na América do Sul.

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

TRF-4 corre para prender Lula e ratifica a vergonha partidária que se tornou o Judiciário de golpistas

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre

JUÍZES DO TRF-4 NÃO PODEM E NÃO DEVEM FAZER A JUSTIÇA DOS JUSTICEIROS. A JUSTIÇA QUE TRATA AS PROVAS COMO SE NÃO VIESSEM AO CASO. SEM JUSTIÇA NÃO HÁ PAZ!
Enquanto o Brasil é humilhado e demolido literalmente por causa da venda criminosa e de lesa-pátria de seu patrimônio público, golpistas que tomaram o poder de assalto, exatamente como assaltam os bandidos, os delinquentes e os celerados, o ex-presidente Lula é mais uma vez perseguido caninamente, porque o juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, é considerado por milhões de brasileiros como um bárbaro, no que diz respeito à Justiça brasileira se tornar medieval, além de ter cometido crimes nos quais o magistrado de província não foi ainda severamente punido, bem como, sistematicamente, utiliza-se de Lawfare para impedir que o maior político das Américas seja candidato e vença as eleições presidenciais de 2018, até porque Lula é o líder disparado nas pesquisas dos institutos burgueses, a ter índices maiores do que todos seus hipotéticos adversários juntos.

Quem deveria responder por crimes graves, constantes e rotineiros é o juiz tucano, Sérgio Moro, que se vivesse em um país considerado "sério", os quais os coxinhas do Judiciário tanto admiram por causa de seus estratosféricos complexos de vira-latas, certamente que tal togado, que é um dos principais responsáveis pela crise política e econômica do Brasil, que causou 20 milhões de desempregos, seria afastado de suas funções e cargo, além de processado pelo Estado, bem como, evidentemente, preso.

Talvez uma cadeia de 30 anos, ou melhor, prisão perpétua, porque o magistrado do Paraná cometeu, dentre muitas outras ilegalidades, o crime gravíssimo de liberar à imprensa de mercado os diálogos entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula. A imprensa comercial e privada, assim como historicamente golpista e associada aos interesses da Lava Jato, força tarefa que compartilha e antecipa a condenação dos acusados pelas manchetes e matérias, que, data vênia, são condenados e linchados publicamente antes de serem julgados, sendo que muitos estão presos sem comprovação material de suas culpas, no que tange a terem cometido crimes.

Juízes e procuradores nos tempos sombrios de hoje não somente executam as leis, mas, sobretudo, legislam, ilegalmente, conforme suas conveniências e interesses políticos e ideológicos, pelo simples e real fato de que estão até a medula envolvidos com o golpe de estado efetivado pelos ladrões que estão a arrasar o Estado nacional, sua economia e o Estado Democrático de Direito. A verdade é única e indissolúvel: a repercussão da gravação das conversas entre a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula foi realizada pela PF após duas horas de o juiz Moro, do PSDB do Paraná, ter determinado o fim das interceptações que bisbilhotavam as conversas de Lula por telefone.

Como o Moro tem como papel fundamental acabar com o PT, dar uma conotação que a política é suja, a fim de despolitizar a sociedade, bem como perseguir o ex-presidente Lula para que ele fique fora da corrida eleitoral de 2018, tal juiz de primeira instância e de um provincianismo que chega doer no juízo e na consciência dos cidadãos, que não engolem e não conjugam com seu indevido ativismo político e de direita, resolveu se valer de seu cargo e posição de salários altíssimos, que chegam a ser pornográficos, liberar os áudios dos presidentes petistas e, consequentemente, causar comoção popular. E foi o que aconteceu...

O juiz percebeu que Lula, na posição de chefe da Casa Civil, tentaria reagrupar a base do governo Dilma, que já estava em processo avançado de ruptura com o governo democrático e trabalhista. Além disso, Moro teve a ajuda de seu "espelho" e reflexo, cuja imagem é a do juiz do Supremo, Gilmar Mendes, do PSDB do Mato Grosso, que libera da cadeia, a torto e a direito, aliados políticos e empresariais, que foram acusados de cometer crimes, como comprova, indelevelmente, sua lamentável biografia, pois quando tal juiz abre a boca, sem sombra de dúvida, o STF parcial, injusto, burguês e golpista fica ainda menor do que já é.

Não sei se o juiz tucano, Sérgio Moro, foi processado por ter cometido esse grave crime, dentre outros crimes, ressalvo, que ele já cometeu à frente da Lava Jato. Porém, certamente, que existem processos contra ele e que, obviamente, estão engavetados eternamente, porque o Brasil é terra de ninguém e por causa disto considerado uma terra de los macaquitos, de cucarachas e de todos tipos de golpistas e usurpadores que se sentem bem e confortáveis quanto ao Brasil se tornar, irremediavelmente, colonizado e subalterno, enfim, uma verdadeira Banânia!

Depois os coxinhas miameiros vão tomar um banho de loja em Miami e, posteriormente, considerarem que tomaram também um banho de cultura e conhecimento. Seria cômico se não fosse trágico. E por que eu falo dessa forma? Porque grande parte dos membros ou servidores públicos do Judiciário agem e pensam dessa forma, sendo que é exatamente essa mediocridade que perdeu a modéstia que está a mandar no Brasil.

Contudo, a questão principal deste artigo é a que consta em seu título: "TRF-4 corre para prender Lula e ratifica a vergonha partidária, que se tornou o Judiciário de golpistas". Apenas de início fiz análise para que o leitor saiba com quem está a tratar, no caso o Judiciário brasileiro, um dos mais caros do mundo, onde vicejam juízes associados aos interesses dos procuradores e delegados da PF, que se insurgiram contra o Estado de Direito e, com efeito, violaram a Constituição Cidadã de 1988.

A verdade é que esses servidores garantiram judicialmente e juridicamente o golpe de estado de terceiro mundo contra uma mandatária reeleita legalmente e democraticamente com 54,5 milhões de votos. A presidente injustamente deposta e que não cometeu crimes. Tais togados e meganhas, que vivem em um mundo paralelo de opulências, confortos e mordomias, juntaram-se às mídias de empresários corruptos e bilionários e a políticos direitistas e golpistas, que resolveram simplesmente dar fim à paz social, quando resolveram cooperar para colocar no lugar de Dilma Rousseff uma quadrilha de ladrões.

Uma escória bastante perigosa, que está a causar um rombo fiscal no Brasil sem precedentes, sendo que por serem irresponsáveis, infames e sórdidos estão a vender 57 empresas públicas para cobrir parte do rombo fiscal e, por sua vez, não responderem por seus crimes fiscais, financeiros, além de não cumprirem com as metas estabelecidas pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que, a partir do golpe, tanto faz como fez sua existência. Golpistas criminosos podem tudo neste País bananeiro, com a aquiescência e a cumplicidade do pior, do mais caro e o mais alienado e elitista Judiciário do mundo ocidental — o brasileiro.

A quadrilha de *mi-shell temer vai entregar 57 empresas públicas à banca e à iniciativa privada, que se consideram "competentes", mas sempre mamaram nas tetas do Estado nacional. Será a venda de empresas gigantescas e estratégicas para a soberania do Brasil, que foram construídas através das décadas por inúmeras gerações de brasileiros, apenas para tampar o rombo fiscal e financeiro causado por moleques e bandidos de colarinhos brancos de toda monta e tamanho. Para tirarem os seus da reta, tais cafajestes ou canalhas resolvem vender o Estado e a Nação e, por conseguinte, evitam ser responsabilizados pela roubalheira e incompetência, motivos mais do que suficientes para perderem seus podres poderes conquistados por intermédio de um golpe de estado travestido de legal e legítimo.

A liquidação do Brasil, como se fôssemos uma loja comercial de produtos à venda e não uma nação. A entrega, ou seja, o roubo da Eletrobras e até a Casa da Moeda por parte de golpistas desprovidos de votos e de autoridade moral e eleitoral conquistada pelas urnas soberanas, que foram invalidadas arbitrariamente por criminosos. Já pensou nisso, cara pálida? A gringada pirata, malandra e esperta a mandar na Casa da Moeda, uma instituição centenária e responsável pela fabricação de selos, notas e moedas nacionais? Quer coisa mais simbólica do que representa a privatização do Brasil e sua consequente e total colonização?

Pois é... Porque não se trata apenas de privatizar, mas, sobretudo, trata-se de estabelecer que o Brasil deixa de ser uma nação independente ao abrir mão de sua soberania e, por seu turno, voltar aos tempos do Brasil Colônia, porque o Império não deu mole para a gringada, no que diz respeito a se rebaixar tanto sem precisar e sem necessidade. Pelo contrário, o Império garantiu o território nacional e suas fronteiras, conquistas que foram consolidadas na República Velha, a ter o grande Barão do Rio Branco como símbolo de nossa independência e soberania.

Essas questões tão importantes para que um país se torne em nação de fato e de direito não importa à casa grande e seus capatazes como os do Judiciário, por exemplo. Nunca importou. O que realmente importa para a "elite" ou a oligarquia mais perversa, preconceituosa, sectária e violenta do mundo ocidental é ter lucros exorbitantes, empregar mão de obra barata, sem direitos trabalhistas e previdenciários e viver fora do Brasil, a tê-lo somente como instrumento que propicia sua riqueza, vida farta e bem-estar somente para seu grupo social.

Se tiver de ficar no Brasil, mora-se em condomínios luxuosos e com seguranças armados até os dentes, de forma que os filhos da burguesia não precisem sair nem para ir à escola ou se divertir. É assim que toca a banda, e é por esses valores que a classe média coxinha trai o País e também odeia os pobres, os negros e quaisquer minorias, porque os coxinhas, na verdade, imitam o estilo de vida que os ricos levam, assumem seus valores e princípios e, com efeito, desprezam o Brasil e seu povo, ao ponto de não se importar de perder direitos e garantias, bem como não estão nem aí para a venda do Brasil, que está a ser liquidado em um feirão promovido pelos bandidos da direita brasileira, que são membros do PSDB, do PMDB, do PP e do DEM, dentre outros partidos, que tomaram o Palácio do Planalto de assalto.

Trata-se da total alienação, despolitização, analfabetismo político, desprezo e sentimento de classe por parte da casa grande e da pequena burguesia, sua empregada que, boçalmente, a apoia, mas não faz parte da turma dos ricos e muito menos de seus rega-bofes ou comezainas. Só pensa que faz... Se ilude. Idiotice e imbecilidade aplicadas diretamente em suas veias. Os preconceitos são as matérias das almas e dos espíritos da pequena burguesia, que deseja ir aos lugares que ela pensa que é dela sem ter de ver negros, pobres e iletrados. Não quer ver quanto mais ter de conversar. As redes sociais e as ruas comprovaram e comprovam o que eu assevero sobre a estúpida, leviana, medíocre e ignorante classe média coxinha.

Então, voltemos ao assunto, que é observar que o Judiciário é o alicerce do consórcio golpista que rasgou o contrato social garantido pela Carta Magna após o fim da ditadura militar, mas que hoje não vale nada, porque os juízes dos tribunais superiores e até mesmo juizecos de primeira instância estão a executá-la conforme os interesses políticos e partidários prementes, sendo que um desses interesses tem reflexo direto no que concerne a considerar que os tucanos não são, não devem e não podem ser presos. Ponto!

No Brasil, os tucanos ou o PSDB são submetidos a outras regras, normas e leis, porque a Constituição e o Código Penal brasileiros não valem para os bicudos ultraneoliberais, que quando estão no poder, agora por meio de um golpe bananeiro — a cara deles —, arrebentam propositalmente com o Brasil. É como se a tucanagem de terceiro mundo e cucaracha fosse um câncer anteriormente combatido e presumivelmente sarado, mas que depois de um certo tempo retorna impiedosamente ao organismo para tentar enfraquecê-lo e depois matá-lo. Assim é o PSDB. Trata-se literalmente de seu jeito escroto de ser. Fazer o quê, né? Tucano é assim... assim: vendilhão, traidor, golpista e usurpador! Olhe só, rimou.

Entretanto, o TRF-4, lugar onde a direita espera derrotar o Lula ao invés das urnas, está a se preparar para condená-lo por crime que não cometeu, no caso o do triplex de Guarujá, um apartamento que não é triplex, diga-se de passagem e que jamais pertenceu ao Lula. Fazer o quê, né? Os juízes e procuradores decidiram que o imóvel é do candidato favorito às eleições presidenciais, sem quaisquer provas e contraprovas, ao ponto de o juiz Sérgio Moro, em sua condenação abusiva, inapropriada, injusta e parcial contra o Lula, reconhecer que o político mais importante da América Latina e um dos mais populares e reconhecidos do mundo não ter cometido crimes por falta de provas. Não existem provas, porque Lula não cometeu crimes. Simples assim, e não me venham com churumelas.

Igualmente tal reconhecimento de que Lula não cometeu malfeitos aconteceu também quando no final da lamentável, da leviana e da mentirosa apresentação do powerpoint do procurador Deltan Dallagnol, aquele que se negou a dar transparência sobre a origem do dinheiro do filme "Polícia Federal — a Lei é para Todos", menos para os tucanos e os ladrões e corruptos que tomaram de assalto o governo central, bem como o ínclito procurador Dallagnol se nega a informar o quanto ele ganha por intermédio de suas palestras, sendo que muito dessa fama e prestígio perante os conservadores brasileiros advém da perseguição canina e covarde a Lula, que tem por objetivo final impedi-lo de ser presidente do Brasil pela terceira vez.

A Lava Jato é, sobretudo, ferramenta política da direita, e é para os interesses do status quo que seus servidores togados e de classe média trabalham. Não é mesmo, doutor? Agora a caçada a Lula é por conta do TRF-4. O presidente do tribunal, Carlos Eduardo Lenz, já deu declarações fora dos autos, afinal o impoluto magistrado também necessita de um pouquinho de fama. "Quaé, mermão!... Não é somente o "intocável" Moro que necessita das luzes da ribalta da imprensa alienígena e de negócios privados".

O juiz Lenz já disse que admira muito o juiz Moro, do PSDB do Paraná, mas o Estado de Direito espera que o magistrado Lenz não seja do PSDB do Rio Grande do Sul, bem como seus três colegas que julgarão o Lula pelo triplex que ele não tem, porque nunca foi dele também não passem a fazer parte de um processo covarde e draconiano, que persegue um político que não roubou e deixa um monte de políticos e empresários que comprovadamente roubaram livres, leves e soltos, a exemplo de políticos de PSDB, do PMDB e do DEM, que todo mundo sabe quem são. Surreal, não?!

Os togados partidarizados escolheram lado político e cor ideológica e podem mandar prender uma pessoa que não cometeu crimes, além de transformar as eleições de 2018 em uma farsa e fraude, porque, realmente, impedir o candidato das forças populares de não concorrer, mesmo se ele não cometeu crimes, ou seja, não roubou, o Brasil passa então a caminhar por veredas perigosas, de forma que este País, enfim, passe a viver em uma crise institucional e política sem fim e hora para terminar, sendo que pode acontecer uma convulsão social.

O negócio é o seguinte: o Lula com sua "Caravana da Cidadania" pelo Nordeste, que está a ser gravada e que ainda será um documentário de grandeza assustou a patuleia do governo golpista e de ladrões, do Judiciário burguês e igualmente golpista, da imprensa portadora do jornalismo de esgoto e do pior e mais corrupto Congresso de todos os tempos. Como o desespero dessa burguesia é grande, porque ela odeia que se governe para os pobres, porque historicamente equivocada e burra para dedéu, resolveu por meio de juízes que trabalham para os interesses dela tramitar o processo contra o Lula no TRF-4 em ritmo frenético.

Explica-se melhor: a ação contra o líder popular, trabalhista e de esquerda está agora ser alvo da rapidez partidária e inconsequente de juízes talhados para afastar o Lula de qualquer oportunidade de se tornar presidente. Os trâmites de seus processos são os mais rápidos de todos os processos da Lava Jato. Em apenas 42 dias, a partir da sentença surreal e injusta de Moro no mês de julho, até o início da tramitação da apelação da defesa de Lula ou do recurso na segunda instância, o TRF-4 mostrou para o que veio, e veio para ratificar o que o Moro decidiu: condenar um réu sem provas, agora em segunda instância.
A média dos demais casos da Lava Jato, e são inúmeros, é de 96 dias. Essa grande molecagem significa que o ritmo acelerado do processo de Lula tem por finalidade interferir no processo político brasileiro. Todo mundo sabe disso. Porém, a direita brasileira e seus capitães do mato perderam definitivamente a vergonha e a modéstia. A sociedade brasileira entrou em um círculo onde a hipocrisia, o cinismo, a desfaçatez e a injustiça imperam. A parcialidade desses juízes é vergonhosa e desmoraliza de vez a credibilidade do Judiciário, da Justiça e do MPF.

É simplesmente inaceitável o que ocorre nesta selva de pedra, onde o atraso é bem-vindo e o retrocesso é considerado avanço. Juízes e procuradores querem, de fato, retirar o Lula da luta política por meio de Lawfare, que significa a utilização do Poder Judiciário para perseguir mediante as leis o adversário ou inimigo a ser derrotado, que é o caso de Lula. A covardia desses servidores públicos ficará na história. Dessa vergonha sobre suas injustiças e parcialidades eles não escapam.

O Judiciário necessita de uma reforma profunda e urgente em todos os sentidos, inclusive a diminuir os salários pornográficos de juízes e procuradores, que, então, passarão a ir menos a Miami para fazer compras em shoppings, como também a Orlando e ver menos o Pateta. Enquanto isso, por exemplo, policiais militares no Rio de Janeiro ganham R$ 2 mil por mês para tomar tiro de fuzil na cara, enquanto juízes e procuradores ficam a passear dentro de suas redomas de cristais e a interditar candidaturas e prender quem não cometeu crimes. Aviso: sem justiça não há paz!

A imagem do Judiciário é péssima. Ninguém confia nesses caras, até mesmo os coxinhas conservadores. Não é porque alguém apoie golpe que necessariamente confie na Justiça, ainda mais a brasileira. Lula não roubou, volto a ressaltar e é favorito às eleições. Se Lula tivesse roubado, eu seria um dos que desejariam sua prisão. Contudo, não é a realidade e nem a verdade.


Esses juízes do TRF-4 têm de ser obrigatoriamente isentos, imparciais, justos e responsáveis com o Lula, com a verdade, com a sociedade brasileira e com a justiça. Fazer justiça é um dever e obrigação. O juiz Moro e seus associados da Lava Jato não são bons exemplos de uma Justiça justa e republicana. Lula tem de ser absolvido, porque ele não roubou. Justiça! É isso aí.

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

Brasil abre suas selvas e fronteiras aos EUA por ter um governo ilegítimo, pária, colonizado, subalterno, covarde e de ladrões

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


Se é verdade que uma tropa do exército dos Estados Unidos participará de exercício militar, que, de acordo com os analistas e observadores de segurança militar e de territórios as ações militares serão de dez dias, realmente e definitivamente passa não ser necessário explicar sobre o porquê de o desgoverno de *mi-shell temer, o mais fracassado, incompetente em todos os segmentos de atividades humana e o mais entreguista da história da República, chegou ao fundo do poço, como a maior praga que assolou, desmoralizou e humilhou o povo brasileiro — a Nação.

Jamais, em tempo algum, o Brasil se subordinou tanto, ao ponto de dobrar seus joelhos e não conseguir se levantar. Trata-se da entrega total do País por parte de ladrões e bandoleiros, que tomaram de assalto o Palácio do Planalto, como fazem os bandidos e delinquentes nas ruas, nas lojas e nas residências das cidades. Quadrilheiros de colarinhos brancos que já foram fotografados, filmados, gravados, confiscados documentos e provas e contraprovas de delatores, igualmente bandidos celerados, contra a escória que tomou de vez os poderes da República, para transformar o Brasil em terra de ninguém, sendo que sua posição nos índices de violência é uma das maiores do mundo.

Agora o golpista e usurpador pária, que traiu e trai a Nação, cujo vulgo é *mi-shell temer, enfia goela abaixo do povo brasileiro uma gringada yankee violenta, ladra, colonizadora e imperialista para tomar fé do território da Amazônia, conhecer o território brasileiro in loco, bem como fazer exercícios de guerra contra um povo e país irmãos, que são os venezuelanos e a Venezuela.

O fantoche do Planalto, o pau mandado, o apátrida e bastardo do povo, assim como desprovido de sentimento de nacionalidade e soberania, trai a eleita e constitucional Dilma Rousseff, assume o poder de forma ilegítima, sem quaisquer votos e legitimidade e resolve mais uma vez fazer um monte de merda, como se aliar à repressão e à opressão dos EUA, quando não têm seus interesses econômicos e geopolíticos atendidos e concretizados.

*mi-shell temer e seu capataz do Itamaraty, o tucano Aloysio Nunes Ferreira, além de instalarem a "diplomacia do tirar os sapatos e abaixar as calças" para os EUA e os países colonialistas da Europa, agora os golpistas fundamentalistas do mercado inauguram a "diplomacia prostituída", a fim de fazer com que o Brasil se torne, insofismavelmente, um país anão, insignificante, bananeiro, cucaracha, dependente, subalterno, atrasado e com vocação para o retrocesso, o fracasso, a miséria e a pobreza.

Tudo isto para manter o Brasil como "michê" de estimação, a ser uma Nação ad aeternum ultrajada e humilhada para que os golpistas e seus associados do empresariado, do Judiciário e do Congresso mantenham seus privilégios e benefícios eternamente, de forma que o Estado nacional seja um instrumento de cooperação dos interesses da casa grande brasileira e da plutocracia internacional. O Brasil, como todo país colonizado, foi adicionado à "diplomacia do porrete" dos norte-americanos.  

Esse processo terrível e vexatório que afundou o Brasil, pois praticado por um desgoverno de direita capitaneado por um sujeito sem moral e que diuturnamente entrega o Brasil e retira direitos e benefícios conquistados pelo povo brasileiro no decorrer de décadas a fio, e, por sua vez, permite que tropas estrangeiras do país que mais faz guerras no mundo e assassina milhares de pessoas todo o ano, a destruir economias inteiras de países que não rezaram por sua cartilha homicida e de interesse exploratório, consolide sua presença física, por intermédio de tropas militares alienígenas aos interesses estratégicos de defesa do Brasil e da América do Sul.

Porém, a submissão do governo fantoche e colonizado aos EUA não surpreende. Quando os golpistas de direita tomaram de assalto a Presidência da República, o sorrateiro e traiçoeiro José Serra (PSDB/SP), autor do projeto que entrega a Petrobras e o Pré-Sal à gringada pirata, malandra e esperta, deu início à expulsão da Venezuela do Mercosul. Isto mesmo, o capacho dos yankees começou a política de enfrentamento contra o governo de esquerda a soberano de Nicolás Maduro, a fazer com que o país do norte da América do Sul fosse isolado economicamente e culturalmente, de forma a favorecer o processo de golpe de estado contra o governo daquele país soberano, que jamais aceitou a interferência estrangeira em seus assuntos e decisões internos.

Diferente do Brasil, um país que se tornou pigmeu diplomático e satélite do círculo de influência dos Estados Unidos, que por meio do presidente de extrema direita, Donald Trump, ameaçou a Venezuela de invasão nas barbas do Brasil e de sua diplomacia subalterna e subserviente, que virou piada internacional, a humilhar todos os brasileiros que tenham um pingo de vergonha na cara e que fazem oposição ao desgoverno da escumalha ou da corja que transformou o Palácio do Planalto em um covil de patifes e bandoleiros, que têm irremediavelmente profundo desprezo e ódio ao povo brasileiro, o mesmo que sustenta a opulência e a riqueza da casa grande, que, desgraçadamente, não possui projeto de soberania e desenvolvimento para o País, porque jamais teve a dignidade de pensá-lo.   
   
O Brasil praticamente abandonou os Brics, seu poderoso banco, o NDB, o G-20, a Unasul e o Mercosul. Não luta mais para integrar o Conselho de Segurança da ONU, abandonou a diplomacia Sul-Sul, a se integrar com a África, diminuiu suas relações com os países árabes, bem como não tem mais voz ativa e não é levado a sério por seus parceiros comercias, que juntos são cerca de 50% da população mundial, com economia internas gigantescas e portadoras de forças militares que dominam o setor nuclear.

O Brasil, até a pouco tempo, era protagonista e líder da diplomacia latino-americana, com grande força em âmbito mundial e a ser parte importante de decisões dos principais fóruns internacionais. Após o golpe dos ratos e das ratazanas, com vocações para a subalternidade digna de cucurachas da Banânia, o Brasil e seu desgoverno controlado por ladrões e corruptos de monta, origem e ordem, transforma-se em apenas um território gigante com milhões de pessoas, que estão a perder seus direitos e garantias. O Brasil, morbidamente, deixou de ser uma Nação.

Contudo, o que realmente impressiona é a vocação para o suicídio coletivo de parte de milhões de brasileiros, que foram partícipes do golpe bananeiro, que transformou o Brasil em uma republiqueta terceiro-mundista, controlada por uma quadrilha, que, inacreditavelmente, tem o apoio do Judiciário, que é repleto de coxinhas de direita, que não têm quaisquer ligações com a sociedade e com seus interesses, porque de mentalidades pequeno-burguesas e, consequentemente, completamente dissociados das realidades e dificuldades da maioria da população, pois se trata realmente de um Judiciário burguês, de casaca ou fraque e punhos de renda.

Agora estamos aí, a descarrilar ladeira abaixo e o Brasil a se juntar aos fantoches e subalternos tradicionais e antigos dos Estados Unidos, a exemplo da Colômbia e o Peru, este último com menor intensidade. Trata-se da aliança de direita que tem por finalidade derrubar o governo de Nicolás Maduro, com a participação do Brasil e do Exército Brasileiro, cujos generais estão a ver todos seus planos estratégicos de modernização das Forças Armadas irem para o beleléu.

A verdade é que quando um País tem um golpista de dimensão diminuta e limitada, a exemplo de Raul Jungmann como ministro de Defesa, é porque, verdadeiramente, a mediocridade tomou conta do País e a irresponsabilidade passa ser a tônica e a reflexão de que realmente o Brasil chegou ao fundo do poço como colônia de um potência que somente recebe recursos e ainda impõe a política diplomática que o governo pária e usurpador de *temer deve implementar.

É vergonhoso para o Exército ter de se submeter a uma força militar estrangeira. Não sei como os generais do Exército e seu comandante principal aceitaram uma desfaçatez e humilhação dessa. Nem os generais da ditadura militar aceitariam uma imposição desmoralizante, a concordar, de cabeça baixa, que golpistas ordinários e desprovidos de legitimidade e de moral, a fim de consolidar seus negócios, permitam a entrada, volto a ressaltar, de tropas estrangeiras, sendo que militares estadunidenses liderem, em novembro, os exercícios militares dentro do território brasileiro, na Amazônia, a provocar e fustigar um país vizinho e irmão, que possui interesses comuns ao Brasil muito mais do que os Estados Unidos.

Trata-se de um soco no estômago. Arruinaram a economia do País, entregaram o patrimônio público, acabaram com o mercado interno, extinguiram dezenas de programas de inclusão social, desempregaram 20 milhões de trabalhadores, desindustrializaram o País para beneficiar a indústria estrangeira, retiraram 40% dos recursos orçamentários das Forças Armadas e sufocaram os programas estratégicos civis e militares de independência e soberania, porque deram mais um golpe de estado contra os interesses do povo brasileiro.

Esta é a obra de demolição do Estado nacional e de destruição de esperanças para que sobre apenas a falta de solidariedade, o egoísmo, a intolerância e a violência. O Brasil está à deriva e a violência campeia em todas suas regiões de forma exponencial. E agora o País tem de se submeter à presença de militares norte-americanos, a nos transformar em território aberto à exploração do grande capital, que tem interesse em derrubar o legítimo governo da Venezuela.

O Brasil, onde age como traidor o presidente pária e usurpador, transforma-se em um País exportador de golpes de estado em sua própria região, a ter como seu "chefe" os Estados Unidos e seu Exército multiplicador de guerras, invasões, piratarias e mortes, no decorrer de 150 anos. Muitas mortes... Mortes em profusão. Os Estados Unidos impuseram a presença de suas tropas em território brasileiro por meio das pressões do embaixador Peter McKinsey, sendo que a intenção é viabilizar o teatro de operações no sul da Venezuela.

Como ocorreu na Líbia, um dos países mais desenvolvidos da África, cujo estado financiava a moradia, a saúde e a educação, de forma desenvolvida, e que foi transformado em um país pária, ingovernável e com muitas favelas e grande pobreza por causa da invasão militar de países europeus e dos Estados Unidos. O objetivo ou a estratégia do consórcio internacional golpista é ocupar uma porção do território venezuelano, onde, segundo as forças de segurança do Brasil e, principalmente da Colômbia e dos Estados Unidos, afirmam que tal território é ocupado por traficantes, mercenários e organizações paramilitares. Uma "boa" desculpa para exercitar a prepotência, a arrogância e a fome ensandecida pelo petróleo e outras riquezas da nação bolivariana.   

Assim também foi feito na Líbia, sendo que a Síria hoje tem seu território ocupado por inúmeras forças, regulares e irregulares, que tentam abocanhar fatias de poder e derrubar o presidente sírio, que tem o apoio da Rússia e os Estados Unidos como inimigos e acusados de serem o financiadores de grupos terroristas, realidade que foi comprovada com a morte de diplomata americano junto aos grupos armados que combatem o governo de Bashar al-Assad.  

Ocupar o território conhecido como Cabeça de Cachorro por intermédio da tríplice aliança de direita formada por Brasil-Peru-Colômbia é tudo que os Estados Unidos querem, após Donald Trump afirmar que uma solução militar para a Venezuela não estava descartada. O propósito é desestabilizar ainda mais e internamente o governo venezuelano, que reagiria com mais dureza e disposição a qualquer tentativa de golpe por parte dos direitistas venezuelanos.

No país de Hugo Chávez não basta apenas colocar coxinhas tresloucados e celerados de classe média nas ruas e contar com campanhas insidiosas, mentirosas e sistemáticas por parte da imprensa de negócios privados, a exemplo da Globo e suas assemelhadas, que contaram ainda com a lamentável cumplicidade do Judiciário brasileiro e do Congresso, que também conspiraram e participaram da derrubada do Governo trabalhista e democrático de Dilma Rousseff, bem como ainda dão continuidade ao golpe em prol da caçada política e ideológica ao presidente Lula, pois a finalidade é afastá-lo das eleições presidenciais de 2018.

Não mesmo... A violência política na Venezuela é mais radical, porque nesse país existe um governo forte, eleito e reeleito pela força das urnas, com direito à sabotagem da oposição de direita, que até hoje não aceita ter perdido a hegemonia política e o dinheiro do petróleo, que sustentou durante mais de um século as bilionárias oligarquias venezuelanas, que, como as do Brasil, tratam seus povos como esparros, cujos únicos deveres são servi-los como mãos de obra barata, sem ter direito a reclamar e a ter acesso aos direitos trabalhistas e previdenciários.

Os EUA, na verdade, querem transformar a Venezuela em uma Líbia para desestabilizá-la. Uma Líbia, só que maior, mais populosa, rica e mais forte militarmente. Enviar tropas norte-americanas para invadir a Venezuela para roubar petróleo e matar seu povo seria temerário, ou seja, tiros nos pés dos Estados Unidos, que, certamente, teriam problemas com a Rússia, com a China e o recrudescimento da histórica antipatia contra os yankees na América Latina, com exceção dos coxinhas analfabetos políticos, colonizados e sem noção alguma de soberania por faltar-lhes totalmente o sentimento de nacionalidade, além da ausência de orgulho telúrico e da própria identidade nacional. Complexo de vira-lata! Cabeça colonizada! Alma entreguista e subserviente!

Os Estados Unidos estão a ser, por total irresponsabilidade, tal qual como fazem no mundo, os fiadores e financiadores de guerra entre países da América do Sul após 140 anos de paz. Ponto. De acordo com a imprensa venezuelana e setores de inteligência do país bolivariano, as forças especiais terão 800 homens do exército estadunidense denominadas Seal. A aventura militar, no qual o desgoverno irresponsável e incompetente de *temer se meteu, será em novembro e praticamente coincide com as eleições de dezembro nas províncias venezuelanas.

A verdade é que as manobras militares de interesses colonizadores por parte dos EUA, Brasil, Colômbia e Perú significam, hipoteticamente, a invasão da Venezuela e o Brasil, mesmo a se tratar de manobras, é parte de um consórcio militarmente colonizador e politicamente de direita, que pretende derrubar um governo autêntico e legítimo, que não é o caso do desgoverno do pigmeu moral, *mi-shell temer, que, absolutamente, já deveria estar a planejar sua medíocre vidinha ordinária e de traidor de dentro de uma cadeia.

O general Vilas-Boas, comandante do Exército Brasileiro, de acordo com informações que repercutem na imprensa e nos segmentos de decisão e poder das Forças Armadas, está insatisfeito e a reagir contra as operações militares lideradas pelos Estados Unidos em território nacional. Não é possível que os chefes das Forças Armadas estejam a favor de manobras que visam entrar em confronto com as forças armadas da Venezuela e seu povo, que é irmanado com o povo brasileiro, principalmente o amazônico. 

Os comandantes das Forças Armadas não têm o direito de cometer tão grave equívoco contra um país vizinho e irmão, mas o dever constitucional de proteger o território nacional contra as forças imperialistas e agressoras, no caso os militares dos EUA, acostumados a invadir países em todo o planeta. A Venezuela não é inimiga do desenvolvimento e da independência do Brasil. O governo da Venezuela não quer invadir o Brasil. A verdade é que todo mundo sabe, até mesmo os mortos, os recém-nascidos e os extraterrestres que os inimigos e interventores da soberania de inúmeras nações são os Estados Unidos. Quem não sabe disso? Talvez os coxinhas amigos do Mickey, que adoram dar uma de Pateta e apoiar golpe de estado contra seus próprios direitos e garantias, além de serem massa de manobra do status quo.  

É inaceitável! Um despropósito! É covardia! Trata-se de imbecilidade e idiotice totais e praticadas por golpistas que tomaram o poder de assalto no Brasil e não param de fazer merda atrás de merda, porque são completamente irresponsáveis, levianos e tirânicos. É simplesmente imperdoável se o Brasil e suas Forças Armadas entrarem em um guerra draconiana e covarde contra um país pobre, de povo pobre e que há séculos é explorado violentamente, como acontece no Brasil, por oligarquias e oligopólios que não se importam com nada, a não ser ganhar dinheiro e roubar cada vez mais para manter seus privilégios e benefícios eternamente.

Não cabe e não é de forma alguma aceitável que os militares brasileiros invadam o território do país irmão, a autonomia e a independência de outros povos. Se os Estados Unidos estão acostumados a matar e a sujar suas mãos de sangue, que sujem suas mãos sozinhos. O Brasil é de paz e na paz o Brasil sempre edificará seu presente e seu futuro com todas as nações, principalmente as sul-americanas e as latino-americanas.

As Américas não são apenas dos Estados Unidos. As Américas pertencem e são de todos os países e povos americanos. O lugar apropriado dos golpistas e usurpadores do desgoverno *temer é a cadeia! É na cadeia que esses sem vergonhas e golpistas deveriam brincar de governar. É isso aí.


sexta-feira, 18 de agosto de 2017

Justiça e MPF chancelam o golpe, marcam posição na luta de classe, perseguem Lula e envergonham o Brasil

Por Davis Sena Filho — Palavra Livre


O Judiciário, a Justiça e o MPF envergonham o Brasil e os brasileiros, porque, indubitavelmente, foram ocupados por coxinhas de salários altíssimos e totalmente distantes das questões nacionais e dos interesses do povo brasileiro, que é composto por imensa maioria pobre e remediada.

Quando vejo juízes, procuradores, delegados de polícia, tanto masculinos e femininos, a se comportarem inadequadamente por intermédio de suas declarações ao vivo, nas mídias dos empresários bilionários ou em suas redes sociais, penso logo e afirmo: "pobre do país e do povo que tem em seus quadros do Judiciário e do MPF coxinhas sem a mínima noção de nacionalidade e de entendimento de soberania nacional".

E não se trata apenas disso, porque se observa também as práticas nada republicanas desses servidores públicos, que fazem do Estado um meio de vida de suas famílias, sendo que muitos indivíduos do poder togado são de famílias que há décadas consecutivas transformaram o Judiciário em capitania hereditária, de forma que o comportamento e o pensamento desses servidores ricos e abastados é completamente elitista, sectário, racista, misógino e, evidentemente, ideologicamente de direita.

Quero dizer com isso que o Judiciário, a Justiça e o MPF são ranços que deveriam sofrer radical e profunda reforma, porque o que se percebe, nitidamente e claramente, é que os juízes, procuradores e delegados estão envolvidos até os últimos fios de cabelo ou até as medulas com mais um golpe de estado que aconteceu nesta republiqueta terceiro-mundista, cucaracha e bananeira, onde uma minoria branca e provinciana, estupidamente feroz e egoísta toma para si o Estado e faz o que quer e deseja com o dinheiro público pago pelo contribuinte e o trabalhador brasileiros.

Dito isto, observo ainda que a perseguição ao ex-presidente Lula é vergonhosa, além de covarde, sendo que a maioria dos membros do Judiciário, indelevelmente de mentalidade pequeno-burguesa, parece-me ter perdido de vez a vergonha na cara, se algum dia tal poder a teve, porque as ações persecutórias cometidas há anos contra o líder trabalhista e de esquerda é, sem sombra de dúvida, uma realidade sórdida, infame e atroz, pois injusta por total ausência de provas, que certamente constará, ipsis litteris, nas páginas da história.

A história que não mais será somente contada pelos historiadores e acadêmicos vinculados aos grupos sociais hegemônicos, que têm lado e controlam, inclusive, a indústria editorial e, com efeito, efetivam a censura, sempre a dificultar a disseminação das realidades e do pensamento das lideranças políticas e históricas do campo político e social de origem popular.   

Contudo, depois do advento da internet, os historiadores vinculados à burguesia, bem como os jornalistas da imprensa de mercado, não contarão mais suas histórias sozinhos, pois não mais falarão sozinhos sem serem questionados, como acontece, por exemplo, com o subterfúgio das "pedaladas" repleto de má-fé e mau-caratismo usado pela direita golpista, para levar uma presidente constitucional e legítima à deposição e, consequentemente, tomar o poder de assalto por meio de mais um golpe terceiro-mundista, organizado por uma quadrilha que está neste momento a demolir o Brasil. Até que ponto a Justiça burguesa, de terceiro mundo e comensal da casa grande deste País continuará cega?!

A verdade é que se trata de um golpe de estado, cuja base para toda cafajestada ocorrida é o próprio Judiciário, que conspirou pois aquiesceu, sendo, portanto, um dos principais partícipes do golpe bananeiro, que tem por finalidade entregar o País, destruir o pequeno estado de bem-estar social, extinguir programas de inclusão social e transferir o Orçamento da União e o dinheiro de inúmeros investimentos do povo brasileiro para a bocarra voraz dos bancos e das "elites" nacionais e estrangeiras. Por isto e por causa disto tudo, sem sombra de dúvida, o Judiciário brasileiro é uma incomensurável, indescritível e inenarrável vergonha e insulto ao povo trabalhador brasileiro. 

A Justiça de retaliação, mesquinha e vulgar. A Justiça que se politizou, criminalizou a política e judicializou a governabilidade, além de intervir vergonhosamente no processo democrático, a mandar para o espaço o Estado Democrático de Direito, pois cúmplice do vilipêndio à Constituição Cidadã de 1988, que consagra a cidadania e os direitos sociais e civis, para o ódio e rancor da casa grande, a quem muitos juízes, procuradores e delegados servem, a fazerem os tristes papéis de capitães do mato das oligarquias nacionais e da plutocracia internacional.

Este é, irrefragavelmente, o retrato da Justiça deste País azarado, porque nele viceja a pior burguesia do mundo ocidental, antinacionalista, antidemocrática e antipopular, que, colonizada e ignorante, odeia e despreza seu próprio País, a apoiar, sem vacilar, a destruição da economia brasileira, assim como não se importa, de modo algum, com sua autonomia e independência, o que significa abrir mão da soberania do Brasil, que, mais uma vez, torna-se um País insignificante e desconsiderado pela comunidade internacional, pois praticamente obrigado a orbitar no círculo de influência dos Estados Unidos.

Desta forma, o Brasil, mediocremente, afasta-se de vez de sua liderança regional e passa a ser tratado como uma republiqueta bananeira nos Brics, no G-20, no Mercosul, na Unasul, na OEA, na ONU e em todos os fóruns internacionais. *mi-shel temer — o traiçoeiro usurpador — é tratado pelas lideranças mundiais como um pária ou o bastardo do povo, pois se trata apenas de um golpista desprovido de votos e fantoche da "elite" cucaracha, que está a fazer o trabalho sujo, a mando dos banqueiros e da plutocracia internacional. O ilegítimo *temer é uma verdadeira peste, e tem, irremediavelmente, vocação para o fracasso e a iniquidade. Colocar *mi-shel temer na presidência do País é como colocar um predador dentro de sua casa. Sem mais delongas. Ponto.

Ninguém o leva a sério, se algum dia alguém o levou. Porém, é inquestionável que os golpistas irresponsáveis do Grupo Globo e assemelhados estão profundamente arrependidos por terem apoiado um patife e chefe de quadrilha da pior espécie, que a burguesia brasileira ousou produzir, com a cumplicidade e a aquiescência dos juízes e procuradores pequeno-burgueses, que provam e comprovam que, a despeito de terem estudado Direito, não possuem a menor compreensão sobre o que é presidencialismo de coalizão ou o que significa a efetivação de projeto de independência e soberania de país.

Não sabem e não querem saber, porque a verdade é que são sujeitos togados de mentalidades pequenas, a se preocupar com seus interesses pecuniários e suas vidinhas de classe média alta, que não podem, de forma alguma, serem incomodadas com a presença de pobretões, que subiram um degrauzinho na escala social e passaram a comprar passagem de avião, comprar a linha branca doméstica ou a frequentar, de vez em quando, o shopping onde os filhos da pequena burguesia comem hamburguers e vão ao cinema com pacotes e copos gigantes de pipocas e refrigerantes, a sonhar com Miami e Orlando, e, quiçá, visitar o Mickey para dar uma de Pateta!

Dou como exemplo da desfaçatez e perseguição a Lula, o juiz Itagiba Catta Preta Neto, da 4ª Vara do Distrito Federal, ao conceder liminar para suspender a posse do ex-presidente Lula como ministro da Casa Civil. O togado de direita e com vocação para coxinha fez campanha pelas redes sociais para que Dilma Rousseff, eleita com 54,5 milhões de votos pela maioria dos eleitores brasileiros, fosse deposta.

A argumentação do "genial" juiz golpista de primeira instância para apoiar o crime de golpe de estado é curiosa para não dizer surreal. O magistrado afirmou em redes sociais, bem ao estilo coxinha analfabeto político funcional e consumista, branco e miameiro, que se a mandatária legítima e constitucional caísse, o dólar também cairia e, com efeito, ficaria mais barato. É verdade! Ele disse isto, incrivelmente...

E não parou por aí. Continuou com sua irresponsabilidade, mesmo a ser juiz em atividade e que, logo depois, cooperou para impedir que o Lula assumisse a Casa Civil, a recrudescer propositalmente a crise política, como o fez o juiz Sérgio Moro, do PSDB do Paraná, quando mandou liberar os áudios das conversas entre Lula e Dilma, a causar, irresponsavelmente, comoção popular. Ou seja, Catta Preta, comprovadamente, aproveitou-se de seu cargo público com salários altos e pagos regiamente pelo contribuinte para fazer, efetivamente, política, bem como combater o lado do campo ideológico que, certamente, ele não vota, porque, nitidamente, um juiz de direita.

Catta Preta, como inúmeros juízes, procuradores e delegados da PF, participaram pessoalmente e pelas redes sociais de eventos golpistas e repercutiram palavras de ordem contra o PT, os presidentes Lula e Dilma e os governos trabalhistas, no decorrer da crise política e das manifestações promovidas pela direita e pela extrema direita, a terem o MBL, os Revoltados Online e o Vem Pra Rua como promotores essenciais para que o golpe criminoso, covarde e cucaracha vencesse e, posteriormente, destruísse a economia e a democracia do Brasil e envergonhasse os brasileiros perante a comunidade internacional, que trata este País como um lugar ocupado por macaquitos brancos e bananeiros, cujas burguesia e pequena-burguesia são analfabetas políticas, entreguistas e colonizadas, bem como portadoras de um gigantesco e intangível complexo de vira-lata.

Os coxinhas de togas e os meganhas seletivos perderam, definitivamente, a modéstia; e, no Brasil desmoralizado e humilhado de hoje, consideram-se os heróis ou as feras do balacobaco. Só que não! E digo por quê. Quando o Judiciário, a Justiça, o MPF e a polícia interferem em qualquer democracia e interditam o processo político, é sinal que está a acontecer uma ditadura contra o Estado Democrático de Direito e das piores, porque quem se sentir lesado ou prejudicado, perseguido ou agredido em seus direitos civis, não há para onde recorrer.

Quando gente que se veste de preto, totalmente desprovida da legitimidade e autoridade do voto popular para governar e passa a considerar que sua aprovação em concurso público é o suficiente para interferir no direito do governante eleito pelo povo governar, é sinal de que tal sociedade e país estão em um processo ditatorial dos mais terríveis e violentos, que geralmente tem por trás desse processo casuístico e perigoso para os direitos da população e da cidadania as grandes oligarquias, que formam, em âmbito mundial, a plutocracia que domina a economia e as diretrizes diplomáticas do país vilipendiado por um golpe do Estado, como ocorre no Brasil.

Catta Preta é apenas um exemplo dos incontáveis exemplos que aconteceram no Brasil no âmbito do Judiciário. Inúmeros juízes, delegados e procuradores resolveram fazer política contra o PT, seus aliados e líderes, a exemplo de Lula, Dilma, Zé Dirceu e Genoíno. Por sua vez, jamais atacaram o PSDB e o DEM, que são a mesma face da mesma moeda, assim como permitem, a exemplo do STF, que um ladrão e hoje presidiário aceitasse o pedido de impeachment (golpe) contra a presidente honesta e que não roubou, que é Dilma Rousseff. Agora o próprio Judiciário e o MPF estão a protelar, de forma vergonhosa, as delações do ex-deputado Eduardo Cunha e do doleiro Lúcio Funaro, que são verdadeiras bombas contra o PMDB, o PSDB, o DEM e o desgoverno do golpista e usurpador *mi-shell temer.

Quando o Judiciário, MPF e a PF deixam de ser republicanos é sinal de que esses poderes e corporações tomaram partido e, se tem lado, suas ações serão partidarizadas. Não tem jeito, porque não há outro caminho. E é isto o que acontece no Brasil e ninguém faz nada para coibir e fazer com que tais servidores se coloquem em seus lugares devidos, de acordo com a Constituição e seus regulamentos e regimentos internos. Ponto. Se lambuzaram com o melado do poder, que se baseia na mentira sobre a realidade e a distorção dos fatos e dos acontecimentos, a exemplo da Lava Jato.

A força tarefa de Curitiba é uma ferramenta ou instrumento de combate político, ideologicamente de direita e, no decorrer do tempo, seus objetivos de combate ao crime de corrupção se extraviaram, porque passou a ser uma tribuna de togados e meganhas que se tornaram políticos, a despeito das prisões de corruptos e da transparência no que concerne a apontá-los para o público.

Contudo, sabe-se também das covardias e perseguições perpetradas pela Lava Jato e seus "intocáveis", que um dia terão de ser "tocáveis" para responder pelos abusos de poder, perseguições e prisões ilegais, dentre muitos outros crimes, como liberar à imprensa de mercado mais corrupta do mundo ocidental gravações e processos em segredo de justiça, além de grampos contra a presidente Dilma e os advogados de Lula, sem também esquecer de lembrar que o líder máximo do PT está a ser punido, inclusive com prisão em primeira instância, sem ter sido nada comprovado contra o ex-presidente trabalhista, mesmo após 73 testemunhas afirmarem ao juiz Moro, do PSDB do Paraná, que nunca souberam nada sobre o Lula se envolver com ações ilegais e criminosas. 

Lula foi inocentado por 73 pessoas e mesmo assim o juiz seletivo e parcial de Curitiba o condenou a mais de nove anos de prisão, porque a verdade é que tudo que começa por meio de mentiras tende a terminar como uma grande farsa, em que mentirosos criaram um processo político à moda Goebbels e agora não têm como recuar, mesmo ao preço altíssimo de entrar para a história como injustos e farsantes. Além disso, a Lava Jato tem de dar satisfações à golpista Globo, que sempre tratou a força tarefa como se fosse um filme hollywoodiano, a dar-lhe força desmedida e, com efeito, concretizar o golpe contra Dilma Rousseff e consolidar o processo persecutório contra o Lula, a afastá-lo da disputa eleitoral de 2018.  

Em todos os processos que o Lula responde, não existe uma única prova contra o político de esquerda, que lidera todas as pesquisas eleitorais e, consequentemente, é o favorito para vencer as eleições presidenciais de 2018, o que, indubitavelmente, apavora a direita, inclusive a direita de toga e de alma golpista, que está a governar o Brasil no lugar da presidente Dilma, a confirmar que a Justiça e o MPF se resumiram ao papel de capatazes das oligarquias inquilinas da casa grande. Basta-nos olharmos para o juiz Gilmar Mendes, do PSDB do Mato Grosso e seus aliados do STF, do Congresso e do Palácio do Planalto para confirmarmos que o Judiciário tem lado, partido, cor ideológica e classe social.

Para finalizar sobre as ações pontuais e direcionadas por parte de togados e meganhas, ainda dou como exemplo as duas últimas ações recentes do MPF e da Justiça, pois emblemáticas, além de dar ponto final a este texto, no que concerne à participação de juízes e procuradores como pontas de lança do combate político contra a esquerda e os movimentos sociais de origens populares, razões pelas quais tais servidores públicos de classe média e média alta, que se consideram parte das "elites" brasileiras, têm raiva, rancor, desprezo e um profundo sentimento de classe, que se baseiam em preconceitos aprendidos por toda a vida, em seus grupos sociais e junto a seus familiares.

A primeira ação aconteceu por meio de Ministério Público e faz referência a uma interdição movida por procuradores contra a cessão de um terreno municipal no centro da cidade de São Paulo. No terreno, seria construído um museu, que teria documentos, imagens e objetos, que reconstituiriam a construção do País a partir da instituição da República, como se fosse um memorial à democracia.

Os procuradores completamente politizados, partidarizados, arbitrários e a fazer a má política sem parar, consideraram, a seus bel-prazeres, talvez porque se consideram os gênios da raça tupiniquim, proibiram a cessão do terreno e, pode acreditar cara pálida, afirmaram estupidamente que o museu serviria para a divulgação da imagem de Lula. Ponto. Além do governar no lugar do Executivo, cujas autoridades são eleitas pelo povo, os procuradores também decidem sobre museus e seus acervos a serem apresentados ao público. Não é coisa de procurador coxinha da Banânia de terceiro mundo? Sem mais comentários...

Outro abuso de poder e exemplo de arrogância e prepotência, que expõe a imbecilidade a que pode chegar a Justiça é quanto à proibição por parte de um juiz de primeira instância de o presidente Lula, candidato favorito às eleições de 2018, receber da Universidade Federal do Recôncavo Baiano (UFRB) o título de Doutor Honoris Causa. Isto mesmo. Um vereadorzinho mequetrefe  e provinciano do DEM, o pior partido do mundo e herdeiro legítimo da UDN, da Arena, do PDS e do PFL, entrou com um pedido na Justiça para que o Lula não fosse homenageado. Logo o Lula, o presidente que mais criou universidades e escolas técnicas na história do Brasil. O político que mais incluiu negros e pobres nas universidades e faculdades públicas e privadas na história deste País. Enfim, a liminar estúpida e movida a insensatez, perversidade, preconceito e burrice foi cassada para o bem da inteligência humana e das pessoas de boa vontade.

"Esse título não é meu, é de cada negro e negra que se formaram em uma universidade. Um pouco do sucesso da política e do acerto econômico é você ter consciência política de que lado você está" — disse Lula, para logo complementar: "Se os políticos que têm diplomas não sabem governar, talvez seja necessário um torneiro mecânico voltar a governar" — concluiu. 


Lula não roubou. A direita sabe disso. Os procuradores da Lava Jato e o juiz Sérgio Moro sabem disso. Todo mundo sabe disso. Até os mais despolitizados e tresloucados coxinhas de classe média, batedores de panelas de barrigas cheias e amantes do pato amarelo e corrupto da Fiesp sabem disso. A Justiça, o Judiciário e o MPF são de direita e pertencem aos ricos e fazem política para favorecer o status quo. Eles estão diretamente envolvidos com o golpe. Eles são o golpe. Justiça e MPF chancelam o golpe, marcam posição na luta de classe, perseguem Lula e envergonham o Brasil. É isso aí.